[RESENHA] Jogos Vorazes: A Esperança – O Final

 

Filme: Jogos Vorazes: A Esperança – PARTE 2

Elenco:  Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Liam Hemsworth, Julianne Moore

Direção: Francis Lawrence

Gênero: Aventura, Ficção Científica, Drama

Ano:  2015

Sinopse: Na parte final desta saga, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) é enviada ao Distrito 2, ultimo distrito ainda a apoiar a Capital, para ajudar a convencer os moradores locais a se juntarem a rebelião contra  o presidente Snow (Donald Sutherland). Com todos os distritos unidos, os rebeldes invadem a capital e tentam derrubar Snow. Katniss cansada de ser manipulada pela presidente dos rebeldes Coin (Julianne Moore), Katniss decide juntar sua equipe para matar o presidente Snow.

Oi povo

Chegou ao fim a adaptação de uma das melhores e mais famosas sagas literárias da atualidade. Seguindo os passos de outras sagas adaptadas, o último livro A Esperança foi dividido em dois filmes. A parte final mostra os rebeldes chegando a Capital numa tentativa de derrubar o presidente Snow. Katniss, recusando a seguir ordens, vai escondida até onde os rebeldes estão e se une a luta armada. Convencida de que o único jeito de acabar com a guerra é matando pessoalmente o presidente Snow, ela juntamente com Gale e uma equipe vão as ruas da Capital tentando chegar aonde ele reside. Snow por sua vez decide espalhar armadilhas por toda a Capital e televisionar a guerra como se fosse outro Jogos Vorazes.

Real or not real?

É notável a mudança de Katniss da primeira parte de A Esperança para a parte final. Antes egoísta e manipulável, Everdeen nem uma guerra queria iniciar, ela só pensava em proteger sua família e amigos. Agora neste filme ela está mais altruísta e decide arriscar a própria vida para acabar com a guerra e evitar mais mortes. A evolução da personagem foi incrível, enquanto a maioria dos rebeldes acham que os fins justificam os meios, Katniss permanece questionando a moralidade de certos atos, e segue lembrando que tanto a vida dos rebeldes quanto a dos moradores da Capital são importantes.

Um dos pontos altos da história é mostrar que apesar da causa ser grande, fechar os olhos para atrocidades só para alcançar um objetivo não é algo louvável e não é algo esperado de quem luta para o bem maior de uma nação. Algumas pessoas dizem que o sonho de todo oprimido é se tornar opressor, eu discordo veemente desta frase mas o fato é que se deixarmos nossa raiva e nossa ambição nos cegar podemos nos tornar semelhantes àqueles que abominamos. E o filme mostra isso de maneira brilhante.

Triângulo amoroso de novo?

Uma história dessas nos dias atuais é importantíssima para mostrar aos jovens como uma ditadura pode ser ruim, como a mídia manipula as coisas ao seu bel prazer, como os políticos lutam mais para seus próprios interesses do que pelos interesses da população. Entretanto não achei que em meio a tantas coisas havia muito espaço para um drama meloso de um triângulo amoroso. Cenas onde Katniss estava cheia de preocupações e onde Gale ou outros traziam o assunto triangulo amoroso a tona foram chatas e se destoavam muito  do que estava acontecendo ao redor. Tem uma guerra acontecendo e querem que Katniss decida com quem quer ficar ou quem ela ama mais. Momentos de tensão interrompidos por conflitos amorosos desnecessários. Não que não aja amor em meio a guerra, e nem foram tantas cenas assim, mas a maneira que o filme abordou isso me incomodou. Jogos Vorazes não é um romance de sessão da tarde onde faria sentido um triangulo amoroso interromper a trama principal a qualquer momento só para ter cenas “fofas”.

Apesar das reviravoltas obvias e dos clichês A Esperança – O Final, acertou nas cenas de ação, nas cenas de suspenses nas quais eu mal conseguia respirar e Suzanne Collins acertou em cheio nas críticas a sociedade. Muitas dessas críticas podem ser aplicadas ao mundo atual, a mídia sim nos manipula, os políticos querem impor suas vontades e crenças pessoais sob uma nação inteira, não temos um jogos vorazes mas a morte de crianças e adolescente entretém os ditos “pessoas de bem” que acham que todo pobre é bandido e que bandido bom é bandido morto.

Mais uma saga que chega ao fim e mais fãs que se sentem órfãos. Jogos Vorazes  foi uma bela saga que mostrou que existe sim espaço para protagonistas femininas e mostrou também que os jovens se interessam por temas políticos.

Até semana que vem 😉

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s