[Resenha] O Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares

Olá amiguinhos!

Vocês já devem ter reparado que o mundo literário anda com um hype intenso em cima dos livros da serie “Orfanato da Srta. Peregrine”, em parte pelo lançamento do filme dirigido pelo Tim Burton (💕), em parte pela edição lindíssima do segundo livro publicado pela Intrínseca. Eu precisava conferir o porque de tanta euforia em cima dessa série.

5fcf22a2-d1a6-48bc-bded-197a8ad6013cLivro: O Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares
Autor: Ransom Riggs
Ano: 2012
Número de Páginas: 336
Editora: Leya
Sinopse: Tudo está à espera para ser descoberto em "O orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares", um romance que tenta misturar ficção e fotografia. A história começa com uma tragédia familiar que lança Jacob, um rapaz de 16 anos, em uma jornada até uma ilha remota na costa do País de Gales, onde descobre as ruínas do Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares. Enquanto Jacob explora os quartos e corredores abandonados, fica claro que as crianças do orfanato são muito mais do que simplesmente peculiares. Elas podem ter sido perigosas e confinadas na ilha deserta por um bom motivo. E, de algum modo - por mais impossível que possa parecer - ainda podem estar vivas.

Jacob Portman é um garoto de 16 anos, com poucos amigos (na verdade ele só tem um amigo), que odeia o lugar onde trabalha, tem uma relação um tanto saudável com seus pais… Exceto quando o assunto é seu avô Abe.

Abe Portman é um veterano de guerra, que sempre foi considerado louco pela família por conta de suas historias sobre crianças especiais, ilha mágica e monstros. Um belo dia, enquanto Jacob tentava de tudo para ser demitido, ele recebe uma ligação desesperada do seu avô. Jacob não consegue acreditar no que seus olhos vêem, ao achar seu avô morto. Morto por um homem com tentáculos no lugar da boca. Desde então, nosso protagonista passa a ser considerado louco pela família, e durante o seu tratamento com apoio de um estranho psicólogo Jacob parte para ilha onde seu avô foi criado em busca de respostas. Lá ele descobre que tudo o que seu avô lhe contava durante a infância era verdade.

É o seguinte: o livro é legal. Nem muito bom, nem ruim. É uma leitura divertida e contagiante, com ótimos elementos de fantasia. A escrita do Ransom Riggs se desenvolve de forma fluída, que não cansa o leitor com grandes interrogações, principalmente pelo fato de a narrativa ser intercalada com fotos significantes para a historia do livro.

Eu costumava fugir da minha vida comum,mas minha vida nunca havia sido comum. Simplesmente não conseguira notar como ela era extraordinária.

 

 

image

Quanto a edição, a diagramação de capa é um tanto simples se comparada com a edição do segundo volume da serie publicado por outra editora. Minha reclamação vem em decorrência das paginas que compõe o miolo do livro. Durante a leitura era impossível passar as paginas sem se cortar.

 

 

image

O primeiro volume é publicado pela LeYa, enquanto os outros dois volumes da serie tem os direitos pertencentes a Intrínseca. A mesma anunciou no começo desse mês que irá relançar “O Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares” em Dezembro, para mantê-lo no padrão dos outros livros (capa dura, jacket, e acabamento diferenciado)

A adaptação produzida pelo Tim Burton, e protagonizada pela espetacular Eva Green no papel da Srta. Peregrine, tem previsão de lançamento para o final de 2016. Confira o Trailer:

 

unnamed

Cdl4sGEUUAAswR2

O Lar das Crianças Peculiares poster e trailer miss peregrines penny dreadful season 3 trailers.jpg

 

Sinceramente eu espero que vocês aproveitem a leitura. Não posso porém, deixar de constar que para mim o livro só conseguiu me cativar 100%, nas suas ultimas 5o páginas.

Deixem aqui nos comentarios o que você achou da resenha, ou do livro, para que a gente possa aprofundar nosso papo.

Um cheiro e até a próxima!

Anúncios

3 comentários em “[Resenha] O Orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares

  1. Está na lista de leituras. Achei a edição linda. Particularmente, acho capa dura ruim de manusear, apesar de ser charmosa (mas quando se trata de clássicos e/ou de edições especiais, vale a pena, realmente).
    Gostei da sua resenha!
    Beijinhos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s