[Resenha] Grandma (2015)

Filme: Grandma (Aprendendo com a vovó)
Elenco: Lily Tomlin, Julia Garner
Direção: Paul Weitz 
Gênero: Comédia dramática
Ano: 2015
Sinopse: Elle Reid (Lily Tomlin) se fechou para o mundo após perder sua parceira, com quem viveu durante 38 anos. Antissocial e com um senso de humor ácido, ela terá que sair de "sua bolha de proteção" quando sua neta pede ajuda. As duas enfrentam uma viagem de um dia, que faz Ellie ter que confrontar seu passado e florescer, enquanto a jovem terá que se preparar para enfrentar o futuro.

Olá pessoas!

Ultimamente não tenho assistido muitos filmes porque começaram minhas aulas, mas vou tentar sempre que possível deixar uma resenha aqui para vocês. Hoje quero falar sobre um filme que assisti faz um tempo e gostei bastante. Aliás não vi ninguém comentando esse filme.

Grandma é um longa dirigido e escrito por Paul Weitz, que recentemente também desenvolveu a nova série Mozart In The Jungle, ganhadora de dois Golden Globe. O filme ainda rendeu uma nominação para Lily Tomlin na mesma premiação, como melhor atriz em filme de comédia. Mesmo considerado comédia, acho que o filme é mais voltado para drama devido aos assuntos que aborda.

A história começa quando a jovem Sage bate na porta de sua avó pedindo ajuda. Ela está grávida, com um aborto marcado para aquela mesma tarde mas sem dinheiro para pagar e sem consentimento de sua mãe, que não sabe da situação. Elle, sua avó, que recém havia terminado com a atual namorada também não tem dinheiro e destruiu todos seus cartões de crédito em um acesso de raiva contra a vida capitalista. Assim elas deixam de lado suas diferenças e começam uma jornada para juntar o dinheiro através de todos seus conhecidos. Elas enfrentam seus problemas, como o pai da criança, que deixou Sage sozinha ao saber da gravidez, ou o ex marido de Elle que não a via há anos e nunca soubera o motivo que ela o deixara.

O filme é bastante objetivo e direto. Feministas, trans, lésbicas, aborto. Assuntos que geram polêmica são o centro da trama. Elle ainda está em um processo de luto por sua parceira que faleceu há uns anos, porém ela não admite e ao longo do filme vemos como ela começa a enfrentar sua dor. Já Sage está começando a enfrentar o futuro, onde é obrigada a lidar com sua mãe e dizer o que pensa, para receber ajuda. É incrível ver como o encontro de gerações acontece,  e como cada uma cresce ao longo do filme.

No elenco contamos com Julia Garner, muito boa em seu papel. Marcia Gay também está ótima, sua personagem parece um estereótipo de mãe brava, mas ela traz a profundidade dos problemas com a mãe e como isso refletiu na hora de ela criar sua filha. Mas o destaque inteiro vai pra Lily Tomlin em uma atuação crua, sincera, e real. Sua personagem tem um humor ácido, não sabe lidar com os sentimentos alheios devido a barreira que construiu entre ela e o resto do mundo. A forma como ela vai se desenvolvendo, podemos ver cada passo. Além desses nomes, tem participações de Nat Wolff, Laverne Cox, Judy Greer, Sam Elliot.

Recomendo muito esse filme por tratar sobre assuntos pouco aprofundados nos filmes atuais e de uma forma muito boa, e porque é bastante desconhecido. Além das ótimas atuações.

E você, já assistiu? O que achou?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s