[Resenha] Joe Golem e a Cidade Submersa

Joe GolemLivro: Joe Golem e a Cidade Submersa
Autoria: Mike Mignola (autoria e ilustração) e Christopher Golden (autoria)
Ano: 2013
Editora: Gutenberg
Páginas: 272
Sinopse: Em 1925, terremotos e a elevação do nível do mar deixaram o Sul da ilha de Manhattan sob mais de trinta metros de água. Com isso, ela ganhou dos moradores o nome de cidade submersa. Muitos deixaram a cidade, mas aqueles que não estavam dispostos a abandonar o lar tiveram de recomeçar a vida nas ruas, agora transformadas em canais, e em prédios cujos três primeiros andares acabaram ficando debaixo d’água.
Cinquenta anos se passaram desde então, e a cidade submersa está cheia de mendigos, pedintes e “ratos d’água”, pessoas pobres que têm de se virar para conseguir sobreviver, além de outras orgulhosas ou teimosas demais para se deixarem ser derrotadas pelas circunstâncias. Entre elas estão Molly McHugh, uma garota de 14 anos, e seu amigo e chefe Felix Orlov. Felix, o Conjurador, que no passado foi um mágico famoso, agora está velho e ganha a vida como médium, fazendo a ponte entre os espíritos dos mortos e seus entes queridos que ficaram e sofrem com o luto.
Quando uma de suas sessões dá terrivelmente errado, Felix Orlov acaba raptado por estranhos homens que usam máscaras de gás e vestem roupas de borracha. Molly consegue escapar, e sua fuga a levará ao encontro de um homem enigmático e seu fiel companheiro, Joe Golem, cujo passado é um mistério até para ele mesmo, e que caminha em seus sonhos como um homem feito de pedra e barro, trazido à vida com o único propósito de caçar bruxas.

Vamos de mistério e suspense hoje na nossa resenha!

Como esperado de uma parceria entre entre Mike Mignola e Christopher Golden, o livro envolve de forma bem uniformizada um universo investigativo, com suspense, steampunk e é claro, muita fantasia. Baltimore e o Vampiro, a primeira parceria dos autores

A obra em si é um presente aos olhos, com uma capa intrigante, a confecção da trama com o envolvimento de representações gráficas do Mike Mignola, atinge um diferencial com a proposta de sintetizar as ilustrações em um livro convencional, a investida surpreende e aguça o leitor, com essa visão mais ampla de enredo e imaginação.

Na trama a essência distópica se afirma através de uma Mahantan que anteriormente em 1925 por terremotos e inundações, que acabou por dividir o cenário em duas partes, que levam em conta sim, uma visão segregadora, tendo em conta que Uptown, se caracteriza por ser a parte mais rica e desenvolvida, enquanto Downtown, é a cidade submersa, com toda uma face de “submundo”, os próprios nomes já viabilizam a ideia de quem está “por cima” e “por baixo”, um constante lembrete da diferença entre Downtown e Uptown.

É em Downtown que Molly McHugh, de apenas 14 anos de idade vive uma vida árida em meio a umidade e desesperança do lugar, junto ao seu “mestre” Félix Orlov, que possui a capacidade de comunicar-se com os mortos, mas acaba sendo sequestrado, o que coloca Molly no caminho do Sr. Church, um detetive, que tem como parceiro ninguém mais que Joe, o nosso Golem.

Esse grupo bem excêntrico embarca na aventura dramática (por vezes obscura) em busca do paradeiro de Orlov, que converge com o rastro Dr. Cocteau, que se encaixa no estereótipo de cientista louco, com a ambição de se tornar um deus e Orlov é chave para que ele alcance seu objetivo supremo.

Se levar em conta a primeira impressão do livro e do começo introdutório da trama, Joe se caracterizaria como o protagonista, no entanto, é no decorrer do enredo que Molly se prova como a verdadeira face da produção, a maioria das passagens se concentram na garota, que se prova estar à altura e demonstra um processo de desenvolvimento de caráter incrível.

Para quem aprecia a premissa de mistério, sobrenatural e aventura de tirar de o fôlego, vai ter uma surpresa muito alucinante com esse leitura, ainda com esse bônus sensacional que são as representações das figuras nas páginas do livro.


Para hoje é essa dica! ^^

Anúncios

7 comentários em “[Resenha] Joe Golem e a Cidade Submersa

  1. Mencionar que tem uma premissa repleta de mistério, sobrenatural e aventura de tirar o fôlego… Só posso acreditar que essa resenha foi feita pra mim, rsrs.
    Primeiro que adorei essa capa. E segundo, adoro livros ilustrados *-*
    Acho fascinante mundos distópicos e fiquei bastante curiosa pra saber mais sobre Downtown e Uptown.
    A Molly parece ser uma personagem bastante corajosa ao embarcar nessa missão de encontrar Orlov.
    Vou procurar saber mais a respeito da obra e deixar como uma possível leitura futura.
    Abraço!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Oi
    Nem li o livro e já amei, a premissa me parece ser muito interessante, amo livros de fantasia, sobrenatural, distopia e aventura, uma mistura dos meus gêneros favoritos em um livro só.
    Os personagens me parecem ser muito fortes, achei interessante essa procura pelo paradeiro de Orlov.
    Irei ler com toda certeza.
    Boa Tarde.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Disto pia? Tá me chamando
    Sou completamente fascinada e aplicada, o que a capa já faz com grande capacidade.
    Mas não curto muito tramas com muita fantasia, infelizmente

    Curtido por 1 pessoa

  4. Disto pia? Passo longe, não vejo muita graça kk
    Quanto a capa, achei um trabalho bem feito e realmente fascinante
    O que mais me atraiu foram os personagens fortes

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s