[Especial] A entrada para o paraíso: Bangtan – BTS

B-T-S, EU DISSE O QUÊ? B-T-S, B-T-S, B-T-S, B-T-S!!

Eu, a louca desvairada dos animes, trago pra vocês a evolução dos gostos, afinal animes são o princípio, depois vem os live-actions, logo os doramas (k-dramas, j-drama e etc), depois você está fazendo as coreografias aleatórias e quando se percebe é tarde demais e o mundo acaba de ficar mais interessante e agitado, não tenho arrependimentos (são anos e o amor não passou) e me surgiu a conclusão tardia de: como assim nunca falei de BTS por aqui? Uma falha grave que vai começar a ser corrigida hoje!

Primeiro vamos falar do gênero musical, o K-Pop é um gênero popular musical oriundo da Coreia do Sul, sendo os coreanos grande responsáveis por lançar boys e girls band, ou seja, coreografia para aprender e mandar ver na sua festa, na formatura e no meio da rua. Um dos fatores que mais atraem atenção no k-pop é o visual, ao olhos externos é considerado bastante excêntrico, os cabelos coloridos, as lentes e a extravagância nas vestimentas, passado esse choque inicial, a conquista vem pelo ritmo extremamente contagiante.

Antes restringido a grupos menores que se encontravam em eventos de cultura oriental – grande parte de cultura japonesa com j-pop e k-pop os consumidores desse gênero musical aumentaram em número. Em um destaque imenso vai para o Bangtan, ou BTS, o grupo que mais cresce nesse gênero atualmente e um dos maiores e memoráveis nomes por trás da chamada onda hallyu, inclusive agora no dia 21 desse mês de maio, está prestes a ascender a um nível ainda nunca antes alcançado, isso no tapete da Billboard, indicados a Social Media e marcando presença no evento (me segura que tô desfalecendo).

O estilo musical do grupo se destaca pela fuga ao convencional do POP e do K-Pop em si – que foca bastante naquele pop dançante -, inserindo bastante do rap e hip-hop nas músicas e ritmo, contando também com composições bem densas e com críticas sociais, o resultado? É alucinante, viciante e totalmente digno de infinitos repeats e playlists de horas pra curtir essa maravilha musical (inclusive agora mesmo me encontro em um amor pleno em repetir desesperadamente I Need U).

Existem 3 tipos de pessoas: aquelas que gostam do BTS, as que ainda não conhecem (se você já ouviu e não gosta, ouve de novo, você escutou muito errado) e as que negam qualquer contato porque não entendem coreano ou não querem mesmo, enfim, para ajudar vai aqui um resuminho leve sobre cada um dos sete integrantes e pessoas mais maravilhosas com as personalidades mais distintas e agitadas que formam esse grupo (em caso de dúvida na pronúncia, clica aqui e já pega a manha):

  • Min Yoongi, é o Suga, o responsável por mandar ver nas principais partes de rap do grupo, o dialeto ainda é um pouco presente na sua forma de falar (algo que influencia na sua fala mais lenta e compenetrada), é também o mais sério e crucialmente adorável, conta com um talento inegável para compor e produzir, não esconde que é um workaholic (viciado em trabalho);
  • Park Jimin, o Jimin que atende pelo apelido fofo, Jiminie (e ChimChim) é o que traz a voz mais aguda do grupo, muita das vezes responsável por descontrair e aliviar a tensão no clima entre os integrantes, conta com uma personalidade afável e compreende muito de dança, na verdade ele é tão bom em dança com uma fluidez contemporânea que parece até inumano, cantando é como o som de sinos celestiais;
  • Jeon Jungkook, conhecido mesmo como Jungkook é o maknae (caçula do grupo), mas não o subestimem em grande parde das apresentações e mv‘s ele está na frente e arrasa na coreografia com movimentos, ritmo e canto arrepiantes, possui uma dedicação imensurável para aprender de forma lúdica e é ótimo em cada coisinha que faz, seus covers esbanjam talento e sua ligação com os outros seis é de aquecer o coração;
  • Kim Namjoon, Namjoon ou RM nem é gente, é anjo é o líder, também responsável pelo rap característico das músicas do grupo, também compositor e produtor, além de mandar super bem no inglês, sendo responsável por responder muitas das entrevistas em inglês – no japonês ele também se destaca -, sua confiabilidade permite que o grupo se inspire nele, além de demonstrar uma postura e confiabilidade de um verdadeiro líder;
  • Kim Taehyung, o V, possui uma aura única, com uma personalidade flexível, sempre que alguém o abraça, ele abraça de volta e não se deixem enganar por essa face de mocinho, quando fala justifica a ideia de “à prova de balas” afinal é tão grave que só assim pra quem sabe, resistir a essa saraivada com essa voz tão intensa, também compõe lidamente e sua voz atrai as pessoas naturalmente, junto a sua personalidade, Taehyung é como um sonho, demais pra ser real, mas o lado bom é que é;
  • Kim Seokjin, atende pelo apelido e nome artístico Jin, é o mais velho, mas isso não é uma regra, ele é sério e atribui também descontração ao grupo, dá apoio, carinho e traz pra linha, tem todo um carisma e a voz é tão calma que só dá  pra amar, o vocal transmite serenidade e pode ser definido em imagem por uma noite estrelada se convertendo no nascer do sol;
  • Jung Hoseok, também J-Hope, a esperança do grupo – e do mundo -, é o mais animado, transborda uma luz própria, como se carregasse um sol interior, nunca vi tanta razão em compará-lo com o sol, seu talento lhe define bastante, tem uma habilidade de rap bem desenvolvida com um flow diversificado, conta também com um belo vocal, também produz e compõe com maestria.

Em 2010, a Big Hit Entertainment com a ideia de formar um grupo de k-pop começou a ter prosseguimento, contudo até a formação oficial em 2013 do que hoje seria o que conhecemos como BTS, aconteceram vários desfalques de integrantes, o único que persistiu desde a primeira formação é o Namjoon, felizmente a formação concretizada desde o début em 2013 deu super certo e hoje o estrondo causado pelo grupo só cresce, sendo que já vieram para solo brasileiro 3 vezes (e eu em casa rolando de vontade de estar apreciando uma performance alucinante deles também), em 2013, 2014 e em março desse ano (2017)!

A trajetória discográfica é bem diversificada, cada álbum é conceitual e tão único que não dá pra apontar um só como favorito:

  • 2 Cool 4 Skool (2013)not today
  • O!RUL8,2? (2013)
  • Skool Luv Affair (2014)
  • Dark & Wild (2014)
  • Wake Up (Japonês, 2014)
  • The Most Beautiful Moment In Life, Pt. 1 (2015)
  • The Most Beautiful Moment In Life, Pt. 2  (2015)
  • The Most Beautiful Moment In Life: Young Forever (2016)
  • Youth (Japonês, 2016)
  • Wings (2016)
  • You Never Walk Alone (2017)

Fiquem com o vídeo de Spring Day:

Um comentário sobre “[Especial] A entrada para o paraíso: Bangtan – BTS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s