[Resenha] Um Tom Mais Escuro Escuro de Magia

um_tom_mais_escuro_de_magia_1468000130529845sk1468000130bLivro: Um Tom Mais Escuro de Magia

Autora: Victoria Schwab

Editora: Record

Ano: 2016

Páginas: 381

Sinopse: Kell é um dos últimos Viajantes — magos com uma habilidade rara e cobiçada de viajar entre universos paralelos conectados por uma cidade mágica. Existe a Londres Cinza, suja e enfadonha, sem magia alguma e com um rei louco — George III. A Londres Vermelha, onde vida e magia são reverenciadas, e onde Kell foi criado ao lado de Rhy Maresh, o boêmio herdeiro de um império próspero. A Londres Branca: um lugar onde se luta para controlar a magia, e onde a magia reage, drenando a cidade até os ossos. E era uma vez… a Londres Negra. Mas ninguém mais fala sobre ela. Oficialmente, Kell é o Viajante Vermelho, embaixador do império Maresh, encarregado das correspondências mensais entre a realeza de cada Londres. Extra-oficialmente, Kell é um contrabandista, atendendo pessoas dispostas a pagar por mínimos vislumbres de um mundo que nunca verão. É um hobby desafiador com consequências perigosas que Kell agora conhecerá de perto. Fugindo para a Londres Cinza, Kell esbarra com Delilah Bard, uma ladra com grandes aspirações. Primeiro ela o assalta, depois o salva de um inimigo mortal e finalmente obriga Kell a levá-la para outro mundo a fim de experimentar uma aventura de verdade. Magia perigosa está à solta e a traição espreita em cada esquina. Para salvar todos os mundos, Kell e Lila primeiro precisam permanecer vivos.

Vschwab (2)

Kell é um dos últimos Antari, magos com a habilidade de viajar entre as dimensões, através da ligação entre elas e suas respectivas Londres.

Cada dimensão possui uma quantidade diferente de magia, assim como governos diferentes, modo de agir, idomas e cores. A Londres Cinza é uma cidade onde pessoas e magia se distanciaram a bastante tempo, fazendo que para Kell e os habitantes das outras Londres, ela seja vista como a mais fraca, pois a muito tempo não existe um equilibrio entre as pessoas e  a magia.

Já a Londres Vermelha (a cidade natal do Kell), a magias convive em equeilibrio com os habitantes da cidade, sendo tratada com respeito e utilizada para ajudar no convivio e desenvolvimento da cidade. Ela corre na terra, nos rios e no coração dos moradores dessa dimensão.

A Londres Branca, por outro lado, é um lugar frio, onde as pessoas fazem de tudo para possuir maior quantidade de magia, mesmo que para isso seja preciso se multilar, usar amuletos e ate mesmo matar. E ai, onde após uma visita aos governantes da Londres Branca, onde o nosso Antari (e contrabandista nas horas vagas) recebe um encomenda: Levar um objeto para outra Londres. Algo simples, que ele já fez diversas vezes, se não fosse pelo fato desse objeto ser um pedaço de algo antigo e esquecido, um pedaço da Londres Preta.

Se o vermelho era a cor da magia em equilíbrio, da harmonia entre poder e a humanidade, o preto era a cor da magia desequilibrada, desordenada e sem limites.

Um lugar onde a magia ganhou vida e corrompeu os seus habitantes, consumindo cada um deles ate o fim de suas vidas e a muito tempo banido pelos outros mundos. Agora Kell precisa correr para levar essa pedra cheia de magia escura de volta para seu lugar, e lutar contra aqueles que querem possuir essa magia pura a todo custo e contando com a ajuda de Lilah Bard, uma ladra da Londres Cinza, com grandes aspirações de se tornar uma pirata, que depois de rouba-lo durante a fuga, ainda o obriga a leva-a em uma jornada onde o pior dos inimigos pode estar ao alcance da sua mão.

Prefiro morrer numa aventura a viver sem ter feito nada.

MANO DO CÉU! Eu to  chocado com esse livro! Deixa eu respirar fundo e vamos lá: Victoria Schwab constriu mundos fantásticos  com a maestria de quem vive em cada um deles todos os dias. Ela demonstra uma facilidade em não só criar, como desnvolver e dar vida a universo ficcional que poucos autores conseguem, de forma a cativar o leitor e proporcionar a ele cada uma das sensações de viver essa aventura. O livro possui  personagens fortes, bem construidos e com histórias de vida proprias que de certa forma ainda não chegam a interferir no enredo principal desviando seu foco.

É uma obra de fantasia como a muito tempo não se via, uma onde o romance e os ideias romanticos a cerca de um personagem não interferem na história, mudando seu foco e o transformando em um romance. Temos personagens protagonistas com problemas familiares, desvios de caráter eum enredo dinamico e envolvente na medida certa para fazer você perder o fôlego e não largar antes do final da série.

Vschwab (1)

Atualmente já temos dois livros públicados da série aqui no Brasil, e o terceiro com previsão para 2018. Leia também Melodia Feroz.

Um Cheiro e até a próxima!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s