[FILMES] MAZE RUNNER: A CURA MORTAL

1Direção: Wes Ball
Ano de Lançamento: 25 de janeiro de 2018
Elenco: Dylan O’Brien, Thomas Sangster, Kaya Scodelario, Ki Hong Lee, Will Poulter
Gênero:   Fantasia/Ficção Científica
Duração: 2h 23m
Sinopse: No terceiro filme da saga, Thomas (Dylan O’ Brien) embarca em uma missão para encontrar a cura para uma doença mortal e descobre que os planos da C.R.U.E.L podem trazer consequências catastróficas para a humanidade. Agora, ele tem que decidir se vai se entregar para a C.R.U.E.L e confiar na promessa da organização de que esse será seu último experimento.

 

E mais uma saga chega ao seu fim. Baseado no livro homônimo contendo 6 livros no total, o primeiro filme baseado em Maze Runner foi lançado em 2014 e agradou bastante ao público de ficção e sagas distópicas (que na época ainda estavam sendo mimados com os lançamentos das sagas de Jogos Vorazes e Divergente). Em 2018 a saga de Maze Runner chega ao fim com seu 3º filme, onde todos foram pouco aceitos pela crítica, mas adorado pelos fãs. Será que irá permanecer assim?

4

O filme começa diretamente onde o último parou, com Thomas (Dylan O’Brien) e seu grupo procurando por Minho (Ki Hong Lee ) dentro de um vagão de trem, mas ao chegar no local percebe que o amigo não se encontra mais ali, e então o filme dá a sua largada, muitas vezes fisicamente impossível a procura de Minho.

Nós já estamos acostumados com as fórmulas de filmes distópicos adolescentes de distanciamento da realidade nas cenas de ação, mas temo que A Cura Mortal abusou um pouco em algumas delas. Fora isso, o filme é apenas garotos correndo para salvar o amigo, garotos correndo para se salvar, zumbis, garotos correndo por que gostam de correr, explosões , e um final que – talvez – não deixe a desejar pros fãs da saga.

3

Já nos primeiros minutos de filme temos muita ação e assim ele segue a fórmula até o final. São um pouco mais de 2h de filmes com constantes cenas de ação, bem feitas, como já esperávamos visto pelo trabalho do diretor Wes Ball, que dirigiu os outros dois primeiros, com uma boa computação gráfica e boas atuações. Nada do que já esperávamos. Mas Maze Runner não passa muito disso.

Um outro ponto do filme que eu custo a entender: a famosa mania dos protagonistas de sempre quererem colocar um grande grupo em risco para salvar uma pessoa. Ou sempre querer ir em missões suicidas. A Cura Mortal não satisfeito em fazer apenas o mocinho Thomas querer salvar todos a todo o tempo, faz outros personagens terem a mesma síndrome de super herói. Ver isso repetidas vezes no filme fica cansativo, juntando com outras coisas cansativas, o que o faz ser apenas mais um filme onde adolescentes salvam o mundo.

O que é uma pena, pois os livros tinham a potência de se tornarem grandes adaptações com roteiros incríveis.

Confira o trailer do filme logo abaixo:

Anúncios

[AlêNews] STEVEN SPIELBERG FALA SOBRE A CRIAÇÃO DO UNIVERSO DO FILME “JOGADOR N°1” 

A Warner Bros. Pictures divulga novo vídeo (legendado) de Jogador Nº1, filme com estreia prevista para 29 de março. O autor do livro que inspirou o novo longa, Ernest Cline, fala sobre a influência dos filmes de Steven Spielberg na história e Spielberg comenta como foi encontrar a narrativa ideal para a nova produção de ficção científica. Em meio às falas, surgem imagens de longas que marcaram a carreira de Spielberg e cenas exclusivas de Jogador N°1.

Clique no link para assistir: https://www.youtube.com/watch?v=rVnKei59BJE

O diretor Steven Spielberg apresenta a aventura de ação e ficção científica Jogador Nº1, baseada no livro homônimo de Ernest Cline, que se tornou um fenômeno mundial.

O filme é ambientado no ano 2045, com o mundo à beira do caos e do colapso. Contudo, as pessoas encontraram refúgio no OASIS, um amplo universo de realidade virtual criado pelo genial e excêntrico James Halliday (Mark Rylance). Quando Halliday morre, ele deixa sua fortuna para a primeira pessoa que encontrar o tesouro que ele escondeu em algum lugar do OASIS, dando origem a uma competição que envolve o mundo inteiro. Quando um jovem e improvável herói chamado Wade Watts (Tye Sheridan) decide participar da competição, ele entra em uma caça ao tesouro arriscada e capaz de distorcer a realidade, através de um universo fantástico de mistério, descoberta e perigo.

Spielberg dirige o filme com base em um roteiro assinado por Zak Penn e Ernest Cline. O filme foi produzido por Donald De Line, Spielberg, Kristie Macosko Krieger e Dan Farah, com produção executiva de Adam Somner, Daniel Lupi, Chris DeFaria e Bruce Berman.

Jogador Nº1 é estrelado por Tye Sheridan (“X-Men: Apocalipse”, “Amor Bandido”), Olivia Cooke (“Eu, Você e a Garota que Vai Morrer”, série “Bates Motel”), Ben Mendelsohn (“Rogue One – Uma História Star Wars”, série “Bloodline”) e T.J. Miller (“Deadpool”, série “Silicon Valley”), com Simon Pegg (dos filmes “Star Trek” e “Missão Impossível”) e o vencedor do Oscar Mark Rylance (“Ponte dos Espiões”, “Dunkirk”).

Por trás das câmeras, Spielberg, vencedor de três estatuetas do Oscar (“A Lista de Schindler”, “O Resgate do Soldado Ryan”) reuniu sua equipe criativa de “Ponte dos Espiões”, incluindo o diretor de fotografia vencedor do Oscar Janusz Kaminski (“A Lista de Schindler”, “O Resgate do Soldado Ryan”); o desenhista de produção vencedor do Oscar Adam Stockhausen (“O Grande Hotel Budapeste”); o editor vencedor do Oscar Michael Kahn (“O Resgate do Soldado Ryan”, “Os Caçadores da Arca Perdida”) e a editora Sarah Broshar (“The Post – A Guerra Secreta”); além da figurinista Kasia Walicka-Maimone (“Moonrise Kingdom”). A música foi criada pelo compositor indicado ao Oscar Alan Silvestri (filmes “De Volta para o Futuro”, “Forrest Gump – O Contador de Histórias”).

Fonte: Espaço Z MKT