[Resenha] O Verão em que Tudo Mudou

df Livro: O Verão em Que Tudo Mudou

Autores: Gabriela Freitas; Thaís Wandrofski; Vinícius Grossos

Editora: Faro Editorial 

Ano: 2017

Páginas: 304

Sinopse: A vida às vezes guarda inúmeras surpresas. Sem avisar, ela muda de direção. Na hora você não entende, já que “tudo parecia estar bem”. Então percebe que havia sinais…. um sentimento, uma lembrança, um fato que parecia bobo, mas não era… É quando a gente entende que todo o caminho estava errado, que nada fazia muito sentido. Pelo menos, pra você. Fred sente-se absolutamente comum diante de um mundo com tanta gente especial. Lavínia, ao alcançar aquilo que parecia um sonho, algo pelo qual tanto lutou descobre que a nova conquista nunca foi realmente um desejo seu. E Sol, sem perceber, vive sempre à espreita, desconfiada, em constante alerta, tentando controlar tudo ao redor, na esperança de não se ferir novamente… Mas que controle podemos ter diante de tudo? Três jovens, de cidades distantes, com diferentes realidades, descobrindo o mundo a partir de suas próprias escolhas: complexo, difícil, libertador.Três histórias que se cruzam, no exato momento em que se coloca, diante de cada uma delas, uma exigência capaz de definir algo para o resto de suas vidas.

Hey migos! Hoje temos uma história cheia de identificações, então agora com vocês: O Verão em Que Tudo Mudou.

Inicialmente somos apresentados a “Quando os Infinitos se Encontram.”, história de Fred, ou Frederico (mas ele não gosta de ser chamado assim), escrito pelo Vinícius Grossos. Fred é um menino que aos poucos perdeu o fio condutor da sua vida, não tem sonhos nem perspectivas e com um problema seríssimo: ele não sabe o que fazer quando o que ele está habituado é mudado. Porém, na véspera de Natal, enquanto fechava a livraria onde trabalha, conhece uma menina, Valentina, que é totalmente oposta aquela tranquilidade que o menino está acostumado. Ela tira Fred do lugar que ele mais está acostumado a ocupar: a zona de conforto.

O-verao-que-tudo-mudou4

Logo depois conhecemos Lavínia, escrito pela Gabriela Freitas, em Mantenha-se viva. Lav (sim, já sou íntima) passou uma boa (enorme) parte da vida vivendo um sonho, mas o sonho não era dela e sim de seus pais: ser arquiteta. Ela passa nesse curso, mas não é o que ela realmente quer fazer e então o dilema do “e agora?” se instaura na vida da personagem. A saída que ela encontrou foi uma viagem afim de se libertar de tudo, que a tanto tempo vem prendendo-a. E quem diria que, além de todas essas descobertas e libertações ela ainda acharia espaço para descobrir um amor… (cauêzão, beijo lindo!!)

O-verao-que-tudo-mudou3

E, por fim, nos deparamos com Sol, ou Marisol, escrito pela Thaís Wandrofski, em Pôr do Sol. Nesse conto, Sol é a própria dona e proprietária da empresa organização, do tipo que organiza basicamente tudo que vai fazer no dia, tudo mesmo. Em um belo dia, anteriormente planejado, Sol recebe um sms por engano e tenta ajudar aquele anonimo. Quem diria que uma simples mensagem iria mudar totalmente a vida de uma pessoa, porque ela começa a fazer coisas atípicas para ela mesma, e se auto descobre depois de umas cosias jogadas na cara por sua amiga (inclusive tive o prazer de falar um sonoro finalmente depois dessa autoanálise). E sim, ela descobre quem é esse anônimo.

O-verao-que-tudo-mudou6

Cheio de reflexões sobre o que ser da vida, ou o que fazer da vida, o livro gera identificação, pois, infelizmente, esses sentimentos são recorrentes na maioria dos jovens hoje em dia. Jovens que não tem muita perspectiva, sem saber quem são e o que querem realmente fazer; jovens que tem sonhos de seus pais projetados em si mesmos para ele ser “o médico da família”, ou “o advogado da família.”, no caso de Lavínia a arquiteta. As histórias não são simplesmente soltam em um livro, elas se encontrar de uma maneira muito boa, devo considerar, o que acaba matando um pouco da saudade que a gente sente dos personagens que já passaram pela leitura.

Uma pausa para falar dessa edição LINDA e FOFA que esse livro tem!!! Fiquei apaixonada, é tudo muito fofo, as letras azuis e os cards que estão ao longo do livro com frases que caracterizam o que foi dito naquele momento na história. Juntamente com uma playlist para cada personagem, que aparece ao fim de seus respectivo contos, faz com que toda experiencia seja fofa e tenha um significado.

Espero que vocês tenha gostado, até a próxima

Xoxo,

Nath.

Anúncios

[Resenha] Amor em Manhattan

downloadLivro: Amor em Manhattan

Autor (a): Sarah Morgan

Editora: Harlequin

Ano: 2018

Páginas: 384

Sinopse: Um romance brilhante sobre três amigas que decidem abraçar a vida – e o amor – em Nova York. Calma, competente e organizada, Paige Walker adora um desafio. Depois de passar a infância em hospitais, ela quer mais do que tudo provar seu valor – e que lugar pode ser melhor para começar sua grande aventura do que Nova York? Mas quando ela perde seu emprego dos sonhos, Paige vai descobrir que o maior desafio será ser sua própria chefe! Só que abrir sua própria empresa de organização de eventos e concierge não é nada comparado a esconder sua paixonite por Jake Romano, o melhor amigo do seu irmão e o solteiro mais cobiçado de Manhattan. Mas quando Jake faz uma excelente proposta para a empresa de Paige, a química entre eles acaba se tornando incontrolável. Será que é possível convencer o homem que não confia em ninguém a apostar em um feliz para sempre? O primeiro livro da série para ‘Nova York, com amor’ traz um enredo empolgante e divertido, com personagens superando situações inusitadas em busca do seu final feliz.

Aqui estou mais uma vez e agora com um chick-lit que me conquistou desde a capa até a história em sim. Estou falando de Amor em Manhattan, da Sarah Morgan.

Paige Walker foi desafiada desde criança e esse desejo por se provar cresceu junto com ela. Com uma personalidade definida e independente, depois de muito ser tratada com todo cuidado e super protegida, ela é competente no que faz e se orgulha disso. O ápice da sua carreira profissional estava, aparentemente, firme em sua mão e escorre pelos dedos. Ela acaba de ser, junto com suas duas melhores amigas, ser demitida. E agora? O que fazer?

Jake Romano, melhor amigo do irmão de Paige , Matt, e eterno crush de Peige entra em cena para ser a solução dos problemas profissionais das três amigas, propondo que elas se tornem suas próprias chefes, sem o medo de serem demitidas inesperadamente e não trabalharem mais juntas.

” – Vou dizer o que é que vocês têm de fazer. – Jake pegou o champanhe. Sua camisa delineava perfeitamente os ombros fortes. Ele tinha o corpo de um lutador, com músculos desenvolvidos e potentes. – Vocês têm que comemorar. E dois minutos depois de beber essa garrafa de champanhe, deveriam abrir a empresa de vocês. Querem ter controle sobre o que o chefe de vocês faz? Então sejam suas próprias chefes.”

Simples assim, como 1+1 =2. Para Jake era sempre assim: relaxe, isso não é o fim do mundo. Para ele era realmente mais simples, sendo bonitão, badalado e famoso em Manhattan, tudo era realmente mais fácil. Porém, não nos enganemos, Jake Romano tem um passado e isso o torna não só um rostinho bonito e um corpo atraente.

Mas como toda pessoa normal Paige tem uma coisinha chamada orgulho que a impede de dar, imediatamente, o braço a torcer pela ajuda que ele propõe para a empresa dela. Porém ela precisa dele, da experiência dele, dos contatos que ele tem para não falir a sua tão sonhada empresa. A partir disso é desenvolvida a história.

“[…] – Peige, olhe pra mim.

Ela não conseguia.

Com a respiração curta e acelerada, encarou o peitoral de Jake e sentiu os dedos masculinos deslizarem pelo queixo dela, enguendo-lhe o rosto. O toque era ao mesmo tempo reconfortante e malicioso.”

Vamos agora explorar alguns pontos.

1- Que escrita fluida e envolvente é essa, minha grande amiga Sarah!? Ela te envolve no dedo mindinho e te impede de querer fazer outra coisa a não ser ler o livro e saber o que vai acontecer mais pra frente.

2-  Como característica de um chick-lit, o envolvimento nas relações não só amorosas, como afetivas é um ponto positivo. Sabe aquela coisa que a gente acha que não sente falta nas leituras, mas no fundo sente? então é isso. A relação dela com as amigas, formando aquele squad que todo mundo tem, inseparáveis; a relação dela com o irmão, que mesmo sendo super protetor, somos capazes de ver o lado dele da história e entender.

3- O cenário, porque sim. Por mais que muitos não admitam, todos queremos, pelo menos uma vez, viver o tão famoso sonho americano e, particularmente, amei ter o foco em Manhattan por motivos de Friends.

4-  Você se projeta na história, fazendo com que se sinta lá, sentada na fila vip esperando o final feliz, torcendo por Paige e Jake, ou pelos dramas dos personagens envolta deles. Mesmo sendo um chick-lit e não tendo muita reflexão envolta da história em si, você consegue analisar as situações e tirar disso uma lição, mesmo que não perceba.

5- Um ponto muito interessante e que eu vi poucas vezes em histórias em geral: a maturidade das personagens ao não tratarem o relacionamento como algo vital, você não precisa daquele relacionamento para viver, para respirar, você precisa daquela pessoa pra completar suas partes incompletas, mas tudo bem se algo no meio do caminho não for bem, vocês superam.

6- Tenho dito e vou repetir: a valorização das personagens secundárias, não só as melhores amigas de Paige, Eva e Frankie, como também o irmão dela, Matt e a mãe de Jake, Maria. Todos eles tem uma história que te envolve e você percebe a influencia delas na personalidade de cada um.

Enfim, acho que já falei de mais e espero ter encorajados vocês para que, assim como eu, viagem para Manhattan junto com essa história.

xoxo,

Nath.

[Resenha] A Pequena Livraria dos Corações Solitários

A pequena livraria dos corações quebrados

Livro: A Pequena Livraria dos Corações Solitários
Autora: Annie Darling
Editora: Verus
Páginas: 308

Sinopse: Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavínia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavínia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes. Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”. O primeiro livro da série A Livraria dos Corações Solitários!

A Pequena Livraria dos Corações Solitários, conta a história de Posy Morland, uma vendedora de livros, que é completamente apaixonada pelo que faz. Posy, perdeu os pais em um acidente de carro e se vê em uma grande responsabilidade; cuidar do seu irmão mais novo. Ela contava com ajuda de Lavínia, que veio a falecer também e deixando sua livraria para Posy.

Lavínia deixou bem claro em seu testamento que deixava a livraria para Posy, mesmo sabendo que os negócios do ramo literário não ia indo bem. Porem Posy teria um prazo de dois anos para fazer sua livraria decolar, caso contrario a livraria seria passada para Sebastian, o neto e homem mais grosso de toda Inglaterra.
Sebastian, o único neto e herdeiro de Lavínia, foi muito mimado por sua avó e por sua mãe durante sua infância e desde então não sabe escutar um não de ninguém. Sebastian é um homem completamente grosso, e praticamente leva Posy a loucura com seu jeito mandão e grosseiro.
Sebastian não concorda com a ideia de Posy transformar a Bookends em uma livraria completamente feminina, A felizes para sempre. Ele quer reformar a livraria para vender somente livros policiais, a Adaga Sangrenta.
Com tantas desavenças, eles não percebem a aproximação dos dois durante a aquele período de discussões. E é nesses momentos de tensões que Posy começa a escrever seu romance de época; Violada pelo devasso (confesso que queria ler esse livro, poderia ter uma spin off).
Os personagens são maravilhosos, cada um com sua peculiaridade. Posy por exemplo é apaixonada por romances de época, o que me deixou mais encantada com ela, pois sou amante desse gênero. Sebastian, mesmo com toda sua grosseria, esconde debaixo de tanto sarcasmo uma boa pessoa.
E o mais legal de tudo, não foi o romance em si, e sim a determinação de Posy para mudar a Bookends para Felizes para sempre. Posy me cativou desde o inicio.
A pequena livraria dos corações solitários, é um livro bastante rápido de se ler. Ele é um tipico romance chick lit, completamente clichê e previsível. A escrita da Annie Darling, é bem simples e ela fez seu livro recheado de referencias de autores que tanto amamos.
Não podemos deixar de falar da capa maravilhosa que esse livro tem. A edição está simplesmente perfeita.
Esse livro é seu romance de estreia, e já podemos aguardar a sequencia da serie dos corações solitários.

[Dicas] Continuações de Fantasias (que amamos) ainda em 2018 no Brasil!

E hoje apresento a lista mais fantástica que deixa a ansiedade a mil esse ano!

Todo ano somos divididos entre inúmeros lançamentos, mas e quando é continuação? É maravilhoso e uma tortura de espera, cada dia conta e cada notícia é um alarde para os nervos e para compartilhar um pouco desse sofrimento chamado: aguardar, tem essa lista de retornos de séries por editoras nacionais que vão mexer com seus sentimentos (não me responsabilizo pelos danos colaterais):

  • O Sonho do Tigre (A Maldição do Tigre)

Sinopse do 1º livro: Kelsey Hayes perdeu os pais recentemente e precisa arranjar um emprego para custear a faculdade. Contratada por um circo, ela é arrebatada pela principal atração: um lindo tigre branco.
Kelsey sente uma forte conexão com o misterioso animal de olhos azuis e, tocada por sua solidão, passa a maior parte do seu tempo livre ao lado dele.
O que a jovem órfã ainda não sabe é que seu tigre Ren é na verdade Alagan Dhiren Rajaram, um príncipe indiano que foi amaldiçoado por um mago há mais de 300 anos, e que ela pode ser a única pessoa capaz de ajudá-lo a quebrar esse feitiço.
Determinada a devolver a Ren sua humanidade, Kelsey embarca em uma perigosa jornada pela Índia, onde enfrenta forças sombrias, criaturas imortais e mundos místicos, tentando decifrar uma antiga profecia. Ao mesmo tempo, se apaixona perdidamente tanto pelo tigre quanto pelo homem.

  • A Heroína da Alvorada (A Rebelde do Deserto)PREVISÃO PARA 23/03!!!

Sinopse da trama: Quando a atiradora Amani Al-Hiza escapou da cidadezinha em que morava, jamais imaginava se envolver numa rebelião, muito menos ter de comandá-la. Depois que o cruel sultão de Miraji capturou as principais lideranças da revolta, a garota se vê obrigada a tomar as rédeas da situação e seguir até Eremot, uma cidade que não existe em nenhum mapa, apenas nas lendas — e onde seus amigos estariam aprisionados.
Armada com sua pistola, sua inteligência e seus poderes, ela vai atravessar as areias impiedosas para concluir essa missão de resgate, acompanhada do que restou da rebelião. Enquanto assiste àqueles que ama perderem a vida para soldados inimigos e criaturas do deserto, Amani se pergunta se pode ser a líder de que precisam ou se está conduzindo todos para a morte certa.

  • Court of Frost and Starlight (Corte de Espinhos e Rosas)

Sinopse do 1º livro: Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família.
Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora.
Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la… ou Tamlin e seu povo estarão condenados.

  • War Storm (A Rainha Vermelha)

Sinopse do 1º livro: O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses.
Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso… Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho?
Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe – e Mare contra seu próprio coração.

  • Two Dark Reigns (Três Coroas Negras)

Sinopse do 1º livro: Três herdeiras da coroa, cada uma com um poder mágico especial. Mirabella é uma elemental, capaz de produzir chamas e tempestades com um estalar de dedos. Katharine é uma envenenadora, com o poder de manipular os venenos mais mortais. E Arsinoe é uma naturalista, que tem a capacidade de fazer florescer a rosa mais vermelha e também controlar o mais feroz dos leões.
Mas para coroar-se rainha, não basta ter nascido na família real. Cada irmã deve lutar por esse posto, no que não é apenas um jogo de ganhar ou perder: é uma batalha de vida ou morte. Na noite em que completam dezesseis anos, a batalha começa.

  • Reinado Imortal (A Queda dos Reinos)

Sinopse: Os cristais da Tétrade foram reunidos e os deuses elementares que estavam aprisionados neles foram libertados, mas seu poder e magia não podem ser contidos por ninguém. Saindo do controle de humanos e imortais, os deuses se uniram e planejam destruir todos os reinos, começando por Mítica.
Enquanto Jonas continua ignorando o destino que o liga a Lucia, a feiticeira está preocupada em encontrar maneiras de proteger sua filha — mesmo que isso signifique enfrentar sozinha Kyan, o deus do fogo. Amara também está disposta a encarar os deuses elementares. Apesar de ter voltado para o Império Kraeshiano, não desistiu de se tornar a mais poderosa dos reinos. Ao lado da avó, pretende conquistar Mítica só para si.
Magnus e Cleo terão seus sentimentos testados mais uma vez. Com os inimigos se aproximando e uma magia maligna tomando conta dos territórios de Mítica, eles precisam descobrir se o amor que sentem é o suficiente para vencer as forças que querem destruí-los — e a toda a nação.

  • Now I Rise (Saga da Conquistadora)

Sinopse do 1º livro: Lada Dragwlya e o irmão mais novo, Radu, foram arrancados de seu lar em Valáquia e abandonados pelo pai – o famigerado Vlad Dracul – para crescer na corte otomana. Desde então, Lada aprendeu que a chave para a sobrevivência é não seguir as regras. E, com uma espada invisível ameaçando os irmãos a cada passo, eles são obrigados a agir como peças de um jogo: a mesma linhagem que os torna nobres também os torna alvo.
Lada despreza os otomanos. Em silêncio, planeja o retorno a Valáquia para reclamar aquilo que é seu. Radu, por outro lado, quer apenas se sentir seguro, seja onde for. E quando eles conhecem Mehmed, o audacioso e solitário filho do sultão, Radu acredita ter encontrado uma amizade verdadeira – e Lada vislumbra alguém que, por fim, parece merecedor de sua devoção.
Mas Mehmed é herdeiro do mesmo império contra o qual Lada jurou vingança – e que Radu tomou como lar. Juntos, Lada, Radu e Mehmed formam um tóxico e inebriante triângulo que tensiona ao limite os laços do amor e da lealdade.


Conclusão: Um festival de ansiedade e capas maravilhosas é isso!

[Resenha] Hoje e Sempre

hoje_e_sempre_151813871014970sk1518138710b-2020576446.jpgLivro: Hoje e Sempre – Coleção MacGregor #5

Autora: Nora Roberts

Ano: 2018

Editora: Harlequin Books Brasil

Páginas: 192

Sinopse: Daniel MacGregor sempre soube que construiria um império. Por isso, aos 30 anos e trabalhando para conquistar seu segundo milhão, ele decide que é a hora certa de encontrar a mulher perfeita para casar e começar uma família. As melhores candidatas são aquelas de linhagem forte, silenciosas, bonitas e que queiram ficar em casa cuidando dos futuros filhos. Anna Whitfield não se encaixa nesse perfil. Ela é a única mulher da turma de medicina e aspira ser uma ótima cirurgiã. A última coisa que Anna deseja é se casar e ter filhos, pois isso iria interferir na sua dedicação à carreira médica. Mas Daniel não vai deixá-la fugir da atração que sentem, mesmo que para isso tenha que ignorar seus instintos que imploram por um casamento e aceitar a proposta de Anna de apenas morarem juntos. Essa situação será um escândalo que apenas o amor poderá superar! Finalizando o arco da família MacGregor, Hoje e sempre vai emocionar as leitoras com uma história controversa e repleta de amor!

Anna Whitfield sempre soube o que queria para sua vida. Em plena década de 40, ela lutava contra o preconceito e se dedicava de corpo e alma para seu sonho de ser médica. Enquanto todas as jovens da sociedade de Boston, procurava por bons casamentos com maridos ricos, Anna só pensava em terminar seu último ano de faculdade e iniciar uma residência.

– Mas amar…- Ela suspirou, lembrando-se. – é como um labirinto, Anna. Há curvas e becos sem saída. Você tem que continuar andando e confiando.

Daniel MacGregor é um homem de negócios, determinado. Aos 30 anos trabalha arduamente para conquistar seu segundo milhão tanto quanto trabalhou para conquistar o primeiro. Dono de varia empresas de sucesso, agora ele procura uma esposa, vinda de uma boa linhagem, que lhe dê bons herdeiros. Mas é na indomável Anna que ele encontra o amor e uma paixão tão intensos que fará tudo que for necessário para tê-la.

Embora tivesse nascido pobre, Daniel MacGregor não venerava o dinheiro. Ele o utilizava, empunhava e jogava com ele. Dinheiro era como o poder, e poder era como uma arma.

“Hoje e Sempre” é o quinto livro da coleção MacGregor, da autora best seller Nora Roberts. Uma história forte e envolvente que promete agarrar o leitor e fazê-lo se apaixonar de forma tão intensa quanto seus protagonistas.

– É tudo sobre amor e sorte, não é?

– A maioria das coisas é.

15212180821111689407865.jpg

SOCORRO QUE LIVRO É ESSE?!

Hoje e Sempre é um dos nossos primeiros recebidos em parceria com a Harlequin Books Brasil. E preciso dizer que fiquei muito confuso com esse livro, assim que o recebi.

Ele é o quinto livro da série, e como nos chegou sem maiores informações, ficou a dúvida se poderia ser lido fora de ordem, sem estregar a linearidade da história. Só por esse ponto já entrei em desespero, mas resolvi arriscar a leitura, afinal, é Nora Roberts. Não tinha como dar errado.

Todo assumimos riscos, Anna. Se estamos realmente vivendo.

Anna e Daniel MacGregor são os patriarcas do atual Clã MacGregor, e nesse livro vemos um história de amor divertida e cativante. Ambos possuem temperamento muito fortes e parecidos. Os dois são determinados, arrogantes e cabeça dura, o que torna a relação instigante e em diversos momentos hilária.

Mas de longe, o que mais me cativou no livro, foi a própria Anna e seu pensamento fortemente feminista em plena década de 40. A forma com ela se impunha diante de uma sociedade conservadora e enfrentava o preconceito por estar tentando carreira em uma profissão, tão tipicamente masculina. Até mesmo a forma como ela derrubava aos poucos o pensamento machista de seu amado Daniel.

Sobre a edição:

Se você esteve em uma caverna nos últimos meses, você ainda não sabe que a Harlequin Books, clássica editora dos romances de banca, está se repaginando e trazendo para as livrarias, seus clássicos de publicação como a Coleção MacGregor, edições belíssimas é muito bem repaginadas, desde sua arte de capa, ate um primoroso trabalho interno de edição e revisão.

Eu estou muito ansioso para continuar com a leitura dessa série e espero muito em breve poder conferir o que foi feito da vida do Clã MacGregor. Migos da Harlequin, vcs bem que ja podem mandar os outros livros dessa série!

[Resenha] Tudo Que Acontece Aqui Dentro: Cartas de Amor Nunca Rasgadas

tudo_que_acontece_aqui_dentro_1515700134746314sk1515700134b-1664970340.jpgLivro: Tudo que acontece aqui dentro: Cartas de amor nunca rasgadas

Autor: Júlio Hermann

Editora: Faro Editorial

Páginas: 190

Ano: 2018

Sinopse: Amar e afogarse com os próprios sentimentos e continuar respirando Tudo o que acontece aqui dentro é uma seleção de crônicas sobre o amor em seus diversos estágios, sobre aprender com as experiências da vida… tratase de um tipo de testamento das coisas do coração. É também um romance narrado pelas memórias de quem as viveu, por cartas que deveriam ter sido rasgadas, registros dos sentimentos pessoais de quem revelou bem mais de si que a maioria de todos nós. Uma das coisas mais bonitas é a maneira com que vamos enfeitando a alma enquanto esperamos alguém chegar “São cartas que escrevi enquanto ainda sentia a ferida arder. Os momentos felizes e os dias em que pensei que não iria aguentar”. Júlio tem um dom. Ele consegue exprimir sobre sentimentos com muita beleza e, ao compartilhar em escritos, permite que nós também possamos nomear o que muitas vezes sentimos e ficamos de algum modo aflitos, por não compreender. É o momento em que o nosso coração encontra a paz. Ele transforma o grito preso nas gargantas em literatura. São linhas que costuram o aprendizado sobre amor com o olhar de uma geração.

Tudo que acontece aqui dentro é mais um daqueles livros, que você vai ler e dizer: “Esse livro foi feito para mim”. Em uma coletânea de crônicas, o livro de estréia de Júlio Hermann, retrata diversas fazes de um relacionamento, do que sentimos e muitas vezes não temos coragem de dizer, aquelas insegurança e incertezas que habitam nossos corações a espera do momento certo de serem colocadas para fora, e que muitas vezes guardamos para gente.

Sentimentos e emoções são muito subliminares e várias vezes até confusos, enquanto eu vivia esse livro (a experiência foi maior que uma simples leitura), me encontrava e me perdia por entre as páginas, de forma a me envolver nos términos, começos e recomeços do narrador. Júlio traduz o coração dele e de todos nós entre suas crônicas cheias de amor e música.

A Playlist do livro, muito bem elaborada nos evolve e conduz pelas linha e parágrafos, nos transportando para dentro das crônicas.

O livro repete a fórmula fantástica de edição já vista em “O Verão em que tudo mudou”, com fontes confortáveis para leitura, impressão em tons de azul e rosa, e trechos dos textos com belíssima ilustrações.

É impossível ler esse livro em doses homeopáticas, um capítulo por dia, ou um sentimento por vez. Uma vez dentro do coração do autor você será arrebatado e devorará as 190 páginas em um piscar de olhos.

Júlio, obrigado por compartilhar conosco seu coração e tudo que acontece aí dentro.

[FILMES] MARIA MADALENA

1

Diretor: Garth Davis
Data de Lançamento: 15 de Março de 2018
Elenco: Rooney Mara, Joaquin Phoenix, Chiwetel Ejiofor, Tahar Rahim, Sarah-Sofie Boussnina
Duração: 2 horas
Gênero: Drama/História
Sinopse: A história de Maria Madalena.

 

 

Em meio ao final do Oscar e de assistir aos filmes dele que ainda estão em cartaz nos cinemas, ou prestes a estrear, , aqui está outro com uma performance central que é bom demais para você perder a chance de assisti-lo. A probabilidade é de que ele não estará nos cinemas por tanto tempo quanto os filmes mais conhecidos, então faça logo os seus planos para ir ao cinema e se preparar para assistir um filme com atuações emocionantes.

Reunindo-se novamente com o diretor de “Lion”, Garth Davis, e o colega Joaquin Phoenix com quem trabalharam juntos em “Her”, o trabalho de Mara neste livro de viagem da alma merece ser mencionado com o mesmo alvoroço na qual ela era mencionada quando foi nomeada pelas suas atuações nos longas que concorreram ao Oscar “A Garota com a Tatuagem de Dragão” e “Carol”. É difícil imaginar qualquer um de seus colegas se doando tanto quanto ela para fazer essa personagem, que é uma das figuras mais incompreendidas. O mistério de Rooney Mara quando está sumida das câmeras a faz ainda a mais poderosa quando está na frente delas.

3

Davis, começa seu filme com uma cena subaquática, ajustando-se a quão imersiva Mary Magdalene prova ser. Com a história contada mais através dos olhos do que o diálogo; locais estéreis e bonitos e a pontuação do falecido Jóhann Jóhannsson, há uma sonhabilidade aqui, essa é uma experiência muito rara no cinema moderno.

Com um olho no presente, Davis amarra muitos temas para o despertar de Maria, mas com uma sutileza que só aumenta o poder de seu filme. A violência é reduzida ao mínimo e qualquer pessoa que tema a natureza gráfica da Paixão do Cristo deve ter certeza de que a ternura é a qualidade definidora de Maria Madalena. Atuando perfeitamente em oposição a Rooney (com quem já tinha feito um par romântico antes em Her), a caracterização de Phoenix como Jesus é tão gentil quanto fraco – o “papel da vida” se torna uma lição de humildade.