[Resenha] CORAGEM

Livro: Coragem

Autora: Rose McGowan

Editora: Harper Collins Brasil

Ano: 2018

Páginas: 271

Sinopse: ROSE McGOWAN nasceu em um culto e o trocou por outro, mais visível: Hollywood.Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia quando foi “descoberta” nas ruas de Los Angeles. O estrelato logo se tornou um pesadelo de exposição constante e sexualização. Todos os detalhes de sua vida pessoal se tornaram públicos, e as realidades de uma indústria inerentemente machista emergiam a cada roteiro, papel, aparição pública e capa de revista.Hollywood esperava que Rose ficasse quieta e cooperasse. Em vez disso, ela se rebelou e impôs sua verdadeira identidade e voz.
Ela reemergiu sem roteiros nem desculpas, corajosa, controversa e sempre verdadeira. Liderando o movimento de denúncias de assédio sexual na indústria de entretenimento ao expor os crimes de Harvey Weinstein, Rose é hoje um dos rostos do movimento feminista e não hesita ao disparar verdades inconvenientes e exigir mudanças.CORAGEM é seu livro de memórias em forma de manifesto – um relato sem censura nem piedade da ascensão de um ícone millennial, uma ativista sem medo e uma força de mudança imparável determinada a expor a verdade sobre a indústria do entretenimento, trazer à luz uma indústria multibilionária construída sobre a misoginia sistêmica e empoderar pessoas ao redor do mundo a acordarem e terem CORAGEM.

CORAGEM.
Essa é sem dúvidas a melhor palavra para definir Rose McGowan. A icônica atriz de Charmed, quebrou as amarras do medo e denunciou todos os abusos que sofreu durante a sua vida como atriz e tudo que Hollywood faz para controlar e determinar as vidas das pessoas.
Em uma narrativa curta, grossa e direta, a atriz toca na ferida da indústria, sem medo e sem vergonha contar sua história. Em épocas de #timeisup, e todos os protestos que as atrizes tem movimentado durante as premiações, CORAGEM vem para abrir os olhos de mulheres e homens, não só sobre o abuso na indústria cinematográfica, mas também para os casos dentro de todo o mercado de trabalho.

Durante toda sua vida, Rose fez parte de cultos. Fossem eles religiosos ou cultos a beleza e a mídia. Essa vivência proporcionou a ela uma nova perspectiva, mais ampla e completa sobre como a indústria produz e vende seu corpo, molda sua vida e distorce sua essência.

As ruas de Hollywood são pavimentadas sobre os corpos das vulneráveis, das prejudicadas, das enganadas e das feridas. Eu sei, eu quase fui uma delas.

A Harper Collins Brasil fez um trabalho brilhante, ao trazer esse livro tão importante é tão necessário para o Brasil. Todo o trabalho de edição e produção já tão característicos da editora fizeram jus a essa que na minha opinião deveria ser uma leitura obrigatória para todos aqueles que direcionam suas vidas em busca do estrelato e da fama.

Você pode até achar que o que acontece em Hollywood não a afeta, mas aí que você se engana. Minhas queridas, quem vocês acham que estão fazendo a curadoria da sua realidade?

Um livro lindo, pesado e firme no seu intuito de alertar e chamar a atenção das pessoas. Só lendo para entender! Vale muito a pena.

Anúncios

[FILMES] Jogador Nº 1

A3Direção: Steven Spielberg
Data de Lançamento: 29 de março de 2018
Elenco: Olivia Cooke, Tye Sheridan, Ben Mendelsohn, Simon Pegg, T. J. Miller
Gênero: Fantasia/Thriller
Duração:  2h19min
Sinopse: Em 2044, Wade Watts, assim como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do jogo OASIS ao mundo real. Quando o criador do jogo, o excêntrico James Halliday morre, os jogadores devem descobrir a chave de um quebra-cabeça diabólico para conquistar sua fortuna inestimável. Para vencer, porém, Watts tem de abandonar a existência virtual e ceder a uma vida de amor e realidade da qual sempre tentou fugir.

 

Você está pronto para um momento genuinamente divertido no cinema? Procurando por algo que não exige nada além de você relaxar, esquecer um pouco dos problemas do mundo e aproveitar o que há na tela? Jogador Nº1 se encaixa perfeitamente nesses planos e atende às altas expectativas estabelecidas após suas exibições nos festivais de filmes. Jogador Nº1 é uma alegre celebração da cultura pop de duas horas, um espetáculo visual ininterrupto, mas não cansativo, que parece ao mesmo tempo novo e antigo.

Steven Spielberg toca em algo incrivelmente especial com esta adaptação cinematográfica do popular romance de Ernest Cline. A ação e aventura polvilha tantas referências à cultura pop ao longo de seus 140 minutos de duração que é impossível capturá-las em uma única visualização. Na verdade, um dos elementos mais agradáveis de assisti-lo em um teatro lotado é ouvir membros da platéia reagirem a personagens/criaturas reconhecíveis quando aparecerem inesperadamente.

O filme é ambientado em 2045 e propõe um futuro em que todos escapam dos problemas de pobreza e superpopulação do mundo real ao entrar no OASIS, um mundo virtual onde você pode ser qualquer pessoa e fazer qualquer coisa. Wade Watts/Parzival (Tye Sheridan) e seus amigos (que ele não conheceu no mundo real) estão obcecados em ganhar um concurso criado pelo criador do OASIS, James Halliday (Mark Rylance). Antes de sua morte, Halliday criou uma caça ao tesouro dentro do OASIS, na qual os participantes devem procurar por três chaves escondidas. Quem vencer o desafio será recompensado com o controle sobre a fortuna de Halliday e sobre o OASIS.

A4

Wade cruza o OASIS em De Volta Para o Futuro DeLorean. Há várias referências a John Hughes e Robert Zemeckis, e até mesmo um T-Rex do Jurassic Park de Spielberg aparece em toda a sua glória de CGI. King Kong, um gremlin (ou talvez dois) e personagens de videogames populares (incluindo HALO) fazem parte do que só pode ser descrito como um geekfest cinematográfica. Além disso, The Shining está bem representado em uma das cenas mais memoráveis do filme. O que há de louco é que, quando o filme acabar, você vai esquecer pelo menos metade de quem você reconheceu e suas memórias não corresponderão à data de seu filme.

Tye Sheridan faz um ótimo trabalho ao liderar o elenco talentoso que inclui Mark Rylance, Olivia Cooke como Art3mis/Samantha, Lena Waithe como Aech/Helen, Philip Zhao como Sho, Win Morisaki como Daito, Simon Pegg como Ogden Morrow e TJ Miller como I-R0k Ben Mendelsohn lida com o papel de Sorrento, o principal vilão do filme, e abstém-se de interpretá-lo como um cara mau de bigode que ele poderia facilmente ter sido visto como exagerado no mundo de ficção científica em que o personagem existe.

O filme é como acordar na manhã de Natal para encontrar todos os seus brinquedos favoritos de anos passados, muitos dos quais você tinha esquecido, reunidos e apenas esperando para serem jogados. É incrível que o Jogador Nº1 seja capaz de abranger todas as faixas etárias e ambos os sexos. Nem todas as referências e personagens significam algo para todos os membros da audiência, mas isso não importa, porque se você não encontrar algo que outras pessoas na platéia estejam reagindo, a próxima cena provavelmente incluirá algo relacionado à sua faixa etária.

A2

Há uma quantidade surpreendente sentimento em Jogador Nº1, mas o filme não tenta colocar isso garganta abaixo com sua mensagem. Em vez disso, ele se preocupa mais com o entretenimento do público e mantém a história em um nível mais superficial no que diz respeito ao desenvolvimento do personagem. Ele não se aprofunda no porquê do OASIS existir e por que ele se tornou tão importante para a população da Terra.

Apesar do fato de que a história é toda fofa e sem preenchimento, Jogador Nº1 é o tipo de puro entretenimento de pipoca que precisamos ter neste momento. Escapismo na sua melhor maneira, o filme é um ótimo entretenimento familiar e que merece ser visto com seus colegas geeks em uma tela gigantesca.

Assista ao trailer do filme logo abaixo: