[FILMES] Verdade ou Desafio

verdade-ou-desafioDireção: Jeff Wadlow

Data de Lançamento: 03 de Maio de 2018

Elenço: Lucy Hale, Tyler Posey, Violett Beane, Landon Liboiron, Nolan Gerard Funk, Sophia Ali, Hayden Szeto e Brady Smith

Gênero: Terror/Suspense

Duração: 1h40min

Sinopse: Olivia e seu grupo de amigos de férias no México são convencidos a brincar de “Verdade ou Desafio”, em um prédio em ruínas, pelo misterioso Carter. Ao passar a maldição para os recém-conhecidos, Carter alerta o grupo sobre os riscos e regras do jogo, mas não é levado a sério até que essa presença demoníaca começa a assombrar os participantes — encurralados em uma trama de chantagens e perigos que parece conduzi-los a uma única saída: a morte.

A primeira coisa que me chamou atenção, e acho que pra muitos, é o nome do filme, afinal, quem nunca, pelo menos uma vez na vida, não já jogou Verdade ou Desafio com os amigos?! Justamente por ter um conhecimento sobre do que se trata o jogo, o espectador, vai com muita segurança no que espera e no potencial do filme como um todo.

Olivia (Lucy Hale) é aquela personagem típica de filmes adolescentes americanos. A menina perfeitinha, que tem um futuro brilhante pela frente e que ajuda os necessitados. Já Markie (Violett Beane) é aquele tipo “vamos viver e depois a gente vê isso”, melhor amiga de Olívia, e namora Lucas (Tyler Posey); Penelope (Sophia Ali) e Tyson (Nolan Gerard Funk) são o típico casal de filmes adolescentes, que chega a enjoar; por fim, Brad (Hayden Szeto)  é o amigo gay, que não tem coragem de contar para o pai.

Era a ultima viagem que eles fariam juntos, antes do destino separá-los pelo resto da vida, por isso não teria como faltar uma pessoa. Então Olivia, convencida/obrigada por Markie, vai para essa viagem. O que não pode faltar numa viagem de amigos? Isso mesmo, um rolê, e na ultima noite, Olivia é convencida por Carter (Landon Liboiron) a ir, junto com seus amigos, para um lugar (não façam isso amiguinhos, não vão na onda de um estranho) para estender a noite.

Film Title: Blumhouse's Truth or Dare

A partir dessa ida conhecemos os piores segredos de cada personagem, o que cada um esconde e que não poderá mais ser escondido, afinal eles tem de jogar o jogo, não por questões de querer saber sobre o segredo do amiguinho, mas por questões de sobrevivência, porque: se você não jogar você morre, se você não cumprir um desafio você morre. Essa é a maldição que liga os amigos com Carter e o que rege todo o filme, mas o misterioso Carter sumiu do nada e o jogo continua em suas vidas “normais”. Não adianta querer “enrolar” o jogo, ele sempre consegue colocar os jogadores em situações que não tem uma segunda opção, então algumas coisas tem de ser feitas.

Truth or Dare

Um dos meus problemas com o filme é um erro cometido que é bem visível: ele não é um filme de terror. Simplesmente. O que nos dá um placar negativo para a produtora Blumhouse, que também produziu Corra! (que, inclusive, eu fiquei muito mais apreensiva e tomei mais sustos). Não se pode, no entanto, colocar a culpa só na produtora, afinal a muito tempo não se faz um filme de terror que realmente seja de terror. Outro problema, o roteiro. Não tem como ele ser mais raso, e em momentos que ele traz assuntos que poderiam ser muito bem explorados, tipo o triângulo amoroso ou um passado marcante de uma personagem, ele faz de uma forma bem superficial. Então, o filme a acaba caindo em mais um filme adolescente, clichê, que os amigos tem de juntos encontrar, ou tentar, uma solução no fim.

Por mais que ele não compra com o que promete em alguns aspectos, se você está ali no shopping, bate aquela vontade de ver um filminho e não tem nenhum da lista prioridades em cartaz, Verdade ou desafio é uma opção pra você. De qualquer forma ele te prende e te faz querer ver no que isso vai dar no fim. Não é nenhuma maravilha da natureza, mas é ok. As atuações são um ponto positivo, Jeff Wadlow fez possível (e o impossível) pra fazer isso acontecer da melhor maneira e, em algumas cenas, a fotografia do lugar é muito boa.

Então, dê uma chance a Verdade ou Desafio. Como? Vendo o trailer aqui em baixo.

 

Anúncios

[Resenha] A Casa dos Pesadelos

Livro: A Casa dos Pesadelos

Autor: Marcus de Brito

Editora: Faro Editorial

Ano: 2018

Páginas: 143

Sinopse: Dez anos depois de estar cara a cara com aquela assombração, Tiago finalmente concorda em voltar à mesma casa para visitar sua avó. Agora adolescente, ele pretende provar para si mesmo, que a terrível imagem que o aterrorizara nas madrugadas por tanto tempo, não passava de uma criação tenebrosa da infância. Mas, ao chegar no casarão, o jovem se depara com o misterioso quarto de seu falecido avô, agora mantido fechado, e tratado como espaço proibido. As restrições com relação ao aposento, as sensações e barulhos no meio da noite logo alimentam nele a suspeita de que algo terrível habita o local. Tomado por uma estranha coragem e desejo de ver-se finalmente livre do medo, tudo que o rapaz deseja é descobrir o que há por trás daquela porta. Então, o pesadelo toma novo impulso quando a figura sombria da infância mostra-se real novamente… mas, desta vez, ela quer atacar o seu irmão mais novo. Determinado a impedir que o caçula passe por terror semelhante, Tiago, mesmo apavorado, decide enfrentar a criatura. E o que descobre expõe terríveis segredos do passado que ninguém poderia imaginar.

Tiago sofre a 10 anos com um trauma que mudou sua vida por completo.

Quando ainda era uma criança de apenas 6 anos, durante um final de semana na casa de sua avó, ele tem certeza absoluta de que foi atacado por uma criatura medonha, além da explicação humana. Durante os anos que se passaram, o jovem sofreu com o trauma, a dificuldade de dormir a noite e o medo constante do acontecido.

Porém chegou a hora de retornar para a casa de seus pesadelos, e tentar descobrir e enfrentar de uma vez por todas o monstro que lhe assombrou a vida inteira. Em um livro de tirar o fôlego, e com revelações inimagináveis, Marcus De Brito, constrói uma atmosfera de terror, que envolve o leitor em uma onde de questionamentos e ansiedade, sobre qual o real significado de monstro.

Eu sou um frouxo. Isso não é segredo pra ninguém.

Eu não consigo assistir um único filme de terror inteiro de olhos abertos, e mesmo esse livro tendo menos de 200 páginas, e nenhum efeito sonoro, eu conseguia ouvir a todo instante aquela música maldita de suspense tocando na minha cabeça. Por isso levei quase 3 dias lendo, e duas noite tendo pesadelo.

Vocês: – nossa Alê, então esse livro deve ser muito tenso!

Eu não sou referência para te responder isso. Qualquer livro de terror para mim, é um desespero. Mas vamo lá!

A Casa dos Pesadelos, nem é livro para começo de conversa. É um roteiro de filme de terror, da Tela Quente. A escrita do Marcus de Brito, é fluida e envolvente, de forma que constrói na mente do leitor uma atmosfera que vai além do terror, ela é repleta de ansiedade por um desfecho, por um confronto, para sair correndo e gritando.

Usando como alegoria a figura de um monstro horrendo, o autor aborda um assunto importante e muito mais recorrente do que deveria: abuso sexual. Pessoas vítimas de abuso sexual, ainda mais se forem muito novas, podem desenvolver bloqueios e imagens de subterfúgio para escapar do sofrimento do passado. Outro fator muito importante, é que na maioria dos casos de abuso sexual a crianças e adolescentes, o agressor está dentro de casa, sendo ele um dos membros da família do jovem em 80% dos casos registrados.

Tendo dito isso, vamos falar de edição:

Faro meu amor, vocês se superam a cada novo trabalho. Alem do já conhecido capricho com revisão e diagramação, e qualidade dos autores, essa obra de arte conta com ilustrações maravilhosas, que exercem um ótimo efeito durante a leitura.

Mesmo sendo um cagão para livros de terror, não vejo a hora de conhecer os outros livros do Marcus: “Condado Macabro” (que também é um filme), e “O Escravo da Capela”.

Super recomendo a leitura.