[Resenha] Os Segredos dos Olhos de Lady Clare

Livro: Os Segredos dos Olhos de Lady Clare
Autora: Carol Townend
Ano: 2018
Editora: Harlequin
Páginas: 288
Sinopse: Enquanto investiga a causa do aumento de bandidos em Troyes, sir Arthur Ferrer encontra a misteriosa Clare, uma possível filha ilegítima do conde de Fontaine, da Bretanha. Ele então percebe que ela pode ser a chave para a sua própria salvação.
A honra exige que Arthur a leve até o pai para que possa ser reconhecida mas o desejo prefere que ela fique em seus braços. Será possível conciliar honra e desejo?
A autora Carol Townend mais uma vez convida as leitoras para uma viagem inesquecível de volta a condados, cortes e reinos e às incríveis histórias de amor entre nobres da (nem tão) alta sociedade da época

Clara leva o leitor a um período medieval para narrar a vida da misteriosa Clare

Vivendo em eterno temor de se distanciar de onde vive a se esconder, Clare acaba por acompanha a jovem Nell ao Torneio da Noite de Reis, tentando esconder parte de seu pânico e passado como uma pária e escrava, nessa mesma ida ao evento de cavaleiros no torneio ela é dragada pela imprevisibilidade do destino devido a presença de um famoso e temível vendedor de escravos. Nesse meio tempo conhece Artur, um cavaleiro que fica atraído pelos olhos dispares dela, uma característica que ele já observou em outra pessoa, ele se demonstra disposto a ajudá-la a reencontrar seu verdadeiro eu a muito esquecido, porém ao que parece, presente em seus olhos, olhos esses peculiares e inesquecíveis, mesmo seus ruivos cabelos lhe conferem uma aparência destoante e como fugitiva do passado são como faróis para sua presença aonde vá.

Será que um dia conseguiria a liberdade? Algumas vezes, Clare era só dúvidas e tristeza. Aquele era um desses dias. Não importava o que fizesse, o pesadelo estava sempre rondando. As pessoas não conseguiam evitar fitar seus olhos destoantes, um azul acinzentado e outro verde. Olhos assim eram impossíveis de se esconder.

Mesmo se mostrando benevolente e disposto a ajudar Clare, Artur também possui um interesse pessoal em “resgatar” ela, porém com sua conturbada experiência sujeita a submissão contra a sua vontade, Clare teme que a boa vontade de Artur seja algum tipo de armadilha, só depois que ela cede e arrisca o seguir para descobrir quem ela pode ser e o que já foi, mas sempre atenta, sua timidez observada no início da trama vai dando lugar a uma mulher tenaz e auto consciente. Assim como Clare esconde cicatrizes, Artur mantém suas feridas ocultas e tenta remediá-las, pouco a pouco reconstruindo um novo objetivo, ele se descobre ainda mais envolvido com Clare a descoberta de que ela lhe é querida bem mais do que ele reconhecia no início da jornada deles é um avanço de aceitação e desafio.

Clare não era seu bem-querer. Um cavaleiro sem terras não tinha nada a oferecer a alguém como ela. Era preciso se lembrar do que havia acontecido com sua mãe, a maneira como fora marginalizada porque havia tido um filho fora do casamento. Isso não aconteceria com Clare.

Carol Towend tem um escrita apreciável e sua liberdade em desenvolver seus personagens no tempo certo é bem tecida, envolvendo dramas e mistérios torna o romance ainda mais atrativo para o desfrute de uma boa leitura, tanto Clare, quando Artur possuem seus espaços narrativos, tendo suas lamúrias e sentimentos expostos ao leitor com uma franqueza auto deliberada de cada um, não podem deixar o passado para trás, portanto necessitam de coragem para tentar um futuro.


Um romance medieval encantador de ler

Anúncios