[FILMES] MULHERES ALTERADAS

2Direção: Luis Pinheiro
Data de Lançamento: 21 de Junho de 2018
Elenco: Débora Secco, Alessandra Negrini, Maria Casadevall, Mônica Iozzi, Sérgio Guizé
Gênero: Comédia Romântica
Duração: 1h 35 minutos
Sinopse: Quatro mulheres enfrentam problemas bem particulares. O casamento de Keka com Dudu está em crise. Marinati é uma workaholic que se apaixona por Christian. Leandra sente-se insegura pelo fato de ainda não ter constituído família. Sônia está cansada da rotina doméstica e sonha com a época em que era solteira.

Baseado em uma trilogia de livros da escritora e cartonista argentina Maitena, o filme homônimo Mulheres Alteradas estreou na última quinta para retratar com um tanto de comédia a vida de quatro mulheres com personalidades e vidas diferentes mas que estão passando por problemas ao mesmo tempo.

Marinati, Alessandra Negrini, é viciada em trabalho e está no auge de sua carreira como advogada após pegar um caso de grande visibilidade que dará ainda mais conforto para sua vida. Levando seus funcionários a loucura trabalhando neste caso, tudo estava caoticamente bem até que ela conhece o sedutor Christian e sua vida desmorona, pois tudo o que ela consegue pensar é em ficar com ele.

Keka, interpretada por Débora Secco, é assistente de Marinati e está passando por uma crise no seu casamento com o mala do seu marido, Sérgio Guizé, e acredita que ir em viagem com ele mudará o rumo do seu casamento o os fará se reconectar novamente. mas não é muito bem isso que acontece.

Sônia, interpretada por Mônica Iozzi e sua irmã Leandra, Maria Casadevall, estão ambas tentando superar o tédio e o caos que suas vidas se encontram: enquanto uma está cansada da vida de doméstica e de não ter tempo para nada, apenas cuidar de seus filhos, a outra está cansada da rotina regada a festas e bebidas e acha que já está na hora de constituir uma família, o problema é que ela não leva jeito nenhum para isso.

3

O filme mostra essas quatro mulheres passando por perrengues enquanto tentam dar um rumo diferente às suas vidas, Marinati tenta focar no trabalho mas sempre acaba indo parar na cama com Christian. Keka não sabe mais o que fazer para manter o seu casamento em pé. Sônia e Leandra trocam uma noite para cada uma sentir o que é ficar no pé da outra, e enquanto uma tem a noite de sua vida, a outra tem a pior e mais cansativa.

Mulheres Alteradas é um filme que representa com uma dose de comédia a vida de milhares de brasileiras que com certeza se identificarão ao assistir o filme. Com um texto divertido,  Luis Pinheiro tenta trazer para o mais perto a realidade de nossas mulheres, mas ainda assim deixa uma gama bem grande delas do lado de fora. Talvez pela mania de a maioria de filmes brasileiros só tratarem de retratar a vida de mulheres brancas de classe média/alta em seus filmes, esquecendo das mulheres negras onde muitas delas passam por todos esses problemas individuais que as protagonistas desses filmes passam.

267731,930,80

E falando nelas, mulheres negras, é outro grande problema desse filme. Não há representação dessa grande camada da nossa sociedade nele, o que reflete em um problema maior que o nosso cinema nacional insiste em mostrar (ou não mostrar): a continuidade de filmes que só mostram mulheres negras e pobres em filmes com uma carga pesada emocional, ou simplesmente não mostram o cotidiano dessas mulheres.

Que o cinema nacional é branco padrão nós já sabemos, mas assistir esses filmes repetidos atrás de outro trás um certo cansaço e sentimento de que estamos sendo lesados com essa parte importante da sociedade sendo esquecida.

Mulheres Alteradas estreou na última quinta feira em todos as salas de cinema do Brasil.

Confira o trailer do filme logo abaixo:

 

 

[Resenha] Mais forte que o sol

Livro: Mais Forte que o Sol (Irmãs Lyndon #2)
Autora
: Julia Quinn
Tradução: Viviane Diniz
Ano: 2018
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Sinopse: Quando Charles Wycombe, o irresistível conde de Billington, cai de uma árvore – literalmente aos pés de Elllie Lyndon –, nenhum dos dois suspeita que esse encontro atrapalhado possa acabar em casamento.
Mas o conde precisa se casar antes de completar 30 anos, do contrário perderá sua fortuna. Ellie, por sua vez, tem que arranjar um marido ou a noiva intrometida e detestável de seu pai escolherá qualquer um para ela. Por isso o moço alto, bonito e galanteador que surge aparentemente do nada em sua vida parece ter caído do céu.
Charles e Ellie se entregam, então, a um casamento de conveniência, ela determinada a manter a independência e ele a continuar, na prática, como um homem solteiro.
No entanto, a química entre os dois é avassaladora e, enquanto um beijo leva a outro, a dupla improvável descobre que seu casamento não foi tão inconveniente assim, afinal…

Esse deve ser o romance de época mais hilário desse ano

O que acontece quando um homem adulto despenca de uma árvore quase em cima de você? Eleanor Lyndon pode responder essa, porque é quando o audaz conde de Billington, Charles, despenca quase em sua cabeça – não em seu colo, devo ratificar – que uma série de acontecimentos tornam a presença inesperada desse estranho e charmoso homem em sua vida, bastante oportuna, até mesmo a proposta precipitada de casamento que ela recebe desse estranho, lhe soa como algo familiar, uma negociação. Ainda solteira, Ellie mora com seu pai, também vigário local, um homem difícil e de opiniões rígidas, só que o pior está por vir:  o Sr. Lyndon está para casar, seria ótimo para Ellie ter uma madrasta após perder sua mãe e o recente casamento de sua irmã Victoria.

Leia mais »

[Resenha] Pós-Verdade

Livro: Pós- Verdade

Autor: Matthew D’Ancona

Editora: Faro Editorial

Ano: 2018

Páginas: 142

Sinopse: O QUE ACONTECE DE NOVO AGORA NÃO É A DESONESTIDADE DOS POLÍTICOS, MAS A RESPOSTA DO PÚBLICO EM RELAÇÃO A ISSO.

Bem-vindos à era da pós-verdade: uma época em que a arte da mentira está abalando as próprias fundações da democracia e do mundo como o conhecemos.

Neste livro surpreendente e revelador, a pós-verdade é diferenciada de uma longa tradição de mentiras políticas, mostrando o poder das novas tecnologias e das mídias sociais de manipularem, polarizarem e enraizarem opiniões.

Como podemos defender a verdade em uma época de mentiras, os chamados fatos alternativos?

Nesta obra, um dos mais respeitados jornalistas políticos britânicos investiga como chegamos até aqui, explica por que a resignação não é uma opção e revela como podemos e devemos nos defender e contra-atacar


A cada dia que passa fica mais difícil de acreditarmos de verdade nas notícias que circulam pela mídia. As famosas “Fake News” tomaram conta da rede, e distorcem e inventam novas verdades a cada segundo.

Agora mesmo por exemplo. Enquanto você está lendo esse artigo confiável, tenho certeza que você deve estar recebendo algum audio no WhatsApp sobre a Intervenção Militar, ou um texto que se você não compartilhar para 79 amigos vai te atrair alguma tragédia absurda.

Principalmente quando falamos de política, as Fake News se espalham aos montes, confundindo a cabeça dos leigos, e até de especialistas. Tomem como exemplo as várias notícias falsas ou de verdades auteradas ao redor do Brexit, da Eleição Trump, e da Prisão do Lula. Essa onda de Marketing Político das Fake News criam dúvidas na cabeça da população de massa, que por preguiça ou por confiar cegamente nos propagadores (“se tá na internet, então é verdade”) compartilha e defende tais notícias distorcidas como verdade absoluta.

Em seu livro “Pós-Verdade”, o jornalista britânico Matthew D’Ancona, discorre com um pensamento brilhante sobre a origem da era da Pós-Verdade e o surgimento da onda da Fake News, dissertando sobre todas as suas causas, consequências, e como combater e lidar com as notícias falsas.

Em um período político conturbado, onde dificilmente sabemos em quem devemos confiar, são obras como a D’Ancona, que vão direto ao ponto e abrem nossos olhos para como desviar e escaparmos de tantas novas “verdades absolutas” e “fatos concretos” que podem vir a fazer a diferença.

Nesse blog estamos muito acostumados a ver nossos parceiros da Faro Editorial, com romances e Thrillers, mas pela primeira vez tive o prazer de ver um conteúdo tão sério e importante, trabalhado com tanto cuidado e carinho, já tão característicos da edita.

“Pós-Verdade” é uma leitura que eu indico para aqueles que querem abrir os olhos e os horizontes. Afinal, não vale a pena confiar cegamente em tudo o que lemos por aí.