[Resenha] Asiáticos Podres de Ricos

Livro: Asiáticos Podres de Ricos

Autor: Kevin Kwan

Editora: Record

Páginas: 485

Ano: 2018

Sinopse: Best-seller internacional que inspirou uma das mais aguardadas adaptações cinematográficas do ano. Quando Rachel Chu chega a Cingapura com o namorado para o casamento de seu melhor amigo, imaginava passar dias tranquilos com uma simpática família. Só que Nick não mencionou alguns detalhes, como o fato de sua família ter muito, muito dinheiro, que ela viajaria mais em jatinhos particulares do que de carro e que caminhar de mãos dadas com um dos solteiros mais ricos da Ásia era como ter um alvo nas costas. Logo, Rachel percebe que não será poupada das fofocas e intrigas. Isso sem falar na mãe de Nick, uma mulher com opiniões bem fortes sobre com quem o filho deve – ou não – se casar. Um passeio pelos cenários mais exclusivos do Extremo Oriente – das luxuosas coberturas de Xangai às ilhas particulares do mar da China Meridional –, Asiáticos podres de ricos é uma visão do jet set oriental por dentro. Com seu olhar satírico, Kevin Kwan traça um retrato engraçadíssimo do conflito entre os novos-ricos e as famílias tradicionais em seu romance de estreia, que já fez milhares de leitores chorarem de tanto rir no mundo todo.

Rachel Chu leva uma vida tranquila em Nova York. Um bom trabalho, um namorado incrível, uma vida confortável. Seu namorado, Nick, também professor da mesma universidade que é tudo que ela sempre quis.

O que Rachel não sabe, é que Nick é um dos maiores herdeiros mais cobiçados de Cingapura. Na verdade, com o casamento de Collin Khoo se aproximando, Nick Young é de fato o principal solteiro de toda Ásia. Enquanto Rachel se prepara, para o que em sua cabeça, seria apenas uma viagem simples de férias, e o casamento do melhor amigo do seu namorado, Elleanor Young se prepara para para se livrar dessa CNA (Chinesa Nascida na América), que com certeza está de olho na fortuna de seu filho, e para isso ela não vai medir esforços (nem dinheiro) para conseguir o que for necessário para separar os dois.

Em uma impressionante mistura de Gossip Girl e Dinasty, “Asiáticos Podres de Ricos” é uma história hilária e contagiante, passando em cenários maravilhosos das ilhas asiáticas, em um universo onde o dinheiro muitas vezes pode ser mais importante que a felicidade.

De longe esse é um dos melhores livros do ano. Sério.

Eu sou muito viciado em séries que misturam universos luxuosos e intrigas, bem ao estilo Gossip Girl, Dinasty, Sex in the City, e é exatamente esse ritmo transmitido pelo autor Kevin Kwan. O autor construiu uma narrativa cativante e viciante, principalmente por intercalar os capítulos entre os personagens, dando uma amplitude ao leitor, sobre o real cenário e a situação como um todo, proporcionando momentos de tirar o fôlego com as reviravoltas da história.

A história nos dá personagens icônicos e com histórias dignas de livros próprios, como é o caso de Astrid Leong, prima do Nick. Uma personagem que ao meu , roubou toda a atenção para si, dentro do enredo. Estou aqui na torcida para que os outros livros dessa série sejam lançados no Brasil o quanto antes!

Asiáticos Podres de Ricos, foi o livro da VIB (VERY IMPORTANT BOOK) desse mês do Grupo Editorial Record, e o livro já está disponível na pré venda! A adaptação cinematográfica, deve chegar aos cinemas brasileiros em breve, e estaremos de olho nessa história incrível e apaixonante.

Anúncios

[Resenha] CORAGEM

Livro: Coragem

Autora: Rose McGowan

Editora: Harper Collins Brasil

Ano: 2018

Páginas: 271

Sinopse: ROSE McGOWAN nasceu em um culto e o trocou por outro, mais visível: Hollywood.Rose McGowan se tornou uma das atrizes mais desejadas de Hollywood da noite para o dia quando foi “descoberta” nas ruas de Los Angeles. O estrelato logo se tornou um pesadelo de exposição constante e sexualização. Todos os detalhes de sua vida pessoal se tornaram públicos, e as realidades de uma indústria inerentemente machista emergiam a cada roteiro, papel, aparição pública e capa de revista.Hollywood esperava que Rose ficasse quieta e cooperasse. Em vez disso, ela se rebelou e impôs sua verdadeira identidade e voz.
Ela reemergiu sem roteiros nem desculpas, corajosa, controversa e sempre verdadeira. Liderando o movimento de denúncias de assédio sexual na indústria de entretenimento ao expor os crimes de Harvey Weinstein, Rose é hoje um dos rostos do movimento feminista e não hesita ao disparar verdades inconvenientes e exigir mudanças.CORAGEM é seu livro de memórias em forma de manifesto – um relato sem censura nem piedade da ascensão de um ícone millennial, uma ativista sem medo e uma força de mudança imparável determinada a expor a verdade sobre a indústria do entretenimento, trazer à luz uma indústria multibilionária construída sobre a misoginia sistêmica e empoderar pessoas ao redor do mundo a acordarem e terem CORAGEM.

CORAGEM.
Essa é sem dúvidas a melhor palavra para definir Rose McGowan. A icônica atriz de Charmed, quebrou as amarras do medo e denunciou todos os abusos que sofreu durante a sua vida como atriz e tudo que Hollywood faz para controlar e determinar as vidas das pessoas.
Em uma narrativa curta, grossa e direta, a atriz toca na ferida da indústria, sem medo e sem vergonha contar sua história. Em épocas de #timeisup, e todos os protestos que as atrizes tem movimentado durante as premiações, CORAGEM vem para abrir os olhos de mulheres e homens, não só sobre o abuso na indústria cinematográfica, mas também para os casos dentro de todo o mercado de trabalho.

Durante toda sua vida, Rose fez parte de cultos. Fossem eles religiosos ou cultos a beleza e a mídia. Essa vivência proporcionou a ela uma nova perspectiva, mais ampla e completa sobre como a indústria produz e vende seu corpo, molda sua vida e distorce sua essência.

As ruas de Hollywood são pavimentadas sobre os corpos das vulneráveis, das prejudicadas, das enganadas e das feridas. Eu sei, eu quase fui uma delas.

A Harper Collins Brasil fez um trabalho brilhante, ao trazer esse livro tão importante é tão necessário para o Brasil. Todo o trabalho de edição e produção já tão característicos da editora fizeram jus a essa que na minha opinião deveria ser uma leitura obrigatória para todos aqueles que direcionam suas vidas em busca do estrelato e da fama.

Você pode até achar que o que acontece em Hollywood não a afeta, mas aí que você se engana. Minhas queridas, quem vocês acham que estão fazendo a curadoria da sua realidade?

Um livro lindo, pesado e firme no seu intuito de alertar e chamar a atenção das pessoas. Só lendo para entender! Vale muito a pena.

[Resenha] Hoje e Sempre

hoje_e_sempre_151813871014970sk1518138710b-2020576446.jpgLivro: Hoje e Sempre – Coleção MacGregor #5

Autora: Nora Roberts

Ano: 2018

Editora: Harlequin Books Brasil

Páginas: 192

Sinopse: Daniel MacGregor sempre soube que construiria um império. Por isso, aos 30 anos e trabalhando para conquistar seu segundo milhão, ele decide que é a hora certa de encontrar a mulher perfeita para casar e começar uma família. As melhores candidatas são aquelas de linhagem forte, silenciosas, bonitas e que queiram ficar em casa cuidando dos futuros filhos. Anna Whitfield não se encaixa nesse perfil. Ela é a única mulher da turma de medicina e aspira ser uma ótima cirurgiã. A última coisa que Anna deseja é se casar e ter filhos, pois isso iria interferir na sua dedicação à carreira médica. Mas Daniel não vai deixá-la fugir da atração que sentem, mesmo que para isso tenha que ignorar seus instintos que imploram por um casamento e aceitar a proposta de Anna de apenas morarem juntos. Essa situação será um escândalo que apenas o amor poderá superar! Finalizando o arco da família MacGregor, Hoje e sempre vai emocionar as leitoras com uma história controversa e repleta de amor!

Anna Whitfield sempre soube o que queria para sua vida. Em plena década de 40, ela lutava contra o preconceito e se dedicava de corpo e alma para seu sonho de ser médica. Enquanto todas as jovens da sociedade de Boston, procurava por bons casamentos com maridos ricos, Anna só pensava em terminar seu último ano de faculdade e iniciar uma residência.

– Mas amar…- Ela suspirou, lembrando-se. – é como um labirinto, Anna. Há curvas e becos sem saída. Você tem que continuar andando e confiando.

Daniel MacGregor é um homem de negócios, determinado. Aos 30 anos trabalha arduamente para conquistar seu segundo milhão tanto quanto trabalhou para conquistar o primeiro. Dono de varia empresas de sucesso, agora ele procura uma esposa, vinda de uma boa linhagem, que lhe dê bons herdeiros. Mas é na indomável Anna que ele encontra o amor e uma paixão tão intensos que fará tudo que for necessário para tê-la.

Embora tivesse nascido pobre, Daniel MacGregor não venerava o dinheiro. Ele o utilizava, empunhava e jogava com ele. Dinheiro era como o poder, e poder era como uma arma.

“Hoje e Sempre” é o quinto livro da coleção MacGregor, da autora best seller Nora Roberts. Uma história forte e envolvente que promete agarrar o leitor e fazê-lo se apaixonar de forma tão intensa quanto seus protagonistas.

– É tudo sobre amor e sorte, não é?

– A maioria das coisas é.

15212180821111689407865.jpg

SOCORRO QUE LIVRO É ESSE?!

Hoje e Sempre é um dos nossos primeiros recebidos em parceria com a Harlequin Books Brasil. E preciso dizer que fiquei muito confuso com esse livro, assim que o recebi.

Ele é o quinto livro da série, e como nos chegou sem maiores informações, ficou a dúvida se poderia ser lido fora de ordem, sem estregar a linearidade da história. Só por esse ponto já entrei em desespero, mas resolvi arriscar a leitura, afinal, é Nora Roberts. Não tinha como dar errado.

Todo assumimos riscos, Anna. Se estamos realmente vivendo.

Anna e Daniel MacGregor são os patriarcas do atual Clã MacGregor, e nesse livro vemos um história de amor divertida e cativante. Ambos possuem temperamento muito fortes e parecidos. Os dois são determinados, arrogantes e cabeça dura, o que torna a relação instigante e em diversos momentos hilária.

Mas de longe, o que mais me cativou no livro, foi a própria Anna e seu pensamento fortemente feminista em plena década de 40. A forma com ela se impunha diante de uma sociedade conservadora e enfrentava o preconceito por estar tentando carreira em uma profissão, tão tipicamente masculina. Até mesmo a forma como ela derrubava aos poucos o pensamento machista de seu amado Daniel.

Sobre a edição:

Se você esteve em uma caverna nos últimos meses, você ainda não sabe que a Harlequin Books, clássica editora dos romances de banca, está se repaginando e trazendo para as livrarias, seus clássicos de publicação como a Coleção MacGregor, edições belíssimas é muito bem repaginadas, desde sua arte de capa, ate um primoroso trabalho interno de edição e revisão.

Eu estou muito ansioso para continuar com a leitura dessa série e espero muito em breve poder conferir o que foi feito da vida do Clã MacGregor. Migos da Harlequin, vcs bem que ja podem mandar os outros livros dessa série!

[Resenha] Tudo Que Acontece Aqui Dentro: Cartas de Amor Nunca Rasgadas

tudo_que_acontece_aqui_dentro_1515700134746314sk1515700134b-1664970340.jpgLivro: Tudo que acontece aqui dentro: Cartas de amor nunca rasgadas

Autor: Júlio Hermann

Editora: Faro Editorial

Páginas: 190

Ano: 2018

Sinopse: Amar e afogarse com os próprios sentimentos e continuar respirando Tudo o que acontece aqui dentro é uma seleção de crônicas sobre o amor em seus diversos estágios, sobre aprender com as experiências da vida… tratase de um tipo de testamento das coisas do coração. É também um romance narrado pelas memórias de quem as viveu, por cartas que deveriam ter sido rasgadas, registros dos sentimentos pessoais de quem revelou bem mais de si que a maioria de todos nós. Uma das coisas mais bonitas é a maneira com que vamos enfeitando a alma enquanto esperamos alguém chegar “São cartas que escrevi enquanto ainda sentia a ferida arder. Os momentos felizes e os dias em que pensei que não iria aguentar”. Júlio tem um dom. Ele consegue exprimir sobre sentimentos com muita beleza e, ao compartilhar em escritos, permite que nós também possamos nomear o que muitas vezes sentimos e ficamos de algum modo aflitos, por não compreender. É o momento em que o nosso coração encontra a paz. Ele transforma o grito preso nas gargantas em literatura. São linhas que costuram o aprendizado sobre amor com o olhar de uma geração.

Tudo que acontece aqui dentro é mais um daqueles livros, que você vai ler e dizer: “Esse livro foi feito para mim”. Em uma coletânea de crônicas, o livro de estréia de Júlio Hermann, retrata diversas fazes de um relacionamento, do que sentimos e muitas vezes não temos coragem de dizer, aquelas insegurança e incertezas que habitam nossos corações a espera do momento certo de serem colocadas para fora, e que muitas vezes guardamos para gente.

Sentimentos e emoções são muito subliminares e várias vezes até confusos, enquanto eu vivia esse livro (a experiência foi maior que uma simples leitura), me encontrava e me perdia por entre as páginas, de forma a me envolver nos términos, começos e recomeços do narrador. Júlio traduz o coração dele e de todos nós entre suas crônicas cheias de amor e música.

A Playlist do livro, muito bem elaborada nos evolve e conduz pelas linha e parágrafos, nos transportando para dentro das crônicas.

O livro repete a fórmula fantástica de edição já vista em “O Verão em que tudo mudou”, com fontes confortáveis para leitura, impressão em tons de azul e rosa, e trechos dos textos com belíssima ilustrações.

É impossível ler esse livro em doses homeopáticas, um capítulo por dia, ou um sentimento por vez. Uma vez dentro do coração do autor você será arrebatado e devorará as 190 páginas em um piscar de olhos.

Júlio, obrigado por compartilhar conosco seu coração e tudo que acontece aí dentro.

[Resenha] Homem de Lata

Livro: Homem de Lata

Autor: Sarah Winman

Editora: Faro Editorial

Páginas: 160

Ano: 2018

Sinopse: Em 1963, Ellis e Michael eram dois garotos de doze anos que se tornaram grandes amigos. Durante muito tempo, sempre foram apenas os dois, andando pelas ruas de Oxford, um ensinando ao outro coisas como nadar, descobrir autores e livros e a esquivar-se dos punhos de seus pais dominadores. Até que um dia algo muito maior que uma grande amizade cresce entre eles. Mas então, avançamos cerca de uma década nesta história e encontramos Ellis, agora casado com Annie, e Michael não está mais por perto. O que leva à pergunta: o que aconteceu nos anos que se seguiram? Esta é quase uma história de amor. Mas seria muito simples defini-la assim.

A História de Ellis pode lhe parecer um pouco comum até. Faz alguns anos que ele perdeu a esposa em um acidente de carro, e hoje dedica sua vida ao trabalho.

Mas nós últimos dias tudo aquilo que sempre esteve na sua cabeça parece voltar a tona. A perda de sua mãe, sua amizade com Michael, seu amor por ele, a dor pela perda de Annie… E a grande questão: Porque ele Michael se afastaram?

Em Homem de Lata, encontramos uma história de amor, um drama, e uma história de vida, tudo junto e entrelaçado, com a missão de aquecer o coração dos leitores e arrancar suas lágrimas, tornando impossível não se apaixonar pelo Ellis.

Sarah Winman constrói uma história cheia de sentimentos, digna de um roteiro cinematográfico. Uma história bem construída e desenvolvida do começo ao fim, capaz de fazer os mais sérios chorarem (sério, minha mãe chorou. E olha que ela não chora nem descascando cebola), e os apaixonados se derreteram de amor.

A Faro Editorial nos trouxe esse livro para o Brasil, em uma edição belíssima super bem elaborada, como já é comum da editora, somando com um preço justo e acessível ao público.

Esperamos que muito em breve tenhamos mais livros dessa autora no Brasil, pois Sarah Winman já conquistou nossos corações!

[Resenha] Nevernight

nevernight_1496925073672288sk1496925074b-1664970340.jpgLivro: Nevernight

Autor: Jay Kristoff

Editora: Plataforma 21

Ano: 2017

Páginas: 608

Sinopse: histórias sobre Mia Corvere, nem todas verdadeiras. Alguns a chamam de Moça Branca. Ou a Faz-Rei. Ou o Corvo. A matadora de matadores. Mas, uma coisa é certa, você deveria temê-la.

Quando ela era criança, Darius Corvere – seu pai – foi acusado de insurreição contra a República de Itreya. Mia estava presente quando o carrasco puxou a alavanca, viu o rosto do pai se arroxeando e seus pés dançando à procura do chão, enquanto os cidadãos de Godsgrave gritavam “traidor, traidor, traidor”…

No mesmo dia, viu a mãe e o irmão caçula serem presos em nome de Aa, o Deus da Luz. E, embora os três sóis daquela terra não permitam que anoiteça por completo, uma escuridão digna de trevas tomou conta da menina. As sombras nunca mais a largaram.

Mia, agora com dezesseis anos, não se esqueceu daqueles que destruíram sua família. Deseja tirar a vida de todos eles. É por isso que ela quer se tornar uma serva da Igreja Vermelha – o mais mortal rebanho de assassinos de toda a República. O treinamento será árduo. Os professores não terão misericórdia. Não há espaço para amor ou amizade. Seus colegas e as provas poderão matá-la. Mas, se sobreviver até a iniciação, se for escolhida por Nossa Senhora do Bendito Assassinato… O maior massacre do qual se terá notícia poderá acontecer. Mia vai se vingar

Mia Covere viu seu pai ser enforcado diante dos seus olhos.

Não trema.

Viu sua mãe e seu irmão, ainda bebê serem levados, pelos lumiinati para a prisão na pedra filosofal.

Não tema.

Viu sua vida, ser destruída por aqueles que pregavam estar fazendo a justiça divina. E agora ela vai se vingar.

Nunca esqueça.

Depois de anos sendo treina pelo velho Mercúrio, pelas ruas e vielas de Godsgrave, chegou a hora Mia ir em busca da sua vingança. Mas para isso, primeiro ela precisa se tornar uma Lâmina da Igreja Vermelha, devota de Nossa Senhora do Bendito Assassino, uma antiga organização secreta, que forma os melhores assassinos da história de Iterya. Mas para isso ela deverá passar por várias provas e testes, muitos deles fatais, e mostrar que existe uma diferença entre ser feita de ferro e ser feita de vidro.

Eu sou aço.

Em Nevernight, vamos acompanhar a trajetória da Moça Branca e sua jornada para fazer justiça e se vingar daqueles que arruinaram sua vida (ou seriam aqueles que lhe deram um propósito para o qual viver?). Entre aulas mortais, inimizades, desejos e a luta pela sobrevivência, Mia enfrentará muitos inimigos, e até a si mesma, no primeiro volume dessa trilogia que promete arrancar seu fôlego do começo ao fim.

Quando sangue é tudo, tudo é sangue.

Antes de qualquer coisa preciso muito agradecer a Nick Mafra (@nickmafra), e a Julianne Viturini (@julianevituri) por me influenciarem digitalmente a ponto de eu ficar semanas desesperado atrás desse livro.

A idéia inicial era acompanhar a leitura coletiva do The Buddy Reads (@thebuddyreads), dois capítulos por dia, do dia 10/03 até dia 30/03, porém já nos primeiros capítulos ficou muito claro para mim que seria impossível acompanhar esse calendário dada a narrativa e enredo tão envolventes a ponto de me fazer passar o dia pensando apenas no livro.

O livro possui personagens super cativantes, entre eles e na minha opinião o melhor deles, o narrador com seus comentários sarcásticos e instigantes. Jay Kristoff criou um universo envolto em intrigas políticas e fanatismo religioso, com uma protagonista que possui um crescimento evidente em seu objetivo e sobre quem ela é. Outro fato interessante que me tirava o folego a cada capitulo eram os flashbacks da infancia de Mia, nos dando uma nova perspectiva de como foi o surgimento daquela que se tornaria a Matadora de matadores. Como um bom livro voltado para o publico adolescente, não poderia faltar um relacionamento  amoroso entre a nossa protagonista e um belo rapaz.

Já faz algum tempo que um livro não me instiga dessa forma, me fazendo desejar e sofrer pelos próximos volumes. Nos últimos anos, apenas a Cassandra Clare conseguiu tal proeza. Mas posso garantir, que a partir de hoje, o Jay Kristoff já possui um lugar cativo na minha estante.

Agora precisamos falar sobre edição. Já conhecendo outros livros da Plataforma 21, esperava um trabalho gráfico e de edição que valesse a pena o preço de capa que pagamos pelo livro. Nevernight, tem diversos defeitos que não condizem com o valor que pagamos por ele (R$49,90):

  1. – Páginas Brancas, finas e transparente de baixa qualidade;
  2. – Fontes pequenas, que nos trechos em itálico proporcionam a míopes como eu, dores de cabeça e talvez uma visita ao oftalmologista;
  3. – Esse último tópico pode ser um excepcional do meu exemplar, vale ser pontuado: Páginas grudadas.

Tirando esse itens direcionados unicamente a edição brasileira, eu super recomendo a vocês a leitura de Nevernight. Mas leiam com a certeza de irão se apaixonar e contar os segundos até o lançamento de Godsgrave, segundo livro da série em Junho!

[Resenha] Um Vento à Porta

um_vento_a_porta_1516642819748400sk1516642819bLivro: Um Vento à Porta – #IrmãosMurry02

Autora: Medaleine L’Engle

Ano: 2018

Editora: Harper Collins Brasil

Páginas: 224

Sinopse: Charles Wallace está em perigo. E o mundo todo também.
Quando a família Murry pensava que os problemas haviam terminado, um novo desafio surge. Charles Wallace agora tem seis anos de idade e na escola o menino se tornou um problema. Sofrendo bullying constante, Meg acha que o novo diretor da escola deveria ser responsável pelo menino, mas Charles Wallace fica terrivelmente doente antes que ela possa ajudá-lo.
Mas há algo estranho acontecendo. Charles Wallace diz a Meg que há dragões no quintal de casa e ela descobre que os dragões na verdade são Proginoskes, querubins feitos de asas, vento e chamas. E mais uma vez este é só o começo de uma nova aventura, onde Meg e seu amigo Calvin precisam correr contra o tempo para salvar seu irmãozinho. E, para fazer isso, eles devem partir em uma viagem para dentro do corpo do menino e lutar para restaurar a brilhante harmonia do universo.
Junte-se a Meg, Calvin e Charles Wallace nesta nova aventura repleta de seres incomuns, mundos novos e muitos heróis que precisam ultrapassar seus medos para salvar o mundo!

Os Irmãos Murry estão de volta! Algum tempo se passou desde a última aventura narrada em Uma Dobra No Tempo, e agora o jovem Charles Wallace, com 6 anos, sofre com bullying no colégio pelo seu jeito peculiar e especial de ser. Meg, fica extremamente preocupada e se sente na obrigação de fazer algo para ajudar seu irmãozinho.

Em meio a tudo isso, Charles Wallace que está a cada dia mais adoentado, afirma ver dragões na horta do dos gêmeos. A vida dos Irmãos Murry, nunca foi normal, e dessa vez não seria diferente. Agora, Meg precisa embarcar em uma aventura ainda mais importante, uma aventura para salvar a vida de Charles Wallace.

O que é real?

Mais uma vez, Madeleine L’Engle usa da simplicidade da escrita voltada ao público infato-juvenil, para nos dar uma grande aula de que o que mais falta no mundo é o amor. Não apenas o amor para com o próximo, mas o amor próprio, o amor ao coletivo. A ideia de que sozinhos não podemos fazer muito, mas juntos podemos mudar o mundo, salvar uma galáxia, uma vida. Como já característico das obras da senhora L’Engle, a grande mensagem se mistura com a ficção científica, dando ao leitor doses homeopáticas de lições de vida.

– Eu os abraço! – gritou ela. – Eu amo vocês, eu Nomeio vocês. Eu os Nomeio, Ectroi. Vocês não são nada. Vocês são.

O livro, assim como Uma Dobra No Tempo, traz uma edição brilhante, com uma capa incrível e um projeto de edição e revisão muito bem preparados. Se você ainda não leu, confira a nossa resenha de Uma Dobra No Tempo.

Ficamos na expectativa é ansiedade para o lançamento dos próximos títulos, dessa que já se tornou umas das minhas séries favoritas.