[Anime] Julgando um anime pela abertura

As músicas são marcantes e a melhor forma de comunicação, por sua facilidade atrelada a uma melodia que envolve o ouvinte, em animes as aberturas e encerramentos são bem… tão bem pensados que deixam uma marca de quem curte o gênero, inclusive muitas delas são parte da infância de uma enormidade de pessoas, as clássicas como Pegasus Fantasy – só o hino da minha vida – de Cavaleiros do Zodíaco, Guerreiras Mágicas de Guerreiras Mágicas de Rayearth, mas são só as nacionais? Não, as japonesas tem espaço também e a lista de hoje é composta de indicações dedicadas à elas:

Sakamoto desu ga?

Com um protagonista totalmente cool, cooler, coolest, Sakamoto mais do que digno de uma abertura arrebatadora, chega dá vontade de soltar o som e viver de repeat por dias a fio.

Shingenki no Kyojin (TODAASS!!)

Depois do retorno brutal do anime para a 2ª temporada, simplesmente aconteceu de dar uma vontade insana de rever o anime todo e ainda maior de rever as aberturas, a abertura da primeira metade da 1ª temporada é a mais eletrizante, a da 2ª temporada foi um momento de choque pelo tempo espera para o retorno do anime, mas 2 semanas depois já estava a plenos “Sasageyo, sasageyo, sinto wo sasageyo!”

HaNaYaMaTa

Esse é um dos animes mais fofos e animados que já assisti, desde o enredo e interação das personagens um sentimento de amizade é crescente e na abertura isso fico bem claro, inclusive transpassando um agradável vontade de ter amigos ao redor, de ser só pessoas, uma abertura dessa é só amor!

Noragami (Não sou capaz de opinar!!)

Se alguém deixar escapar que pula as aberturas de Noragami, sinceramente, eu mesma já excluo de qualquer laço próximo, é não respeitar o herói, ninguém em sã consciência pula esse começo magnífico.

Kuroko no Basket

São várias aberturas para esse anime, todas são maravilhosas, porém fiz questão de selecionar a favorita, porque esse anime o que tem de ótimo conteúdo e adrenalina, tem de boas aberturas e encerramentos, te desafio a negar essa maravilhosidade musical!

Yuri!!! On ice

Essa maravilha que dilacerou corações ao redor do mundo tinha que estar nessa lista, só esse começo é uma conquista certeira para ver o anime e ainda cantar a música a plenos pulmões – inclusive recomendo – fazer uma coreografia na pista de patinação de gelo.

Kaichou wa maid-sama

Somente o meu shoujo favorito e claro uma abertura marcante ganha logo espaço naquela lista de mais amadas para todo o sempre, uma vontade de chorar e cantar loucamente acomete qualquer fã de Kaichou!

Shiki

Quando o anime é de terror, o impacto da abertura começa a invadir até o psicológico, com sutis toques do que terá na trama, Shiki retrata um realidade onde vampiros são devastadores estratégicos e os humanos são presas a serem seduzidas e enlaçadas por esse “charme” sanguinário.

Anúncios

[Mangá] Ghost in the Shell

O mangá cyberpunk Ghost in the shell, é uma trama intricada de ficção científica a frente de seu tempo, como seu nome sugere, “fantasma na casca”, em que interpretando o contexto se trata de consciência em um corpo sintético, ghost, a consciência é aquela em que os humanos possuem e o sintético, shell, fica por conta da máquina, do inorgânico.

major gifPor volta de 1989, a autor Masamune Shirow idealizou o mundo em 2029, onde a tecnologia seria parte do ser humano e não somente um criação da humanidade, em que partes do corpo podem ser facilmente substituídas por peças inorgânicas, aprimoradas, as pessoas possuem a capacidade de fazer transferência e leitura de dados por dispositivos instalados na região da cabeça e nuca. Contudo, como todo grande avanço, existe o nascimento de um novo risco, os hackers estão com mais espaço e crimes cibernéticos podem levar a morte direta, sem falar na possibilidade de invasão do cérebro alheio e manipulação de memórias de qualquer um, basta ter o acesso, por outro lado “surge” novos indivíduos, os mais singulares em aprimoramento, os ciborgues.

Como o título sugere, a consciência em um corpo robótico, é um ciborgue, na obra, especificamente a protagonista, Motoko Kusanagi, mais conhecida como Major e a mais impiedosa investigadora e resolutora de crimes cibernéticos – o terrorismo do futuro -, ou até mesmo rebeliões das mais avançadas produções tecnológicas, em que o temor a se tornar berserk (produto ultrapassado) afeta a inteligência de alguns robôs e reações agressivas podem pôr em risco o equilíbrio raso de humanidade e tecnologia (para referência, a obra Eu, Robô, possui basicamente essa premissa).

Somente com sua consciência humana em um corpo totalmente aprimorado, Motoko é uma unidade que supera as máquinas e os humanos, a combinação de força de uma máquina e raciocínio humano a tornam letal, a sua falta de tato sentimental a torna fria para muitos, porém a característica calculista dela a põe a frente, para se afeiçoar a ela como um leitor exige mais dedicação do que em um personagem usual, a Major é como uma união de comandos, mas é quando sua insegurança quanto ao seu encaixe no mundo que a torna mais tangível surgem na superfície, que ela demonstra sua humanidade, além de suas interações com o sempre presente companheiro de equipe Batou, que junto a Aramaki sempre marca presença na obra junto a Kusanagi, mesmo nas produções baseadas nesse enredo.

Mais um ponto muito positivo para o mangá são os personagens, que por sua vez são bem construídos e se envolvem na trama com suas características próprias de forma a equilibrar a própria personalidade da Kusanagi. Como citei o Batou acima, ele é humano e possui aprimoramento nos olhos, as poucas vezes em que ela demonstra certa redutibilidade é na presença dele, por vê-lo como o mais próximo de um amigo, Shirow não só criou uma personagem feminina sólida, como também desenvolveu personagens secundários marcantes, um universo completo que após escapar da influência de se tornar uma obra com fan service desnecessário como vemos em muitas HQ’s, se eternizou também como inspiradora para a saga Matrix, isso é poder, meus caros!

Nunca existiram relatos de dores de barriga, ou outro tipo de condição médica relacionados com o fato de alguém engolir o seu próprio orgulho. – Daisuke Aramaki, Ghost in the shell – 1995

O sucesso do sci-fi foi tal que conta com uma vasta seleção de produções, adaptadas ou baseadas no enredo de Shirow, segue a impressionante lista:

  • Ghost in the shell – 1995 (Filme)
  • Ghost in the Shell 2: Innocence – 2004 (Filme)
  • Ghost in the shell 2.0 – 2008 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Stand Alone Complex – 2002 a 2003 (Anime)
  • Ghost in the Shell: Stand Alone Complex 2nd GIG -2005 (Anime)
  • Ghost in the Shell: Stand Alone Complex – Solid State Society – 2006 (OVA)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:1 Ghost Pain – 2013 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:2 Ghost Whispers – 2013 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:3 Ghost Tears – 2014 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:4 Ghost Stands Alone – 2014 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Alternative Architecture – 2015 (Anime)
  • Ghost in the Shell – 2015 (Filme)
  • A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell – 2017 (Filme)

Versoes da MajorAcha que está pouco? Calma, pois o estúdio Production I.G anunciou a produção de mais um anime para o universo de Masamune Shirow, sob direção de Kenji Kamiyama (Ghost in the Shell: Stand Alone Complex) e Shinji Aramaki (Captain Harlock e Appleseed).

Live-action A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell:

No longa de 2017, a produção não decepciona – mesmo após o escândalo envolvendo whitewashing – Scarlet é apresentada como a ciborgue que faz parte do Setor 9, Miura, Major Miura, setor responsável pelo combate de crimes cibernéticos, que em suas memórias tem um passado turbulento que a fez perder sua família e seu corpo orgânico.

Com uma boa dose de referências retiradas da animação original de 1995, o filme retoma a faceta de uma protagonista durona, sem meios termos e direta, em companhia da equipe de membros da Seção 9 que trabalha junto com ela, com destaque bastante assertivo em Batou, o mais próximo dela e capaz de trazer à tona reações emotivas da Major, desde que a personalidade sólida e rígida da personagem remete a condição de ciborgue da mesma, sendo o seu ghost ainda não o bastante para lhe conferir mais humanidade nas reações, menos ainda nas ações, o andar se destaca pela artificialidade dos trejeitos.

As divergências mais explícitas do mangá para o filme de 2017 ficam por parte da centralidade do enredo, enquanto Ghost in the shell mantém o foco no drama político em contraposição aos avanços cibernéticos, em A Vigilante do Amanhã, é a própria tecnologia que assume esse papel como trama principal. A citação como Motoko Kusanagi, nome original da personagem só vem a tona em meio ao desenvolvimento da trama, o que convenientemente serviu como uma forma de justificar a troca na nacionalidade da atriz que interpreta a Major

Major 2017O cenário do filme com certeza merece toda a atenção, desde que um futuro “surrealista” compõe tudo o que perpassa do mundo da trama, os efeitos convencem e deslumbram – principalmente uma pessoa como eu que não é uma expert em CGI – pela boa representação, desde aos anúncios tecnológicos, como a realidade virtual que faz parte da rotina humana. Cenas marcantes como o uso da tecnologia de camuflagem termo-ótica, são presenças marcantes no filme e claro tem todo o seu destaque como um grande marco de presença da Major.

Pessoalmente, fiquei surpresa com o filme, não esperava que fosse ser bom, no entanto me vi fissurada pelos marcos da trama original surgindo e da animação de 1995, o filme não só foi bem construído no termo geral, como a produção teve o cuidado de adaptar a concepção do mundo intelectualizado de Shirow em 1989, o cenário mais tangível com o realidade tecnológica atual permeou uma reflexão magistral, recomendo o filme para quem é fã do mangá, do filme de 95 também, é um deleite de lembranças e para os curiosos, se tiver aquela companhia que já viu o original ainda melhor, vai ser uma troca magnânima com toda a certeza.

[Anime] Shoujos de Comédia Romântica

Se é para rir então um anime é ótimo, mas um anime que misture romance e comédia? É MELHOR AINDA!

Como uma viciada em animes que sou, decide juntar alguns dos mais hilários shoujos, além dos consagrados, Kaichou wa Maid-sama, Ouran High School Host ClubTonari no Kaibutsu-kun e Toradora de todos os tempos nessa lista que está a um passo de um ataque histérico de risos.

  • Bokura wa Minna Kawaisou

O colegial Usa, começa uma nova fase de sua vida, vivendo como um jovem solteiro em complexo, a sonhada vida pacífica de Usa começa a afundar em decadência quando descobre que a sua tão sonhada moradia não tem nada de normal, além da senhoria que vive também no complexo, ele divide quarto com um pervertido com tendências para o sadomasoquismo, uma excêntrica mulher com um histórico amoroso tenebroso e uma mulher que por enquanto lhe parece normal (?) no meio de tantas pessoas distintas, no entanto o que atrai Usa a permanecer no meio dessa loucura é uma garota de seu colégio, a senpai Ritsu é uma leitora ávida e o amor a primeira vista de Usa, que se esforça para estar na companhia dela.

  • Gekkan Shoujo Nozaki-kun

Chiyo Sakura é apaixonada gekkan shoujopor Umetarou Nozaki, decidida, ela se confessa para ele, porém, sua forma equivocada de se expressar desencadeia uma série de acontecimentos inesperados, começando com: Nozaki convidando-a para sua casa, logo após lhe dar seu autógrafo! Com o decorrer do tempo, Sakura conhece Nozaki além do colegial calmo e descobre que o amor das está nas cartas quando se trata dele, enquanto se envolve com novas companhias e assistentes de Nozaki.

  • B Gata H Kei

A colegial Yamada possui um objetivo: ter 100 amigos de sexo durante sua temporada no colégio. Bonita e popular, para Yamada a virgindade é um estorvo do qual ela precisa de livrar para atingir sua meta. Mesmo com uma imaginação fértil quando se trata de perversão, a doce Yamada demonstra uma nova personalidade quando em frente aos garotos, para acabar com isso ela traça um plano de encontrar um garoto em que ela possa se impor sem se abalar para ter logo sua primeira vez e quem acaba por se tornar sua vítima é Kousuda Takashi, seu singelo colega de classe.

  • Special A

Hanazono Hikari e Takishima Kei, são bem mais que amigos de infância, eles são rivais em uma acirrada competição para determinar quem é o nº 1, que quase sempre termina com a vitória do excepcional Takishima. Até Kei perceber que a companhia e eloquência de Hikari é o melhor de sua vida no colegial, já ciente de seus próprios sentimentos, ele sabe que Hikari é focada na rivalidade dos dois, além de inocente, a aparente brutalidade dela não permite que ela perceba o que Kei sente.

  • Ore Monogatari!!

Takeo Gouda é kouhai no colégio Shuei, apesar da aparência para lá madura, ele passa seus dias pacificamente com seu amigo de infância, o popular e insensível, Sunagawa. Uma manhã, no trem para a escola, Takeo salva uma linda garota, Yamato, de ser molestada por um pervertido. Seria esse o começo da primavera para Takeo? Que mesmo com a brutalidade na aparência, Takeo é uma pessoa sensível e disposto a se entregar ao amor.


E por hoje só boas risadas!

[Variedades] Os queridinhos de 2017!!

Nosso último encontro de 2016!

O ano está na reta final definitivamente e a sensação de novo tempo com aquela nostalgia fica a mil, a renovação chega – as coisas inacabadas do ano anterior permanecem – a vida segue, pessoalmente a expectativa do novo ano paira no quesito de tudo o que poderia aproveitar,  e hoje estrelando meus queridos lançamentos previstos para 2017!

Afinal só é disponibilizar o ano do lançamento que o meu ânimo fica nas alturas, quando finalmente chega o tal ano? Pronto, é vontade de sair por aí dando muitas piruetas – não me segura, pois estou descontrolada –  e para mostrar um pedaço desse meu paraíso, trago os animes que mais espero para esse ano que está na porta – uma lista resumida é claro – e minhas recomendações desde já!

  • Ao no Exorcist

ao no exorcistDepois de anos do lançamento do anime lá em 2011, esse ano a surpresa com o trailer de uma nova produção do universo de Blue Exorcist foi o suficiente para deixar muitos na expectativa e aguardo das novas aventuras do meio demônio Rin e seu irmão gêmeo Yukio.

A narrativa de Ao no Exorcist revela uma realidade em que este mundo é composto de duas dimensões que se juntaram formando apenas uma, como um espelho. O primeiro é o mundo em que os seres humanos vivem, Assiah. O outro é o mundo dos demônios, Gehenna. Normalmente, as viagens entre os dois, na verdade qualquer tipo de contato entre os dois, é impossível. No entanto, os demônios podem passar para este mundo por possuir qualquer coisa que existe dentro dele. Satanás, o deus dos demônios, há uma coisa que ele não tem, e isso é uma substância no mundo humano que é poderosa o suficiente para contê-lo! Para o efeito, criou Rin, seu filho de uma mulher humana, mas seu filho concorda com seus planos? Ou ele vai se tornar algo mais…? Um exorcista?

Informação para satisfação: Tem na Netflix!

  • Kuroko no Basket

Para quem diz que não gosta de esportes, bem, te desafio a ver esse anime, não consigo definir melhor do que dizendo: É PURA EMOÇÃO! ~Pronto falei~ Seja para um fã de shounen ou de fantasia e até mesmo de shoujo, a trama que gira em torno da trajetória de Tetsuya Kuroko um membro da Kiseki no Sedai (Geração dos Milagres) e sua vida se envolvendo com o basquete e os obstáculos enfrentados por ele e seus companheiros,  é uma ótima pedida, a mistura sensacional de esporte, suspense, drama e comédia fazem do anime uma produção para qualquer personalidade, ocasião, humor, não importa o que seja, acompanhar a vida e o amadurecimento dos personagens é viciante.

Já com três temporadas lançadas ‘e vários extras, o longa vai estrear nas telonas japonesas em 18 de março de 2017, dá para ver um dos trailers clicando aqui, sinta a emoção!

  • Kaichou wa Maid-sama

Como já deve ser claro a essa altura do campeonato, sou uma apreciadora descomunal de shoujo e esse é definitivamente um ocupante permanente no meu pódio de favoritos, quando a mangaká Hiro Fujiwara anunciou um lançamento especial do mangá para 2017 pela LaLa DX, foi a festa –  na verdade continua sendo! – então que venha a data: 10 de fevereiro!

A história gira em torno da presidente do grêmio estudantil Ayuzawa Misaki, super rigorosa com o comportamento dos outros alunos. Por problemas financeiros pessoais, ela precisa trabalhar como maid em uma lanchonete, e é descoberta por alguns rivais e de quebra o maior galã do colégio. Entretanto a tenacidade de Ayuzawa é uma contraposição do jeito manso de Usui Takumi – ME NOTA SENPAI! -, enquanto ela quiser tornar o colégio, antes só para garotos, um lugar confortável para as garotas, Misaki vai lutar com todo o seu potencial para balancear o bem estar e o respeito entre os alunos.

  • Kuroshitsuji (Lembra que eu falei loucamente sobre a série desse mangá aqui?)

KuroshitsujiA bordo de um navio, começam a serem efetivados diversos casos de ressurreição começam a acontecer, com circunstâncias similares aos que ocorrem em um hospital na Inglaterra e impactou no aumento do tráfico de humanos no mercado negro, sendo disposto a Sebastian colher provas substanciais sobre uma possível sociedade secreta que realiza espetáculos envolvendo corpos e as tais possíveis ressurreições, o que leva a Ciel a se infiltrar e ver o fato pessoalmente. Quando a suspeita do envolvimento de seres sobrenaturais abala as conclusões de Sebastian e Ciel, ambos tentam correr contra o tempo para manter o cruzeiro os pessoas a bordo, incluindo Lady Elizabeth e sua família.

A estreia para os cinemas japoneses está prevista para 21 janeiro de 2017, mas fã que é fã já se prepara e conta os dias sempre e para quem quer saber mais sobre o lançamento, tem o trailer aqui!

  • Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)

A segunda temporada do anime que ascende em popularidade – merecido! – já está sendo aguardada a anos pelos fãs, finalmente foi divulgado o esperado trailer, da sequência, ao que tudo indica a nova temporada é esperada para Abril de 2017!

Há muito tempo atrás, os humanos foram quase exterminados pelos Titãs. Seres humanoides gigantes que devoram as pessoas sem nenhum motivo aparente. Os poucos sobreviventes fugiram, levantaram muralhas de 50 metros para se protegerem desses seres e tentarem viver em paz… Porém, 100 anos depois, a humanidade começa a pagar por seus anos de paz: um titã colossal aparece, destruindo a muralha e dando início a um cenário de carnificina e destruição. É nesse momento em que as vidas de Eren, Mikasa e Armin serão mudadas para sempre. E assim começa uma batalha épica entre a raça humana e esses seres. A busca pela sobrevivência e o desejo de liberdade são o que movem a humanidade.

  • Netsuzou Trap

GLAssumo que GL (Girl’s Love) é aquele affair da vida e com Netsuzou Trap não é diferente, esse ano foram divulgadas as informações sobre a adaptação da obra, que em conjunto com Citrus é um forte nome desse gênero literário.

Yuma e Hotaru são amigas de infância e vizinhas, embora ambas têm namorados, Hotaru vive beijando e seduzindo Yuma de brincadeira. Apesar de manter o que acontece entre elas em segredo, Yuma começa a ficar confusa sobre seus verdadeiros sentimentos.

  • Wotaku ni Koi wa Muzukashii

A vez do mangá que adoro, Wotaku ni Koi wa Muzukashii (É difícil a paixão para um otaku) atualmente está em seu 2º volume, com uma periodicidade de 1 volume por ano! POR ANO! Como consigo lidar com isso? Releio toda a hora quando sinto aquela saudade, vale a pena, comprovando com o fato de ser ainda tão precoce já ter conseguido o primeiro lugar no pódio de melhor mangá shoujo/josei em 2015 pela Kono Manga ga Sugoi! com apenas um volume lançado na época.

Com uma narrativa muito engraçada e cheia de referências do universo otaku (a relação de um casal otaku é assim, Sailor Moon e muito Dragon Ball), o enredo discorre sobre a relação entre Narumi, uma funcionária de empresa com um lado fujoshi nem tão oculto assim e Hirutaka, um homem de boa aparência (o ikemen dos meus sonhos!) e eficiente, um otaku com vício em games, sem falar nos amigos de trabalho e pessoais dos dois que são o quê? Otakus!


Para fechar o meu ano, faço todas essas suculentas recomendações a vocês, um super cheiro e até logo ^^

felicidade

[Animes] Um amor chamado: Yuri!!! on Ice

E cá estou outra vez!

O meu queridinho da temporada de outono japonesa é uma obra prima deliciosa, sobre patinação no gelo – com direito a comédia -, Yuri!!! on ice narra uma fase épica da carreira como competidor do japonês Yuuri Katsuki, que após uma derrota perde o ânimo quanto a sua capacidade no gelo, todavia, um vídeo seu reproduzindo o programa do renomado e campeão russo Victor Nikiforov é o início de uma grande revira volta para o desacreditado Yuuri.

Mas não para por aí, o anime é singular em diversos aspectos, primeiro de tudo a quebra de tabus, não se caracterizando – na minha concepção – como um Yaoi/ BL convencionais, que por costume retratam um viés homoerótico de um relacionamento, as deixas da produção fazem referências a sexualidade dos personagens principais, mas não é o foco principal, é um anime de esporte e superação entrelaçando de forma impressionante com a liberdade de expressão de personagens como Yuuri que não possui uma limitação de gênero e expressão da identidade do “eu” patinando perante ao público não se limita ao simplista, os personagens são patinadores, são artistas, se reinventam e se transformam a cada apresentação e desafio, levando quem assiste ao êxtase da expectativa e aqui vai alguns dos pontos que fazem de ver o anime um experiência única:

1. O traço é LIN-DO!

Japao e tailandia
Yuuri (Japão) e Pichit (Tailândia)

Não importa o quê, o enredo tem que ser muito bom para suprir um traço mais ou menos, mas no anime ambos se complementam, existem aquelas falhas comuns em animes, porém em um em que o movimento é a base principal é uma superação manter uma qualidade constante.

As características de cada personagem também são exploradas para destacar pontos cruciais, o primeiro deles, a nacionalidade, desde que a competição é multinacional existem vários patinadores de diferentes nações e cada país possui distinção em alguma característica, dessa forma cada personagem representa o país que representa com traços específicos de cada qual.

2. Dá para aprender alguma palavras em novas línguas e referência técnicas da modalidade esportiva

Teve já quem por despeito ou para tentar minorar a produção questionasse o fato de todos saberem falar japonês e blá blá blá, já acabou Jéssica?! ao invés de ficar se preocupado com um fator que não alterou em nada a qualidade do anime, que tal prestar atenção no banquete de novas expressões que é proporcionado? Dá para aprender expressões em russo, nomes de comidas típicas de outros países, além de aprender como é a pontuação de um patinador e o nome de diversos saltos executados pelos patinadores.

3. Explora o uso da sensualidade masculina de forma mais despretensiosa

Quem assiste animações em geral, já percebeu que os homens em maioria não são representados com mamilos, em Yuri on ice, TEM mamilos ~mamilos são muito polêmicos~ e outras características mais “tangíveis” a realidade – não vou dizer, pode ser spoiler.

Comprovada pela forma como o próprio Yuuri Katsuki para se envolver e enaltecer o programa criado pelo Victor, expõe uma nova exposta que envolve a sensualidade feminina, desde que Yuuri é japonês e é de conhecimento comum que um japonês e uma japonesa possuem características corporais similares, devido a estrutura geralmente esguia e esbelta, características abordadas em diversos dramas ou mesmo nas dublagens dos animes, mulheres com homens e vice-versa, ou seja a linha de distinção entre os sexos apresenta uma tenuidade, não se atendo somente ao Yuuri, como também sendo explorados pelo rival declarado dele, Yuri Plisetsky e o próprio Victor, que utilizou a imagem feminina e a masculina em uma união para valorizar e acrescentar identidade a uma apresentação de sua carreira.

4. Amar a si mesmo

O auto conhecimento e valorização de si mesmo é parte de cada indivíduo que siga o ramo da arte e nos patinadores não é diferente, Katsuki enfrenta a falta de auto estima e isso se reflete no seu amadurecimento como profissional, enquanto a auto estima é uma dificuldade em alguns casos, o ego em excesso pode também ser um obstáculo, uma temática muito bem explorada sobre desenvolvimento pessoal e amadurecimento, isso através da patinação.

5. Os seiyuus são de derreter o coração

0d9962b56d97c4bb56586467865a9bfde3c31e53_hq
Uma palhinha desse russo magnífico!

Uma dublagem, é UMA DUBLAGEM e a escolha dos seiyuus dos personagens percebe-se que foi criteriosa, afinal a voz e entonação diz muito sobre a personalidade de cada um, no caso do Yuri, a falta de confiança é sentida pela voz que por vezes falha e quando confiante, a voz dele se torna bem expressiva, um ótimo trabalho de Toyonaga, mas quem se destaca particularmente até agora é o Victor, quem conhece o seiyuu já está familiarizado com o caracterização de voz do Suwabe (Jae-ha em Akatsuki no Yona, Aomine em Kuroko no Basket), sabe que os personagens que ele dubla possuem uma auto-estima de mais de 8.000 inquestionável e quem mais para possuir uma voz tão deliciosa senão esse russo?

6. Os bastidores das competições

cvxypoxwyaaacaA vida de uma patinador artístico não se resume a moleza e rosas, bem longe disso, desde o começo é explorado o lado “mais sombrio” por trás da vida dos personagens, desde o Yuuri com sua dedicação extrema que o afastou de qualquer outra atividade em sua vida, até o próprio Victor que após tanto sucesso não possui a motivação para prosseguir, o ápice de toda a sua carreira já não comove a sua inspiração, o que nas palavras de outro colega patinador é como se fosse “o fim de tudo”.

7. Por último e não menos importante (na verdade é um tópico de extrema importância)!: OS SHIPPS!

Victor X Yuuri
Yuuri e Victor é muito para um coração despreparado!

Se existe um hábito desfrutável é o de shippar – precisa explicar o que é? – no anime existe uma vasta disposição de momentos e shipps para pôr em prática esse hábito, os momentos variam e incluem uma enormidade de comédia, várias passagens ou falas com contextos cheios de possibilidades.

Extra: As trilhas sonoras e coreografias

A músicas e faixas que compõem a trilha sonora do anime, que precisa de muita música é um encanto e extremamente viciante, desde a abertura até o encerramento, é uma inspiração sem fim e as coreografias? Se existe algo que tenho que tentar um dia é me acabar no gelo tentando imitar esses passos!

Nada em moderação e tudo na medida certa, esse é Yuri!!! on ice e só precisa de um episódio para conquistar mais um fã ansioso, vocês podem acompanhar novos episódios legendados todas as quartas-feiras.


Enquanto isso olha que comparação do victor x yuuri!

[Variedades] 5 filmes do Studio Ghibli para ver agora!

Que tal conhecer um pouco mais sobre o Studio Ghibli?

Lembrando que tem férias no ar, ou aquela folga no final de semana e nada para fazer, decidi elaborar essa super dica: os filmes do Studio Ghibli.

O Studio Ghibli é um estúdio de animações japonês fundado em 1985, contado com grandes nomes de produção e direção como: Hayao Miyazaki, Isao Takahata, Yasuyoshi Tokuma e Toshio Suzuki. Como visto no logotipo do estúdio com a representação do personagem Totoro do longa Tonari no Totoro (no título brasileiro: Meu Amigo Totoro), um apreço e afeto é perceptível pelas produções por eles feitas e dedicadas à um amplo público disposto a abraçar toda a magia que trazem, não importa a idade, um filme do Estúdio Ghibli é um prato cheio para uma viagem emocionante sem sair de casa.

  • O Conto da Princesa Kaguya

princesa kaguyaO Conto da Princesa Kaguya, originalmente denominado Kaguya Hime no Monogatari é um longa dirigido por Isao Takahata e é baseado na lenda popular japonesa do século X, ‘O conto do cortador de bambu’, em que um humilde cortador de bambu acaba encontrando uma pequena garotinha iluminada em um bambu, a que um dia seria nominada como Kaguya-hime e chama atenção não só pelo talento, mas também pela beleza e espontaneidade. O longa entrelaça genialmente os requisitos impostos as mulheres na época, bem como o quanto a ganância e o poder influenciam na essência humana, terminando por atingir todos ao redor. Foi indicado ao Oscar de Melhor Animação 2015, ganhou o prêmio de Melhor longa metragem de Animação pela Toronto Film Critics Association.

  • meu amigo totoroMeu Amigo Totoro

Dirigido por Hayao Miyazaki, Tonari no Totoro, narra a aventura vivida por Mei, que encontra uma passagem no quintal e acaba se encontrando com o espírito da floresta lendário, Totoro, alguns podem ter se lembrando um pouco de Coraline de Neil Gaiman nessa perspectiva, mas calma! Totoro é gentil e acompanha a pequena Mei que até então vive sem a presença de sua mãe que está  hospitalizada e seu pai, que se divide lecionar e cuidar da esposa internada, quando Mei decide se arriscar em visitar a mãe por conta própria, acaba se perdendo e Totoro a auxilia nessa trajetória, um conto lindo sobre companheirismo e o retrato de uma infância

  • Princesa Mononoke

princesa mononoke

Originalmente, Mononoke Hime é o clássico que sinceramente supera muitos filmes atuais, com uma narrativa crua do ser humano e sua ação na natureza, o filme mescla o sobrenatural com o real em um filme que nunca fica velho, lançado em 1997, a história relata em um novo universo o impacto do descontrole da exploração humana e seus efeitos, tendo em seus pólos de intenções duas figuras que são um verdadeiro retrato da força feminina, Lady Eboshi e San, a princesa Mononoke, entre elas está o príncipe herdeiro do vilarejo de Emishi, Ashitaka que corre contra tempo para quebrar a maldição que se espalha pelo seu corpo, partindo de seu braço. Uma das obras de maior renome do Studio Ghibli, concorreu ao prêmio Anime Grand Prix, na categoria de Melhor Anime, se consagrando como um sucesso mundial por ter arrecadado cerca de US$158 milhões, com diversas críticas positivas, ainda considerado o melhor anime da década de 90, em conjunto com Neon Genesis Evangelion.

  • O Castelo Animado

castelo animadoUma tarde vendo Castelo Animado é uma tarde apaixonante, para quem adora animações e gosta das premissas dos filmes e cores dos clássicos da Disney, a adaptação do livro Howl’s Moving Castle, de autoria da escritora inglesa Diana Wynne Jones, traz um cenário de um país em guerra onde os feiticeiros são “recrutados” para emprestar seus poderes durante o combate, enquanto isso Sophie não possui ambições na vida, se considerando normal demais e simples demais, ela só deseja continuar a trabalhar na chapelaria que era de seu pai, mas um encontro em uma situação desagradável termina com a intervenção de um feiticeiro misterioso e charmoso que ela desconfia ser Howl, conhecido por tomar o coração das belas jovens para si e viver em um castelo andante. Esse rápido envolvimento com o sujeito resulta em um misteriosa visita na chapelaria e Sophie é amaldiçoada pela Bruxa das Terras Abandonadas e sem saber como fazer para lidar com um feitiço que ela não pode nem mencionar, sendo isto parte da maldição, ela sai em jornada para buscar uma solução e com a ajuda de um espantalho animado(?) encontra o castelo de Howl e nele se abriga, agora “irreconhecível” pela sua aparência, Sophie descobre as inúmeras facetas e o lado sombrio que o feiticeiro mantêm.

  • A Viagem de Chihiro

A-Viagem-de-ChihiroSen to Chihiro no Kamikakushi originalmente (em tradução literal O Arrebatamento de Sen e Chijiro) filme mais aclamado produzido pelo estúdio, ganhou o Urso de Ouro em 2002 e o Oscar na categoria de Melhor Animação em 2003. Girando em torno de Chihiro que em um acaso durante a viagem de família, ela acaba presa e perdida em um mundo cheio de espíritos, deuses, monstros e criaturas mitológicas, em que todo o seu futuro e de sua família está em jogo, Chihiro tem que correr contra o tempo e aceitar o inimaginável desse desafio absurdo para poder voltar a normalidade de uma viagem que desde o princípio ela já não gostaria de estar.


Se deliciem com essas dicas e voltem para me contar a experiência!

Howl