[Anime] Julgando um anime pela abertura

As músicas são marcantes e a melhor forma de comunicação, por sua facilidade atrelada a uma melodia que envolve o ouvinte, em animes as aberturas e encerramentos são bem… tão bem pensados que deixam uma marca de quem curte o gênero, inclusive muitas delas são parte da infância de uma enormidade de pessoas, as clássicas como Pegasus Fantasy – só o hino da minha vida – de Cavaleiros do Zodíaco, Guerreiras Mágicas de Guerreiras Mágicas de Rayearth, mas são só as nacionais? Não, as japonesas tem espaço também e a lista de hoje é composta de indicações dedicadas à elas:

Sakamoto desu ga?

Com um protagonista totalmente cool, cooler, coolest, Sakamoto mais do que digno de uma abertura arrebatadora, chega dá vontade de soltar o som e viver de repeat por dias a fio.

Shingenki no Kyojin (TODAASS!!)

Depois do retorno brutal do anime para a 2ª temporada, simplesmente aconteceu de dar uma vontade insana de rever o anime todo e ainda maior de rever as aberturas, a abertura da primeira metade da 1ª temporada é a mais eletrizante, a da 2ª temporada foi um momento de choque pelo tempo espera para o retorno do anime, mas 2 semanas depois já estava a plenos “Sasageyo, sasageyo, sinto wo sasageyo!”

HaNaYaMaTa

Esse é um dos animes mais fofos e animados que já assisti, desde o enredo e interação das personagens um sentimento de amizade é crescente e na abertura isso fico bem claro, inclusive transpassando um agradável vontade de ter amigos ao redor, de ser só pessoas, uma abertura dessa é só amor!

Noragami (Não sou capaz de opinar!!)

Se alguém deixar escapar que pula as aberturas de Noragami, sinceramente, eu mesma já excluo de qualquer laço próximo, é não respeitar o herói, ninguém em sã consciência pula esse começo magnífico.

Kuroko no Basket

São várias aberturas para esse anime, todas são maravilhosas, porém fiz questão de selecionar a favorita, porque esse anime o que tem de ótimo conteúdo e adrenalina, tem de boas aberturas e encerramentos, te desafio a negar essa maravilhosidade musical!

Yuri!!! On ice

Essa maravilha que dilacerou corações ao redor do mundo tinha que estar nessa lista, só esse começo é uma conquista certeira para ver o anime e ainda cantar a música a plenos pulmões – inclusive recomendo – fazer uma coreografia na pista de patinação de gelo.

Kaichou wa maid-sama

Somente o meu shoujo favorito e claro uma abertura marcante ganha logo espaço naquela lista de mais amadas para todo o sempre, uma vontade de chorar e cantar loucamente acomete qualquer fã de Kaichou!

Shiki

Quando o anime é de terror, o impacto da abertura começa a invadir até o psicológico, com sutis toques do que terá na trama, Shiki retrata um realidade onde vampiros são devastadores estratégicos e os humanos são presas a serem seduzidas e enlaçadas por esse “charme” sanguinário.

[Mangá] Ghost in the Shell

O mangá cyberpunk Ghost in the shell, é uma trama intricada de ficção científica a frente de seu tempo, como seu nome sugere, “fantasma na casca”, em que interpretando o contexto se trata de consciência em um corpo sintético, ghost, a consciência é aquela em que os humanos possuem e o sintético, shell, fica por conta da máquina, do inorgânico.

major gifPor volta de 1989, a autor Masamune Shirow idealizou o mundo em 2029, onde a tecnologia seria parte do ser humano e não somente um criação da humanidade, em que partes do corpo podem ser facilmente substituídas por peças inorgânicas, aprimoradas, as pessoas possuem a capacidade de fazer transferência e leitura de dados por dispositivos instalados na região da cabeça e nuca. Contudo, como todo grande avanço, existe o nascimento de um novo risco, os hackers estão com mais espaço e crimes cibernéticos podem levar a morte direta, sem falar na possibilidade de invasão do cérebro alheio e manipulação de memórias de qualquer um, basta ter o acesso, por outro lado “surge” novos indivíduos, os mais singulares em aprimoramento, os ciborgues.

Como o título sugere, a consciência em um corpo robótico, é um ciborgue, na obra, especificamente a protagonista, Motoko Kusanagi, mais conhecida como Major e a mais impiedosa investigadora e resolutora de crimes cibernéticos – o terrorismo do futuro -, ou até mesmo rebeliões das mais avançadas produções tecnológicas, em que o temor a se tornar berserk (produto ultrapassado) afeta a inteligência de alguns robôs e reações agressivas podem pôr em risco o equilíbrio raso de humanidade e tecnologia (para referência, a obra Eu, Robô, possui basicamente essa premissa).

Somente com sua consciência humana em um corpo totalmente aprimorado, Motoko é uma unidade que supera as máquinas e os humanos, a combinação de força de uma máquina e raciocínio humano a tornam letal, a sua falta de tato sentimental a torna fria para muitos, porém a característica calculista dela a põe a frente, para se afeiçoar a ela como um leitor exige mais dedicação do que em um personagem usual, a Major é como uma união de comandos, mas é quando sua insegurança quanto ao seu encaixe no mundo que a torna mais tangível surgem na superfície, que ela demonstra sua humanidade, além de suas interações com o sempre presente companheiro de equipe Batou, que junto a Aramaki sempre marca presença na obra junto a Kusanagi, mesmo nas produções baseadas nesse enredo.

Mais um ponto muito positivo para o mangá são os personagens, que por sua vez são bem construídos e se envolvem na trama com suas características próprias de forma a equilibrar a própria personalidade da Kusanagi. Como citei o Batou acima, ele é humano e possui aprimoramento nos olhos, as poucas vezes em que ela demonstra certa redutibilidade é na presença dele, por vê-lo como o mais próximo de um amigo, Shirow não só criou uma personagem feminina sólida, como também desenvolveu personagens secundários marcantes, um universo completo que após escapar da influência de se tornar uma obra com fan service desnecessário como vemos em muitas HQ’s, se eternizou também como inspiradora para a saga Matrix, isso é poder, meus caros!

Nunca existiram relatos de dores de barriga, ou outro tipo de condição médica relacionados com o fato de alguém engolir o seu próprio orgulho. – Daisuke Aramaki, Ghost in the shell – 1995

O sucesso do sci-fi foi tal que conta com uma vasta seleção de produções, adaptadas ou baseadas no enredo de Shirow, segue a impressionante lista:

  • Ghost in the shell – 1995 (Filme)
  • Ghost in the Shell 2: Innocence – 2004 (Filme)
  • Ghost in the shell 2.0 – 2008 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Stand Alone Complex – 2002 a 2003 (Anime)
  • Ghost in the Shell: Stand Alone Complex 2nd GIG -2005 (Anime)
  • Ghost in the Shell: Stand Alone Complex – Solid State Society – 2006 (OVA)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:1 Ghost Pain – 2013 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:2 Ghost Whispers – 2013 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:3 Ghost Tears – 2014 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Border:4 Ghost Stands Alone – 2014 (Filme)
  • Ghost in the Shell: Arise – Alternative Architecture – 2015 (Anime)
  • Ghost in the Shell – 2015 (Filme)
  • A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell – 2017 (Filme)

Versoes da MajorAcha que está pouco? Calma, pois o estúdio Production I.G anunciou a produção de mais um anime para o universo de Masamune Shirow, sob direção de Kenji Kamiyama (Ghost in the Shell: Stand Alone Complex) e Shinji Aramaki (Captain Harlock e Appleseed).

Live-action A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell:

No longa de 2017, a produção não decepciona – mesmo após o escândalo envolvendo whitewashing – Scarlet é apresentada como a ciborgue que faz parte do Setor 9, Miura, Major Miura, setor responsável pelo combate de crimes cibernéticos, que em suas memórias tem um passado turbulento que a fez perder sua família e seu corpo orgânico.

Com uma boa dose de referências retiradas da animação original de 1995, o filme retoma a faceta de uma protagonista durona, sem meios termos e direta, em companhia da equipe de membros da Seção 9 que trabalha junto com ela, com destaque bastante assertivo em Batou, o mais próximo dela e capaz de trazer à tona reações emotivas da Major, desde que a personalidade sólida e rígida da personagem remete a condição de ciborgue da mesma, sendo o seu ghost ainda não o bastante para lhe conferir mais humanidade nas reações, menos ainda nas ações, o andar se destaca pela artificialidade dos trejeitos.

As divergências mais explícitas do mangá para o filme de 2017 ficam por parte da centralidade do enredo, enquanto Ghost in the shell mantém o foco no drama político em contraposição aos avanços cibernéticos, em A Vigilante do Amanhã, é a própria tecnologia que assume esse papel como trama principal. A citação como Motoko Kusanagi, nome original da personagem só vem a tona em meio ao desenvolvimento da trama, o que convenientemente serviu como uma forma de justificar a troca na nacionalidade da atriz que interpreta a Major

Major 2017O cenário do filme com certeza merece toda a atenção, desde que um futuro “surrealista” compõe tudo o que perpassa do mundo da trama, os efeitos convencem e deslumbram – principalmente uma pessoa como eu que não é uma expert em CGI – pela boa representação, desde aos anúncios tecnológicos, como a realidade virtual que faz parte da rotina humana. Cenas marcantes como o uso da tecnologia de camuflagem termo-ótica, são presenças marcantes no filme e claro tem todo o seu destaque como um grande marco de presença da Major.

Pessoalmente, fiquei surpresa com o filme, não esperava que fosse ser bom, no entanto me vi fissurada pelos marcos da trama original surgindo e da animação de 1995, o filme não só foi bem construído no termo geral, como a produção teve o cuidado de adaptar a concepção do mundo intelectualizado de Shirow em 1989, o cenário mais tangível com o realidade tecnológica atual permeou uma reflexão magistral, recomendo o filme para quem é fã do mangá, do filme de 95 também, é um deleite de lembranças e para os curiosos, se tiver aquela companhia que já viu o original ainda melhor, vai ser uma troca magnânima com toda a certeza.

[Variedades] Os diversos tipos de quadrinhos

Hoje tem quadrinhos, não me canso disso!

Semana passada eu citei alguns quadrinhos que são uma ótima pedida para ler e reler, hoje vai ser uma dose variada do mesmo universo, mas com um diferencial, sua individualidade e com direito a recomendações também é claro!

E lá vamos nós:

  • HQ’s (Histórias em quadrinhos)

A primeira classificação, agrega todo o universo de quadrinhos, todos que vierem a seguir se encaixam nesse termo.

Desde o período pré-histórico que os desenhos eram utilizados como forma de comunicação escrita, algumas formas históricas ainda são estudadas e representam enigmas cheios de registros passados, como os hieróglifos – escrita egípcia, hitita e maia -, desde o pontapé de Wilhelm Busch no século XIX, a valorização dessa forma de expressão começou a ser veiculada em massa, as HQ’s não pararam mais, vão desde educativas as mais complexas criações de universos fictícios que são avidamente consumidos pelos mais diversificados públicos, como por exemplo Inumanos da Marvel.

  • Mangá

ClaymoreEste é um dos gêneros mais reconhecidos, a denominação atribuída aos quadrinhos japoneses que se caracterizam principalmente pela forma singular de leitura (direita para esquerda) e também por serem em geral, preto e branco. Possuem muita expressividade cada quadro em um mangá possui uma fluência para oferecer destaque a um clímax, calculando os momentos de choque para surpreender o leitor, assim como os personagens e suas feições que assim como as HQ’s ocidentais possuem as mais diversificadas formas de passar a “emoção” dos personagens por expressões criativas, um clássico que tem todos os méritos é Claymore  de Yagi Norihiro.

  • Manhua

Tamen de GushiTermo aplicado às criações de origem chinesa, o termo data do século XVIII, mas sendo reconhecido como tal por volta do final do século XIX e do início do século XX (em torno de 1867 anos de 1927), nessas obras os manhuajias – autores de manhuas – utilizam de um conceito criativo o mais realista possível, desde a tonalização até sombreamento e traço, em contraposição aos mangás, os manhuas possuem a leitura no sentido esquerda para direita, o nosso estilo tradicional de leitura. Nos mangás o comum é um assumir a tonalidade preto e branco convencional, aqui as obras assumem diversas perspectivas de cores, como representante tem Tamen de Gushi de Ten Jiu.

  • Manhwa:

Já passamos pelo Japão, China e agora vamos a Coreia do Sul, os manhwas provém das mãos de artistas coreanos, derivado dos manhuas, a característica que destaca o estilo dessas obras é o realismo aferido aos corpos dos personagens, enquanto os rostos e as feições por vezes mais surreais lembram o estilo dos mangakás, um ótimo exemplo é What Does The Fox Say? de Team Gaji, um GL que inclusive já mencionei aqui.

  • Webtoon e Webcomic

É bem amplo e possui diversas formas de encontrar, com um caráter mais informal em geral, devido a autoria e publicação, como o nome já vem com o prefixo web já é possível interpretar o principal meio de veiculação destes. Denominação principiada na Coreia do Sul, possuem principalmente as mesmas características dos manhwas, todavia não se fixam em serem somentes manhwas online, como pode conter manhuas, mangás, comics e as mais variadas tirinhas, com o diferencial de serem totalmente digitais, por isso em maioria é adaptado ao ambiente virtual de forma que a paginação segue a forma do movimento do mouse, a exemplo Girl’s of the Wilds de ZHENA que é um manhwa webtoon. já teve webcomic rolando por aqui, A Matter of Life and Death de The Snispter.

Mais curiosidades:

  • As histórias em quadrinhos possuem uma denominação diferente em vários países, entre elas estão: comics (EUA), historietas (Argentina), tebeos (Espanha), fumetti (Itália), muñequitoscómicos (México), dentre outras;
  • A palavra mangá é resultante da união de dois vocábulos, ‘man’ (referindo-se a involuntário) e ‘gá’ (em referência a desenho ou imagem);
  • Manhua e Manhwa, mesmo se referindo a histórias em quadrinho na China e Coreia do Sul respectivamente, os termos utilizam os mesmo caracteres em sua composição que a palavras “mangá”, estreitando a relação de proximidades entre os três.

Então, qual o seu favorito? 

[Mangá] Girl’s Love

Nosso primeiro encontro de 2017!

O início de um novo ano, novas oportunidades e por que não começar com amor? Não estou certa se é exatamente claro que sou uma grande apreciadora de romances –  e ratificando – com um afeto ainda maior pelos GL’s (Girl’s Love), traduzindo Amor de garotas ou Yuri, apesar de pouco consumidas, a produções desse gênero possuem uma narrativa tão refrescante e ardente ao mesmo tempo que então o que me veio em mente foi, por que não fazer um especial sobre isso, com as HQ’s que que mais indico, li e daria toda uma constelação? Então, cá estou eu, a discorrer sobre essa maravilha que adoro imensamente, sem mais delongas lá vamos nós:

Liming You Xingchen

liming you xingchenO manhua narra a história de Chengzi, uma colegial, assim como Ah-Ming, frequentam o mesmo colégio, entretanto Ah-Ming é uma atraente baterista de uma banda e talentosa em muitos outros aspectos, entre eles, a dança, é quando Chengzi pede ajuda de Ah-Ming para uma apresentação de dança que aura de inegável magnetismo e a personalidade de Ah-Ming mexe com Chengzi que começa a sentir mais que amizade pela bela baterista, até que ela percebe que o gênero não importa, ainda mais quando um sentimento tão forte está semeado em seu coração, não é fácil se apaixonar por outra garota, é o que Chengzi descobre e Ah-Ming já sabia.

What Does The Fox Say?

What does the fox sayCriação de Team Gaji, Sungji acaba de ser contratada pelo Estúdio Olá, responsáveis pela produção de games, em uma pacata juventude, a serena e charmosa Sungji começa uma nova fase da sua vida profissional. Nesse novo contexto seus colegas de trabalho são cordiais e novas companhias, entretanto a gerente da equipe Sung Sumin é bem mais que uma líder ao olhos de Sungji, a superior é uma pessoa bela e simples, com uma personalidade sólida, cada vez mais Sungji se envolve na aura silenciosa de Sumin, desvendando um mundo até então desconhecido por ela.

Citrus

citrusUma nova escola, nova casa e novos amigos, Yuzu tecia as possibilidades de sua nova vida, uma nova realidade onde ela brilhasse, todavia o seu jeito excêntrico e uma escola de rígidas regras e extremamente conservadora só para garotas era só o primeiro dos seus desafios. O segundo desafio tinha nome, um belo, um olhar sereno e uma proximidade assustadora com ela, presidente do conselho estudantil e acaba por ser também sua nova meia-irmã Mei, atraída pela personalidade imperturbável e segredos de sua meia-irmã, Yuzu termina descobrindo que os opostos exercem uma atração e ela ia fazer valer os seus sentimentos, um tecer envolvente sob autoria de Saburouta.

Sob autoria da esplendorosa Ratana Satis temos para apreciar:

Lily Love

lily loveA jovem Donut não percebe não é de extraordinário em si mesmo, desde, estilo, corpo e até mesmo personalidade, para ela nada que atrai homem algum, conformada com sua “situação”, Donut se torna descrente da existência do fio do destino que a liga a sua alma gêmea. Seguindo com o seu ritmo, é na lavanderia que ela conhece a linda e despreocupada Mew, que desde o começo se revela consciente de seu lugar no mundo, o que Donut não esperava era que a sua antiga visão de destino e romance fossem se transformar, graças a gentil interferência dessa nova amiga, afinal a alma gêmea pode estar bem ao lado e se manifestando com uma semelhante.

Pulse

pulseA renomada cirurgiã cardíaca, Mel Sievers, possui uma vida sexual ativa e sem preocupações, para ela sexo é uma forma de trocar prazer, experiências e nada mais, não passando de uma necessidade física, sem qualquer necessidade de envolvimento afetivo maior. Observando a rotina hospitalar da doutora, durante sua estadia no hospital, Lynn decide desafiar Mel, uma proposta que envolve amor e vida, envolvida, Mel, acaba compartilhando mais do previa com Lynn e uma nova perspectiva transcende sua forma de vida pessoal relaxada.

Uma observação de última hora: Todas obras citadas, com exceção de Liming You Xingchen possuem cenas inadequadas para menores!


FELIZ ANO NOVO!! ~Sintam-se abraçados~

hug

[Variedades] Os queridinhos de 2017!!

Nosso último encontro de 2016!

O ano está na reta final definitivamente e a sensação de novo tempo com aquela nostalgia fica a mil, a renovação chega – as coisas inacabadas do ano anterior permanecem – a vida segue, pessoalmente a expectativa do novo ano paira no quesito de tudo o que poderia aproveitar,  e hoje estrelando meus queridos lançamentos previstos para 2017!

Afinal só é disponibilizar o ano do lançamento que o meu ânimo fica nas alturas, quando finalmente chega o tal ano? Pronto, é vontade de sair por aí dando muitas piruetas – não me segura, pois estou descontrolada –  e para mostrar um pedaço desse meu paraíso, trago os animes que mais espero para esse ano que está na porta – uma lista resumida é claro – e minhas recomendações desde já!

  • Ao no Exorcist

ao no exorcistDepois de anos do lançamento do anime lá em 2011, esse ano a surpresa com o trailer de uma nova produção do universo de Blue Exorcist foi o suficiente para deixar muitos na expectativa e aguardo das novas aventuras do meio demônio Rin e seu irmão gêmeo Yukio.

A narrativa de Ao no Exorcist revela uma realidade em que este mundo é composto de duas dimensões que se juntaram formando apenas uma, como um espelho. O primeiro é o mundo em que os seres humanos vivem, Assiah. O outro é o mundo dos demônios, Gehenna. Normalmente, as viagens entre os dois, na verdade qualquer tipo de contato entre os dois, é impossível. No entanto, os demônios podem passar para este mundo por possuir qualquer coisa que existe dentro dele. Satanás, o deus dos demônios, há uma coisa que ele não tem, e isso é uma substância no mundo humano que é poderosa o suficiente para contê-lo! Para o efeito, criou Rin, seu filho de uma mulher humana, mas seu filho concorda com seus planos? Ou ele vai se tornar algo mais…? Um exorcista?

Informação para satisfação: Tem na Netflix!

  • Kuroko no Basket

Para quem diz que não gosta de esportes, bem, te desafio a ver esse anime, não consigo definir melhor do que dizendo: É PURA EMOÇÃO! ~Pronto falei~ Seja para um fã de shounen ou de fantasia e até mesmo de shoujo, a trama que gira em torno da trajetória de Tetsuya Kuroko um membro da Kiseki no Sedai (Geração dos Milagres) e sua vida se envolvendo com o basquete e os obstáculos enfrentados por ele e seus companheiros,  é uma ótima pedida, a mistura sensacional de esporte, suspense, drama e comédia fazem do anime uma produção para qualquer personalidade, ocasião, humor, não importa o que seja, acompanhar a vida e o amadurecimento dos personagens é viciante.

Já com três temporadas lançadas ‘e vários extras, o longa vai estrear nas telonas japonesas em 18 de março de 2017, dá para ver um dos trailers clicando aqui, sinta a emoção!

  • Kaichou wa Maid-sama

Como já deve ser claro a essa altura do campeonato, sou uma apreciadora descomunal de shoujo e esse é definitivamente um ocupante permanente no meu pódio de favoritos, quando a mangaká Hiro Fujiwara anunciou um lançamento especial do mangá para 2017 pela LaLa DX, foi a festa –  na verdade continua sendo! – então que venha a data: 10 de fevereiro!

A história gira em torno da presidente do grêmio estudantil Ayuzawa Misaki, super rigorosa com o comportamento dos outros alunos. Por problemas financeiros pessoais, ela precisa trabalhar como maid em uma lanchonete, e é descoberta por alguns rivais e de quebra o maior galã do colégio. Entretanto a tenacidade de Ayuzawa é uma contraposição do jeito manso de Usui Takumi – ME NOTA SENPAI! -, enquanto ela quiser tornar o colégio, antes só para garotos, um lugar confortável para as garotas, Misaki vai lutar com todo o seu potencial para balancear o bem estar e o respeito entre os alunos.

  • Kuroshitsuji (Lembra que eu falei loucamente sobre a série desse mangá aqui?)

KuroshitsujiA bordo de um navio, começam a serem efetivados diversos casos de ressurreição começam a acontecer, com circunstâncias similares aos que ocorrem em um hospital na Inglaterra e impactou no aumento do tráfico de humanos no mercado negro, sendo disposto a Sebastian colher provas substanciais sobre uma possível sociedade secreta que realiza espetáculos envolvendo corpos e as tais possíveis ressurreições, o que leva a Ciel a se infiltrar e ver o fato pessoalmente. Quando a suspeita do envolvimento de seres sobrenaturais abala as conclusões de Sebastian e Ciel, ambos tentam correr contra o tempo para manter o cruzeiro os pessoas a bordo, incluindo Lady Elizabeth e sua família.

A estreia para os cinemas japoneses está prevista para 21 janeiro de 2017, mas fã que é fã já se prepara e conta os dias sempre e para quem quer saber mais sobre o lançamento, tem o trailer aqui!

  • Shingeki no Kyojin (Attack on Titan)

A segunda temporada do anime que ascende em popularidade – merecido! – já está sendo aguardada a anos pelos fãs, finalmente foi divulgado o esperado trailer, da sequência, ao que tudo indica a nova temporada é esperada para Abril de 2017!

Há muito tempo atrás, os humanos foram quase exterminados pelos Titãs. Seres humanoides gigantes que devoram as pessoas sem nenhum motivo aparente. Os poucos sobreviventes fugiram, levantaram muralhas de 50 metros para se protegerem desses seres e tentarem viver em paz… Porém, 100 anos depois, a humanidade começa a pagar por seus anos de paz: um titã colossal aparece, destruindo a muralha e dando início a um cenário de carnificina e destruição. É nesse momento em que as vidas de Eren, Mikasa e Armin serão mudadas para sempre. E assim começa uma batalha épica entre a raça humana e esses seres. A busca pela sobrevivência e o desejo de liberdade são o que movem a humanidade.

  • Netsuzou Trap

GLAssumo que GL (Girl’s Love) é aquele affair da vida e com Netsuzou Trap não é diferente, esse ano foram divulgadas as informações sobre a adaptação da obra, que em conjunto com Citrus é um forte nome desse gênero literário.

Yuma e Hotaru são amigas de infância e vizinhas, embora ambas têm namorados, Hotaru vive beijando e seduzindo Yuma de brincadeira. Apesar de manter o que acontece entre elas em segredo, Yuma começa a ficar confusa sobre seus verdadeiros sentimentos.

  • Wotaku ni Koi wa Muzukashii

A vez do mangá que adoro, Wotaku ni Koi wa Muzukashii (É difícil a paixão para um otaku) atualmente está em seu 2º volume, com uma periodicidade de 1 volume por ano! POR ANO! Como consigo lidar com isso? Releio toda a hora quando sinto aquela saudade, vale a pena, comprovando com o fato de ser ainda tão precoce já ter conseguido o primeiro lugar no pódio de melhor mangá shoujo/josei em 2015 pela Kono Manga ga Sugoi! com apenas um volume lançado na época.

Com uma narrativa muito engraçada e cheia de referências do universo otaku (a relação de um casal otaku é assim, Sailor Moon e muito Dragon Ball), o enredo discorre sobre a relação entre Narumi, uma funcionária de empresa com um lado fujoshi nem tão oculto assim e Hirutaka, um homem de boa aparência (o ikemen dos meus sonhos!) e eficiente, um otaku com vício em games, sem falar nos amigos de trabalho e pessoais dos dois que são o quê? Otakus!


Para fechar o meu ano, faço todas essas suculentas recomendações a vocês, um super cheiro e até logo ^^

felicidade

[Mangá] Akatsuki no Yona

Antes de tudo: Esse mangá é para corações fortes e atrevidos, agora prossiga!

Akatsuki no Yona, ou The Girl standing in the blush down, é um shoujo fascinante, que sob autoria da brilhante Kusanagi Mizuno, narra a trajetória da única princesa do Reino de Kouka, Yona, com uma mescla sensacional de drama, shoujo, história e shounen. Com altos e baixos em seu lançamento, após o choque enfrentado pela Mizuho-sensei no primeiro semestre desse ano, com os terremotos na província de Kumamoto, os fãs ficaram em estado de apreensão, preocupados com o estado da autora, felizmente tudo acalmou-se e Yona voltou, conquistando ainda mais admiradores pela consistência de seu enredo e a dedicação esplêndida da Mizuho-sensei em desenvolver tão bem seus personagens e cultivar suas características – isso sem mencionar o sem fim de personagens cativantes e conspirações sobre o futuro do enredo.

akatsukiCom sua estreia em 2009 pela revista Hana to Yume, a reconhecida revista shoujo, o mangá se tornou inspiração para uma peça teatral executada em Março desse ano em Tóquio. Com mais de 18 volumes já disponíveis, agora na marca de que ultrapassa mais de 130 capítulos lançados para quem acompanha o lançamento mensal, nesse ano também foi dado o início da serialização do mangá nos EUA pela VIZ Media ~fica a dica de uma boa série para nos trazer editoras nacionais~.

Além da adaptação para o teatro esse ano, em 2014 a adaptação para anime com 24 episódios causou um alvoroço pela qualidade e fidelidade com obra original, com uma trilha sonora que remete exatamente ao cenário da trama, além de 3 OVA’s, isso é atestado de qualidade!

A divisão a seguir é de minha autoria, para simplificar cada arco que compõe a trama até o presente momento:

  • 1º Arco A ascensão do novo rei (1 a 15)

yona

Antes vasto, Kouka era um próspero reino que se divide em cinco tribos: vento, terra, água, fogo e céu, sendo está última designada para a família real, após perder diversos territórios de suas fronteiras, a calma personalidade e oposição ao uso de armas do imperador Il é visto com descrença não só por seus súditos como tamém por sua filha a princesa Yona de 16 anos, a jovem de cabelos vermelhos é frívola que utiliza de subterfúgios vazios para satisfazer suas vontades e possui somente em vista o mundo no interior do castelo Hiryuu, totalmente ignorante do mundo exterior.

Quando um golpe amardo pelo seu próprio primo e amor platônico, Soo-Won, para tomar o trono leva a vida de seu pai, Yona tem que fazer de tudo para escapar com vida e o general da Tribo do Vento e amigo de infância, Son Hak – conhecido como Besta Trovão por suas habilidades de batalha -, fica a frente de manter a princesa em segurança e realizar a fuga, se dirigindo para a capital da Tribo de Vento, Fuuka. Diante de sua impotência, Yona decide trilhar um novo caminho junto a Hak, quando uma antiga lenda coincide com a sua própria existência, os cabelos vermelhos da princesa levam a uma nova descoberta, o destino da princesa é ser rei (Yona e Macbeth estão unidas pelo laço da realeza).

  • 2º Arco As garras do Hakuryuu (16 a 19)

O primeiro dragão da lenda de Kouka, o dragão branco Hakuryuu vive em um afastado vilarejo, o jovem Ki-já carrega o sangue ancestral, levando consigo a garra do dragão em sua mão direita, mas acima de tudo, carrega a determinação de gerações de Hakuryuus frustrados por nunca poderem servir ao propósito de suas vidas, acompanhar o rei Hiryuu. Ki-ka é determinado e tanta determinação ao seu propósito é um desafio para se adaptar a nova vida como viajante junto a Yona, Hak e Yoon.

  • 3º Arco A Maldição do Seiryuu (20 a 25)

Utilizando a elo dos dragões para rastrear o próximo dragão, Ki-ja, Yona, Hak e Yonn são forçados a transitar pelas regiões montanhosas de Kouka em busca do próximo dragão, o Seiryuu. Divergindo da atmosfera do vilarejo do dragão branco, os cidadãos do escondido vilarejo do Seiryuu possuem uma tradição perturbadora de usarem máscaras, no entanto as máscaras não são nada comparadas ao risco em que os viajantes correm nesse inóspito e hostil lugar, até que um silencioso garoto se dispõe a salvar a vida de Yona, também mascarado, o jovem que se esconde nos fundos cavernosos do vilarejo é reconhecido como o dragão azul.

  • 4º Arco Ryokuryuu e a sombra de Awa (26 a 41)

Seguindo o sentido de união de Ki-ja e utilizando a visão aprimorada do Shin-ah, o Seiryuu, Yona e o grupo chegam a cidade costeira de Awa, porém o que encontram lá não é o dragão verde e sim uma cidade caída em desgraça e alvo das constantes ações do tirano Kum-ji que rapta jovens garotas e as vende no tráfico de pessoas.

Hak se envolve com os soldados locais ao agir para salvar um garota e cria um laço com um estranho excêntrico e de fala mansa, Jae-ha é membro dos piratas que tentam a todo custo sanar com as ações do trapaceiro Kum-ji e surpreendentemente é também o Ryokuryuu, que leva o poder do dragão verde em sua perna direita, o dragão que foge da ligação com os outros e por anos trilhou seu próprio destino se recusa a ceder ao sangue que responde a encarnação de Hiryuu. A nova Yona compreende a sua determinação e surpreende a todos com sua ferrenha força de vontade e seu amadurecimento, a frívola princesa Yona dá lugar a uma guerreira sem medo de assumir seus desafios.

  • 5º Arco Novos Rumos (42 a 59)

dragoesDepois de passar por Awa e da adição do dragão verde ao grupo, Yona e o grupo segue em viagem, quando encontram um jovem forasteiro com uma pacífica personalidade que se revela como o Ouryuu, no entanto algumas divergências põe em prova a veracidade da afirmação, qual o poder do dragão amarelo que aparentemente não passa de um garoto normal?

Enquanto isso o novo rei Soo-Woon viaja através de Kouka e na tribo da terra o general Geun-Tae se deteriora junto a própria tribo e sorrateiramente Sua Majestade inicia um plano de ação para restaurar a antiga glória do local, o que desperta novamente a dúvida do motivo que o levou a subir no trono. Yona e seu grupo com o último membro agregado segue para a tribo do fogo e lá descobrem uma verdade mórbida sobre a verdadeira forma de governo de Kouka.

  • 6º Arco Folhas Jovens ao Vento (60 e 61)

Soowon, Yoan e HakEm um passado nostálgico, Soo-Won, Hak e a princesa Yona saem do castelo para explorar os arredores, sem muito conhecimento do mundo externo a princesa termina nas mãos de sequestradores. Para solucionar o caso sem envolver as autoridades, Hak segue Soo-Won em becos para uma rede de informações do submundo, onde o jovem garoto sempre sorridente mantém laços e cultiva amizades, impressionado Hak descobre que Soo-Won é imprevisível e se envolve com punhos e sagacidade para resgatar a princesa, o laço de amizade dos três transcendeu anos até a grande traição.

  • 7º Arco Aliança por Ambição (62 a 76)

Na excursão liderada por Yoon em busca de sementes que sejam resistentes ao árido clima da tribo do fogo, levam o grupo a um vilarejo na fronteira com o império Kai, Senri, que antes era parte do reino de Kouka, o local possui uma peculiar prosperidade no cultivo de sementes especiais e que se adaptam ao clima seco e de estiagem, se passando por artistas itinerantes e utilizando do charme e beleza, o grupo tentar concretizar o objetivo em prol da sobrevivência da tribo do fogo.

Durante essa aventura uma movimentação suspeita atrai a atenção do grupo de Yona, que descobre uma aliança entre o general da tribo do fogo, Kan Soo-Jin e Li Hazara do império Kai para derrubar o rei Soo-Won e assumir o trono de Kouka, cada um com suas próprias ambições, causando devastação onde passam, Yona lidera um contra ataque para conter a destruição do exército do general e Li Hazara combinados, o que não se esperava era que o próprio rei já estivesse a frente para resolver a situação.

  • 8º Arco A corrupção por Nadai e a tribo da água (77 a 94)

tribo da águaVivendo como nômades em busca de ajudar nos problemas enfrentados pela população de Kouka, Yona e seu grupo chegam a capital da Tribo da Água, a calmaria perturbadora do lugar testam a falsa fachada de paz e tranquilidade do lugar, o primeiro passo para descobrir o que se esconde nas sombras da cidade portuária Shisen é o envolvimento que põe em risco a vida de Jae-ha, a droga chamada Nadai circula livremente pela cidade e atenta contra os cidadãos.

Ao investigar a origem  do Nadai, Yona e seu grupo cruzam caminho com a Dama Lily e suas acompanhantes Ayura e Tetora que estão envolvidas para solucionar o caso da disseminação da droga, filha do General da Tribo da Água Joon-Gi, Lily se recusa a deixar a influência do Nadai e fraqueza de seu pai em tomar uma atitude destroçarem a Tribo da Água, o seu lar.

  • 9º Arco O fatídico destino (95 a 99.1)

Os quatro dragões carregam o abençoado sangue dos deuses dragões e consequentemente o fardo pesado de uma vida restrita a viverem nas sombras, o temor de nunca servir ao Rei Hiryuu é ainda um dos pormenores daqueles que carregam esse sangue, enquanto isso Hak toma a frente de uma grande batalha entre os ressentidos guerreiros do reino vizinho.

Depois de contar a história do Hakuryuu, Kija e do Seiryuu, Shin-Ah, é a vez da infância do Ryokuryuu Jae-Ha, o ex-pirata que está sempre disposto a tirar o melhor de uma situação crítica esconde um turbulento passado, o vilarejo do dragão verde não aceitava o destino dos seus habitantes de receber sempre uma nova geração do herdeiro da perna do dragão planador e mantinha a determinação do novo dragão sob correntes.

  • 10º Arco do Ouryuu, Zeno (100 a 105)

dragões guerreirosZeno, o dragão amarelo e a primeira vista o mais fraco, revela sua verdadeira identidade e habilidade atribuída ao sangue do dragão amarelo, além de possuir um corpo indestrutível, o jovem Zeno é também um dragão original dos quatros guerreiros que serviram ao Rei Hiryuu a mais centenas de anos, enquanto outros temem o inevitável fim, a morte, que levaram seus primeiros companheiros dragões Abi, Shuten e Guen, Zeno é atormentado pelo fantasma de sua eternidade e indestrutibilidade, vivendo  um dia após o outro, enfrentando a mortalidade de seus entes queridos e sentindo a presença dos seus irmãos dragões renascer e se esvair.

O arco rendeu dois OVA’s, o primeiro lançado em Agosto desse ano e o segundo previsto para 20 de dezembro. ~alguém me segura!~

  • os seiryuus11º Arco do Ancestral Seiryuu (cap. 106 a 108)

Desde a descoberta da localização do Seiryuu Shin-Ah, a verdade por trás do tão abençoado sangue do dragão foi desvendada e trazida a tona com uma nova faceta, os Seiryuus não eram venerados, pior ainda eram hostilizados.

Quando então Shin-Ah misteriosamente aparece sem sua máscara e Ao, é dado o início a uma série de ataques com a sua habilidade com os olhos de dragão, no entanto não é o Seiryuu atual que está tomando essas ações e sim um ancestral cheio de rancor para com os semelhantes de seu vilarejo e o seu fatídico fim.

  • 12º Arco Sei e o os guerreiros de Kouka (109 a 125)

A tribo da água ainda sofre com os vestígios deixados pelo Nadai, então em passagem o grupo de Yona encontra Lily novamente e descobrem que agora Sei avançou e passou a raptar cidadãos para trabalharem como escravos. Quando Yona e Lily desaparecem, Hak, Ayura, Yoon e os quatro dragões se unem para se infiltrar em meio os cidadãos escravizados em busca das duas, porém Sua Majestade Soo-Won também está a par do caso e um novo conflito está prestes a eclodir, dessa vez a vida de Yona e Lily depende da cooperação dos envolvidos.

  • 13º Arco As vertentes de Shin (126 a ainda em lançamento)

O país de Shin passa por um momento de tensão, a divisão do país entre os seguidores dos ideais das princesa mais velha Kouren e da princesa mais nova, Lady Tao, procura a ajuda dos lendários monstros de Kouka, contando também com o poder de duas das 5 estrelas lendárias, Vold e Argila são protetores da jovem princesa e apoiam seus ideais, entrar em um acordo com Soo-Won e o reino de Kouka. Porém um ataque surpresa acaba com as ambições de Tao de resolver o iminente conflito sem derramamento de sangue e a descoberta da verdadeira identidade dos quatros dragões guerreiros leva a captura deles e de Yoon pela princesa Kouren.

Agora um confronto inevitável está prestes a implodir de vez entre o acuado reino de Shin, traumatizado pelas ações do irmão mais velho do imperador Il e pai de Soo-Won, Yu-Hong  e o reino de Kouka, para salvar seus amigos e proteger os cidadãos de Shin, Yona se oferece para negociar um acordo de paz com Soo-Won e sua própria vida está em risco junto a de seus companheiros.


 A coisa mais fofa de todas, Ao ^^Ao

[Mangá] Kuroshitsuji

O melhor mordomo de todos os tempos!

Sob autoria da mangaká, Yana Toboso, sendo ela responsável não só pelo roteiro, como também pela ilustração, a série teve sua estreia em 2006, em setembro mais especificamente, Kuroshitsuji, Black Butler, Mordomo Negro ou Mordomo Sombrio, é uma série de ficção, mistério e sobrenaturalidade que retrata a vida do jovem conde Phantomhive, Ciel, na Inglaterra, durante o período Vitoriano, que possui um pacto com um demônio, seu mordomo e tanto, Sebastian Michaelis. Enquanto serve a rainha como Cão de Guarda e detém do controle do submundo de Londres, principalmente, Ciel tem um propósito que envolve desvendar as circunstâncias acerca da morte prematura de seus pais e seu próprio passado e futuro.

É lançado mensalmente um capítulo pela revista GFantasy, formando um novo volume a cada 4 a 6 capítulos lançados, em sua maioria, aqui no Brasil a obra é licenciada pela Panini Comics, agora acompanhando os lançamentos oficiais dos volumes, Black Butler já está caminhando para seu 24º volume no exterior e aqui já foi lançado até 22º volume.

Phantomhive teamLogo no início desse mês de Agosto foi divulgado o primeiro PV do aguardado Book of Atlantic, cheio de imagens inéditas do anime movie, deixando os fãs e leitores ansiosos e frenéticos – trago verdades – e claro foi também anunciada a da data de lançamento, a data em que talvez milhares e milhares de kurofãs terão uma verdadeira síncope, alguns por poderem ver logo no dia e outros que precisam aguardar um pouco mais, por causa da legenda e liberação da produção, mas por enquanto na agenda já consta que 21 de janeiro de 2017 é o grande lançamento.

Agora vamos saber um pouco dos arcos (que temos até o presente momento) sequencialmente:

  • 1º: Arco do Sequestro (1 ao 4):

O início da obra, logo a parte mais introdutória desse universo, onde são apresentados os personagens principais, suas funções e como se inserem no contexto da obra, ressaltando o mordomo, Sebastian Michaelis, que vai além de um mordomo e literalmente exerce todos os principais papeis na mansão do conde, que por sua vez governa todo o local, mas de uma forma mais figurativa. Logo depois é exposta a verdade por trás de tanta destreza do mordomo Sebastian e de que forma na escala social Ciel se destaca.

  • 2º: Arco do Jack, O Estripador (5 ao 13):

Jack, o estripadorO conde Ciel Phantomhive, o notório Cão de Guarda Real é chamado para Londres afim de solucionar os misteriosos casos de assassinatos em série que tem havido no lugar e terminou por atrair a atenção da Rainha, desde que todas as vítimas possuem uma caraterística em comum, todas são mulheres. É uma sua casa em Londres que Ciel se reencontra com sua tia  tia Angeline, ou mais conhecida com Madame Red e o comerciante chinês, Lau, responsável por manter o contanto do conde com o submundo.

O conde passa a enfrentar um embate quase pessoal para desvendar a identidade do assassino que ficou conhecido como Jack, o Estripador, que além de tirar a vida de suas vítimas, sempre remove um de seus órgãos, enquanto isso Sebastian descobre também que a realidade da exposição de seu Mestre vai muito além da segurança deste e impõe riscos a sua própria existência demoníaca.

  • 3º: Arco Indiano (14 ao 22):

Nesse novo arco, Ciel volta a procurar um assassino e possíveis torturadores, responsáveis por perturbar a ordem em Londres e especializados em fugir das investigações da Scotland Yard, a polícia. Em meio da investigação, o conde junto a Sebastian se deparam com um membro da realeza indiana, o príncipe Soma Kadan e seu servo, o mordomo Agni, que por sua vez além de possuir inúmeras habilidades, possui uma característica incomum que o faz estar frente a frente com Sebastian. Enquanto tenta desvendar os recentes acontecimentos que detém a atenção e preocupação da Rainha, Ciel tem que lidar com o príncipe e suas exigências.

  • 4º: Arco do Circus (22 ao 37):

O arco do circo, ou da Arca de Noé, narra a investigação de Sebastian e do Cão de Guarda da rainha, Sebastian é então incumbido a de investigar o caso e verificar a ligação do show itinerante com o caso, o circo Arca de Noé tem mais a esconder do que parece. Nesse momento é chegada uma conclusão de que para investigar, Ciel e Sebastian se tornam membros honorários do Arca de Noé, sendo liderados pelo misterioso Joker, que apesar de tudo não é a mente por trás de todo o espetáculo, o que leva Ciel é enfrentar uma parte sombria do seu passado, a unica é cortar o mal pela raiz.

  • 5º: Arco dos Assassinatos da mansão (38 a 50):

Book of MurdersPor ordens da Rainha, o Conde Phantomhive organiza um banquete para recepcionar um convidado estrangeiro que possui parentesco direto com Sua Majestade e vários convidados ilustres da alta sociedade britânica, mesmo o escritor apreciado pelo Conde que não possui nenhum status social reconhecido, mas o suspeito dessa reunião está além de suspeitar de um simples participante. O banquete, dá lugar a uma possível chacina, quando um atrás do outro os convidados começam a ser assassinados, para piorar o cenário, todos estão presos na mansão Phantomhive devido a tempestade que os acomete, diante das circunstâncias os convidados percebem que unirem-se é a única saída para evitar que assassino faça a sua próxima vítima.

O arco foi animado em dois OVAs , intitulados Book of Muders.

  • 6º: Arco do Campania (51 ao 56):

A bordo de um navio, começam a serem efetivados diversos casos de ressurreição começam a acontecer, com circunstâncias similares aos que ocorrem em um hospital na Inglaterra e impactou no aumento do tráfico de humanos no mercado negro, sendo disposto a Sebastian colher provas substanciais sobre uma possível sociedade secreta que realiza espetáculos envolvendo corpos e as tais possíveis ressurreições, o que leva a Ciel a se infiltrar e ver o fato pessoalmente. Quando a suspeita do envolvimento de seres sobrenaturais abala as conclusões de Sebastian e Ciel, ambos tentam correr contra o tempo para manter o cruzeiro os pessoas a bordo, incluindo Lady Elizabeth e sua família.

O arco está escalado para uma adaptação em anime movie em 2017 sob o título de Book of Atlantic.

  • 7º: Arco da Academia Weston (66 ao 85):

Academia WestonPouco tempo depois da viagem a bordo do Campania, o conde Phantomhive, volta a se envolver com as solicitações da rainha, como seu Cão de Guarda, agora a trama discorre com o desaparecimento de Derrick, oo filho do Duque de Clemens, primo de Sua Majestade. Sem o retorno tanto de Derrick, quanto de vários outros alunos para casa desde as esperadas férias de verão, Ciel decide que a melhor forma de investigar, é se infiltrando como um aluno na prestigiada escola de elite para membros da nobreza, onde os alunos desparecidos frequentavam, a renomada Academia Weston, em que a hierarquia  de dormitórios, leva-se em conta o título aristocrático de seus membros, aplicando as regras rigidamente e sendo cada dormitório liderado por um dos P4, os quatro monitores da academia. Para solucionar o estranho caso, Ciel precisa de Sebastian e suas habilidades demoníacas, sem deixar suspeitas, enquanto Ciel é aluno, Sebastian agora torna-se professor.

  • 8º: Arco da Green Witch, ou da Maldição da bruxa (86 a 108):

GFantasyE em um território remoto da Alemanha que os boatos afirmam ser amaldiçoado, sendo governado por bruxas e protegido dos intrusos por lobisomens, que lançam maldiçoes mortíferas naqueles que ousarem ultrapassar os limites da floresta que cerca o lugar. Quando essas notícias perturbadoras chegam aos ouvidos da Rainha, ela solicita ao seu Cão de guarda, o Conde Phantomhive, que investigue tais circunstâncias e  desvende o que está por trás da morte das pessoas que chegaram perto de tal lugar. Então Ciel e seu servos avançam para a vila alemã e enquanto avançam nas investigações as suspeitas de Ciel só concluem a interferência de seres sobrenaturais, levando em conta a existência da senhora da vila, a Green Witch, a bruxa que protege todo o vilarejo e desde que demônios e shinigamis já não são somente lendas, Ciel se vê perturbado, até que o seu passado volta a atormentar-lhe e Sebastian decide dar o verídico diante das últimas tragédias.

  • 9º: Arco Estrelas de Sangue (109 a ainda em lançamento)

All 2Na Inglaterra uma série de eventos produzidos por uma mesma “companhia” tem ganhado fama por reunir um público diversificado, indo desde pessoas que rodam o submundo aos aristocratas da sociedade, sendo realizado aos sábados e a cada 4º sábado, uma enorme apresentação é feita.

Quando Elizabeth, noiva de Ciel desaparece em acesso de êxtase obsessivo por esse evento, seu irmão Edward decide que ninguém além do cão de guarda da rainha pode descobrir o que mantém cativo o afeto de Lady Elizabeth, o que Sebastian e Ciel descobrem vai além do imaginável quando até então um vidente, descobre a verdadeira identidade de Sebastian, afinal qual a ligação do misterioso vidente Bravat com o desaparecimento de Elizabeth e como desconsiderar a coincidência de ao mesmo tempo corpos em perfeito estado estarem sendo encontrados pela Scotland Yard?

As Adaptações:

Kuroshitsuji já conta com 3 temporadas de adaptações para anime, a primeira delas, a introdutória, representa os arcos do sequestro, Jack, o Estripador, o Indiano e alguns fillers, totalizando em 24 episódios e um bônus. Enquanto a segunda temporada foi criada pelo próprio estúdio, inserindo mais do mundo sobrenatural, como outros demônios, discorrido em 12 episódios. A terceira temporada narrou o arco do Circus e ficou intitulada como Book of Circus, contando com 10 episódios. Vale a pena deixar claro que, pessoalmente, admiro muito os fillers e enriqueceu o universo da Yana de diversas formas, incluindo ovos aspectos e personagens, até mesmo a ideia de final alternativo.

A série conta também com uma adaptação em live action e não poderia deixar essa passar, afinal essa produção é formadora de uma contradição sem fim dos fãs, não entrarei em mais detalhes para não influenciar opiniões, mas vale a pena dar uma olhada e ver por si os pontos destacados pela produção.

Também contando com 7 OVA’s especiais, sendo eles:

  • Esse mordomo, Espetáculo
  • Ciel in Wonderland (Ciel no país das Maravilhas)
  • Ciel in Wonderland part 2 (Ciel no país das Maravilhas – Parte 2)
  • Welcome to the Phantomhive’s (Bem vinda a mansão Phantomhive)
  • Making of Kuroshitsuji II
  • The Story of Will the Reaper  (O conto de William, o Ceifador)
  • The Threads of the Spider (Intenção de aranha)

O sucesso da série é tão grande que vários volumes ocuparam o topo da lista de mais vendidos no Japão, levando até a uma adaptação para jogo eletrônico para Nintendo DS, lançado em 2009, sob autoria da Square Enix.


Se eu indico? Pfft! Mas é claro!

Grell

[Variedades] Orange

Hoje tem um seinen shoujo ^^

Sob autoria da Takano Ichigo, Orange vai além de um shoujo sobre um romance escolar, catalisando reflexões sobre a juventude, oportunidades e arrependimentos, afinal se tivesse a chance de mudar tudo o que pudesse e evitar arrependimentos, você o faria?

Naho e KakeruÉ o que acontece com Takamiya Naho, que não era nada além de uma colegial comum de 16 anos, até que no início do seu ensino médio encontra uma carta endereçada a ela, só que a é remetente é ela mesma, a Naho de 10 anos à frente. A finalidade da carta é até simples: evitar os arrependimentos que a Naho levou durante todo esse período do colégio até o futuro, incluindo até mesmo dar um futuro ao novo colega de classe dela, Naruse Kakeru, um aluno transferido de Tóquio.

A situação surpreende Naho, afinal é além de loucura, surreal demais para ser levado de todo a sério, mas sendo ela que tem como característica se sensibilizar com o seu entorno, quando a sua eu do futuro lhe pede “uma mãozinha” ela não consegue simplesmente desconsiderar e começa a perceber que o conteúdo da carta realmente está se concretizando, o que então levaria ao inevitável, Kakeru não terminaria o ensino médio e somente ela, Hiroto Suwa, Takano Chino,  Murasaka Azusa e Saki Hagita estariam no futuro 10 anos a frente.

OrangeTemer o futuro começa a abalar Naho, mas quando ela se vê ainda mais envolvida com o misterioso Kakeru, ela lamenta as ações que não tomou quando a carta lhe instruiu a fazer. Enquanto tenta agir sozinha, mudando a si mesma e tentando manter o apoio dos amigos nessa corrida contra o tempo, Naho não só descobre uma nova faceta de si, como também decide que é melhor fazer algo, do que passar todo esse tempo remoendo o que poderia ter feito, como a Naho de 26 anos no futuro.

A Takano não só brilhantemente teceu um enredo reflexivo, com traços de “fantasia”, que se dão pelas cartas – o plural é proposital, ~spoiler~ desde que Naho não foi a única a receber uma carta da sua eu de 10 anos depois – que retornaram no tempo, mas também demonstra sua dedicação em inserir conclusões cientificas sobre um possível paradoxo temporal.

orangeMesmo com uma história tão bem construída quem conhece a mais tempo sabe, ou até mesmo quem decidir pesquisar sobre, que Orange teve períodos turbulentos até fechar prematuramente em 5 volumes, saindo de publicação pela revista Bessatsu Margaret – que conheço mais como Betsuma -, para a Gekkan Action, da Futabasha, fazendo a obra mudar de gênero de shoujo para seinen – ao pé da letra se refere a “mangás para homem”, com teor da história mais denso e tendo como o núcleo geralmente, um personagem masculino -, no entanto para muitos fãs da própria Takano e leitores da obra – eu principalmente -, não conseguem encaixar Orange como algo diferente de shoujo. Porém a mudança foi necessária para que a Ichigo-sensei conseguisse dar prosseguimento a história como obra física, já que ela chegou a considerar converter a trama em uma web-comic depois de ter de sair da Betsuma.

Atualmente, temos Orange completo no Brasil pela JBC Mangás e obra também se recuperou dos baques passados, com uma adaptação em live-action e no Haru de 2016 – temporada de Verão japonês de 2016 -, Orange teve sua estreia na adaptação para anime, uma dica para quem ainda não quer começar o mangá, que não se convenceu, ou que prefere assistir, recomendo, está em lançamento atualmente, com um episódio novo a cada domingo, se preparem para se sensibilizar e desenvolverem uma nova perspectiva do mundo.


Espero que curtam essa dica!

[Mangá] Aoharaido

Oi, oi! Um shoujo todo meigo para vocês hoje!

Aoharuride ou Aoharaido, em tradução livre remete a ‘Passeio na Primavera Azul’ (Ao = Azul, Haru = Primavera e Ride = Passeio), em que a mangaká Io Sakisaka majestosamente tece uma narrativa comovente, saindo do âmbito usual dos romances escolares e inserindo o contexto familiar de seus personagens, explanando ao leitor características mais palpáveis dos seus personagens. A Io conquista não só pela sua arte bem produzida e traços bem feitos, como pelo enredo bem trabalhado e experiências de vida que marcam.

aoharaido imagemEssa visão mais realista da fase juvenil e suas turbulências é narrada inicialmente em torno da Futaba e do Kou, que se conheciam desde a primária e nutriam uma afeição um pelo outro, no entanto uma série de acontecimentos interrompem o curso de suas vidas e eles se vêem obrigados a assumirem novas facetas, suprimindo a compleição deles. Yoshioka Futaba durante o ensino médio se suprimiu, expondo uma falsa personalidade, sendo antes mais quieta e sob o estereótipo de “excessivamente feminina”, agora ela revela descaso consigo mesma, com atitudes mais desleixadas, isso para manter amizades, que até então ela acredita ser o suficiente, uma amizade por plena aparência.

Tanaka sempre
Manual de como chegar na hora errada haha

É durante esse momento que Mabuchi Kou aparece, o mesmo Kou que ela gostava na primária, que antes era Tanaka Kou, o que a faz questionar o que aconteceu para que ele mudasse tanto, incluindo seu sobrenome, porém o resultado de um embate entre os dois é uma comédia, ambos têm um gênio e a vida de um colegial é uma fonte de pérolas. Se a separação deles devastou, o reencontro causa o mesmo efeito, mas o que outrora foi destruído, agora pode ser reconstruído e com mais solidez quanto aos seus desejos mais profundos. A história traz um levantamento sobre relações nocivas e do quanto isso consome da vidas das pessoas, não seguir o curso normal da vida e pensar somente no futuro, o quanto isso é danoso não só a si, mas os que os cercam, o drama familiar é bem abordado, a tragédia da perda de um ente querido é traumatizante e a Sakisaka explorou esses pontos na visão juvenil, demostrando o quanto isso interrompe qualquer tipo de relação saudável e se pontua no caráter de uma pessoa.

imagemA obra mesmo estando na minha lista de favoritas tem uma falha ao meu ver, que é o caso de como Kou alerta a Futaba de algumas condutas com relação ao “instinto masculino”, em que ela parece estar sujeita à isso e sabemos que essa não é a verdade. Isso me fez rever outras obras do gênero e perceber o shoujo sendo tão os 3 P’s (paetês, plumas e purpurina) em questões que deveriam ser problematizadas, sendo que a veiculação desse tipo de produção é voltada ao público bem mais jovem. O que não diminui os efeitos da abordagem da autora e o apelo do romance que se desenrola aos poucos, Futaba gosta do Kou, mas não faz a mocinha que vive em prol disso sempre e a inserção de outros personagens como: o Tanaka-sensei, a Murao (a Murao me representa), a Yuuri, o Kominato e o Kikuchi, demonstram que a vida do colegial não se centra nisso e os personagens amadurecem juntos.

O mangá foi finalizado no primeiro semestre de 2015 no Japão, aqui no Brasil foi licenciado e é distribuído pela Panini Comics, que começou o lançamento da série em 2015 também, sob o título de Aoharaido – A Primavera das Nossas Vidas. O mangá também conta com uma adaptação para anime, que contém 12 episódios e dois OVA’s que relacionado ao decorrer natural do mangá, vai até 12º volume, sendo os OVA’s relacionados a outras passagens do mangá, tendo até um prosseguimento além do 12º volume,  a obra conta também com uma live-action.

10420065_823487284393379_8913296546860408377_n
Olha essas lombadas, que lindas!

A Panini também conquistou ao manter a boa qualidade dos seus títulos em Aoharaido – A Primavera de Nossas Vidas, disponibilizou mimos como marcadores com arte em aquarela como vista nas capas e nas lombadas do volumes, pensando em lombadas interativas, que juntas formam uma arte, no entanto, a última coisa que gostaria de pontuar é que a editora mesmo sendo ótima com relação aos títulos que lança e a qualidade das obras, peca no quesito de disseminação, já que retira de circulação de vendas e até do próprio site com determinado tempo de vendas e com Aoharaido o caso foi ainda mais alarmante, para quem tinha a intenção de colecionar, nem todos obtiveram sucesso (inclusive eu), teve demanda, porém não tiveram oferta e resultou no caos do esgotamento, logo depois teve uma nova remessa e não demorou muito a terminar.

Um mangá que iniciou o lançamento ano passado, Maio/2015 mais especificamente, não possui mais vendas do primeiro e nem do terceiro volumes (como assim?), pode ser que tenha na forma de assinatura, porém só assim não facilita e a possibilidade de obter novos leitores declina, apesar de ter ouvido casos de algumas pessoas que conseguiram os volumes iniciais por acaso em algumas bancas de revista.

Aoharaido gif
Sangramento nasal em 3… 2… 1!

Aoharaido além de estrear em 2011, foi eleito um dos 20 melhores shoujos, recomendação de publicadores e de responsáveis na área de mangás. Quanto a mim, recomendo não só o mangá, como também o anime, desde que comecei a série antes de ser lançada aqui, já tinha um bom adiantamento com o mangá ao ser lançado o anime e a foi sensacional, a adaptação faz jus ao ritmo da Io, a trilha sonora parece ter saído das capas dos volumes do mangá, com os tons de aquarela que cativam, proporcionando uma experiência suplementada pelo mangá e pelo anime.


Vou saindo agora! Se tiverem alguma sugestão, não esqueçam de comentar