[Variedades] BTS e as Referências literárias

Um ótimo Dia Mundial do livro para todo mundo – foi ontem, eu sei, mas aqui é todo dia – e vamos espalhar mais amor e livros por aí!

Em homenagem às preciosidades – vulgo, leituras -, tem esse especial para fazer um paralelo de como a leitura deixa tudo melhor e quando se aprecia o que se faz, é melhor ainda, sabe o quanto é maravilhoso gostar de algo? É que se aprecia em um nível inexplicável e quando faz tão bem que é a melhor sensação e o ápice de um bem-estar, assim como com a leitura, com música é alcançar um novo nível de prazer, é oferecer os sentidos a uma cadência e deixar fluir. Já mencionei eles aqui, o 방탄소년단, Bangtan Sonyeondan, Bangtan Boys, Bulletproof Boy Scouts, Beyond The Scene, mas dá para reduzir e chamar de inspiração, quero dizer, BTS, esse grupo incrível são músicos, compositores, dançarinos, produtores e me permitam dizer: pessoas incríveis, quando a música é um extra eloquente é um privilégio todo especial de acompanhar e compartilhar os segredos literários por trás de produções tão inspiradoras:

Pied Piper: O Flautista de Hamelin de Robert Browning

Trecho da música: “Um pouco perigoso, como o cara que lhe guia com uma flauta”

O sombrio conto de Hamelim de concepção dos irmãos Grimm é uma contundente criação sobre tentação e trapaça, em que o centro da trama é um homem com uma habilidade incomum com a flauta, encantar em nível hipnótico através de sua melodia, é na cidade de Hamelim que o ato principal toma forma, para se livrar de vez da intervenção dos ratos, o flautista viajante propõe um acordo com as autoridades e políticos locais, se livraria dos ratos, porém, após o cumprimento da parte do flautista em livrar a cidade dos roedores, enquanto os cidadãos comemoravam a nova atmosfera, a outra parte rompeu com o acordo, deixando o flautista contrariado e disposto a tomar algo em troca mesmo que não fosse o que lhe apetecia, tomando o “futuro” de Hamelim com sua melodia, levando quase todas as crianças consigo.

Moralmente, o conto conclui que o menosprezo do outro para glória própria pode ter consequências terríveis e, também, o fato de algumas crianças serem conscientes de seu entorno, cientes da realidade e excesso de ilusão serem as sobreviventes da vingança do flautista, leva a crer que essa consciência que mantinham as salvou de uma ruína iminente, portanto assim como a faixa Pied Piper, a consciência é chave para o seu futuro, manter o equilíbrio é importante sempre.

MIC Drop: Fábulas de Esopo de Russel Ash

Trecho da música: “Era uma vez, a mosca na Fábula de Aesop”

Como de conhecimento geral – acredito -, fábulas são tipos textuais onde animais assumem, falam e se aproximam do que podemos admitir como características humanas, na referência em específico é possível fazer um paralelo entre três fábulas da coletânea.

Em uma é demonstrado um conjunto de moscas que ao serem atraídas para uma meleira quebrada se aproveitam do banquete acidental e sem pensar afundam as patas no fluído pegajoso e acabam presas mesmo após se encherem de mel, na outra um inseto numa ânsia cega para se provar acima de um poderoso predador, o leão, consegue vitória causando danos na fera, entretanto acaba presa em uma teia em sua pressa para se vangloriar do feito, já na última uma mosca se gaba de sua vida farta para a formiga que por sua vez se orgulha de conquistar o que deseja através de seu trabalho, quando confrontada, a mosca recusa o desafio e se acovarda, se concluindo que a ânsia para aproveitar da miséria alheia é uma forma de egoísmo que machuca mais a si que aos outros.

Resultado de imagemWINGS e Blood Sweat & Tears: Demian de Hermann Hesse

Hermann usa de fontes da psicanálise e da filosofia com um destaque para o Friedrich Nietzsche, é em sua experiência pessoal sobre a passagem do período da infância ao início da fase adulta – período conhecido como jovem adulto – que o autor retrata a transição de Emil Sinclair, a perca da inocência do garoto é a crescente da trama, esboçando visões do mundo com distintas sensitividades. A densidade é tal que é muito referenciado para estudos colegiais e universitários, a visão de que o mundo possui arestas, porém é necessário encontrar o equilíbrio reconhecendo as fraquezas e potencialidades de ambos, escuridão e luz não existem isoladamente, ambas possuem valores e disposições que assumem “formas” distintas.

Extra: Um fato interessante é que Emil Sinclair além de ser o protagonista da obra, foi o nome usado como pseudônimo do autor na Alemanha, desde que o mesmo era marginalizado e taxado como traidor pelo país, devido ao seu posicionamento a favor da paz durante a Primeira Guerra Mundial.

Daydream: Guia do Mochileiro das Galáxias de Douglas Adams

Protagonizado por Artur Dent que após uma sequência improvável de acontecimentos decide sair da Terra com seu amigo alienígena, Ford Prefect para evitar a eminente catástrofe que vai acomete-la – quem nunca não é mesmo? -, é fazendo essa viagem galática que Artur se depara com alguns fatos reflexivos, como o motivo por trás do planeta Terra e fatos absurdos porém que atenta a capacidade humana de pensar, como por exemplo qual o sentido da vida, questão após milênios ainda não possui uma resposta.

Uma forte característica que o autor aplica na sua narrativa é o humor, apesar do teor de ficção científica do enredo, prevalece a forte marca de uso do humor para questionar e refletir sobre questões desde políticas até existenciais, semelhante a sátiras e tecendo nesse meio tempo o quanto o corriqueiro e familiar não são verdades absolutas, afinal a vida é um cotidiano constante de casos e acasos e a roda do destino tende a controlar seu próprio ritmo, por último a frase “Don’t Panic” é um marco e simboliza um criterioso ponto da trama, onde não só os personagens, como também o leitor chegam a uma auge de reflexão sobre o tal sentido da vida.

Go Go: Vinte Mil léguas submarinas de Júlio Vern

Trecho da música: “Eu quero navegar como o Nemo”

A obra retrata as aventuras em alto mar onde os personagens Arronax, Conseil e Ned Land percorrem a vastidão dos mares em busca de desvendar os mistérios do mundo submarino, para isso percorrem a assombrosa distância de vinte mil léguas, uma aventura que parece descabida, porém emocionante e de um extensão repleta de descobertas. Entretanto é quando tentam domar uma estranha criatura que acabam descobrindo que é feita de ferro e não se trata de um animal em si, mas de um submarino, uma estranha forma de navegar os misteriosos mares, porém eficaz e Nemo é o capitão, com sua sanidade posta à prova, ele sabe o que está fazendo, mas sua forma excêntrica de pensar faz os sinos do perigo soar na mente de seus companheiros e dos navegadores aventureiros, afinal seria Nemo um louco dispendioso ou um sábio insano?

Spring Day: Os que se afastam de Omelas de Ursula K. Le Guin

Omelas é um conto que retrata uma realidade onde a utopia existe, porém, essa idealização só existe porque alguém está sofrendo, ou seja, alguém no cenário aparentemente perfeito recebe as provações nos bastidores, mas não destrói o cenário utópico existente, isso lembra algo?

Algumas semanas atrás o produtor por trás do vídeo de Spring Day afirmou para conhecimento do público que aquela sequência onde o Jimin aparece segurando um par de sapatos, para então fazer uma caminhada para um implícito destino, concluindo com os sapatos pendurados em uma árvore, possui um significado doloroso, em que os sapatos simbolizam as minorias da sociedade, um pouco de da essências das mesma sendo levadas para a sua paz.


OBS: São apenas algumas referências que eles usam, se tem mais a adicionar é só comentar ^^

Resultado de imagem para bts jin fly kiss gif

Anúncios

[Anime] Julgando um anime pela abertura

As músicas são marcantes e a melhor forma de comunicação, por sua facilidade atrelada a uma melodia que envolve o ouvinte, em animes as aberturas e encerramentos são bem… tão bem pensados que deixam uma marca de quem curte o gênero, inclusive muitas delas são parte da infância de uma enormidade de pessoas, as clássicas como Pegasus Fantasy – só o hino da minha vida – de Cavaleiros do Zodíaco, Guerreiras Mágicas de Guerreiras Mágicas de Rayearth, mas são só as nacionais? Não, as japonesas tem espaço também e a lista de hoje é composta de indicações dedicadas à elas:

Sakamoto desu ga?

Com um protagonista totalmente cool, cooler, coolest, Sakamoto mais do que digno de uma abertura arrebatadora, chega dá vontade de soltar o som e viver de repeat por dias a fio.

Shingenki no Kyojin (TODAASS!!)

Depois do retorno brutal do anime para a 2ª temporada, simplesmente aconteceu de dar uma vontade insana de rever o anime todo e ainda maior de rever as aberturas, a abertura da primeira metade da 1ª temporada é a mais eletrizante, a da 2ª temporada foi um momento de choque pelo tempo espera para o retorno do anime, mas 2 semanas depois já estava a plenos “Sasageyo, sasageyo, sinto wo sasageyo!”

HaNaYaMaTa

Esse é um dos animes mais fofos e animados que já assisti, desde o enredo e interação das personagens um sentimento de amizade é crescente e na abertura isso fico bem claro, inclusive transpassando um agradável vontade de ter amigos ao redor, de ser só pessoas, uma abertura dessa é só amor!

Noragami (Não sou capaz de opinar!!)

Se alguém deixar escapar que pula as aberturas de Noragami, sinceramente, eu mesma já excluo de qualquer laço próximo, é não respeitar o herói, ninguém em sã consciência pula esse começo magnífico.

Kuroko no Basket

São várias aberturas para esse anime, todas são maravilhosas, porém fiz questão de selecionar a favorita, porque esse anime o que tem de ótimo conteúdo e adrenalina, tem de boas aberturas e encerramentos, te desafio a negar essa maravilhosidade musical!

Yuri!!! On ice

Essa maravilha que dilacerou corações ao redor do mundo tinha que estar nessa lista, só esse começo é uma conquista certeira para ver o anime e ainda cantar a música a plenos pulmões – inclusive recomendo – fazer uma coreografia na pista de patinação de gelo.

Kaichou wa maid-sama

Somente o meu shoujo favorito e claro uma abertura marcante ganha logo espaço naquela lista de mais amadas para todo o sempre, uma vontade de chorar e cantar loucamente acomete qualquer fã de Kaichou!

Shiki

Quando o anime é de terror, o impacto da abertura começa a invadir até o psicológico, com sutis toques do que terá na trama, Shiki retrata um realidade onde vampiros são devastadores estratégicos e os humanos são presas a serem seduzidas e enlaçadas por esse “charme” sanguinário.

[Especial] A entrada para o paraíso: Bangtan Boys – BTS

B-T-S, EU DISSE O QUÊ? B-T-S, B-T-S, B-T-S, B-T-S!!

Eu, a louca desvairada dos animes, trago pra vocês a evolução das gostos, afinal animes são o princípio, depois vem os live-actions, logo os doramas, k-dramas, depois você está fazendo as coreografias da Girl’s Generation e quando se percebe é tarde demais e o mundo acaba de ficar mais interessante e agitado, não tenho arrependimentos (são anos e o amor não passou) e me surgiu a conclusão tardia de: como assim nunca falei de k-pop por aqui? Uma falha grave que vai começar a ser corrigida today!

Primeiro vamos falar de gênero musical, o K-Pop é um gênero popular musical oriundo da Coreia do Sul, sendo os coreanos grande responsáveis por lançar boys e girls band (tudo o que adoro), ou seja, coreografia para aprender e mandar na sua festa, na formatura e no meio da rua. Um dos fatores que mais atraem atenção no k-pop é o visual, ao olhos externos é considerado bastante excêntrico, os cabelos coloridos, as lentes e a extravagância nas vestimentas, passado esse choque inicial, a conquista vem pelo ritmo extremamente contagiante, por isso mesmo sem saber coreano, muitos se tornam adeptos, afinal não é gosto, é estilo de vida.

Antes restringido a grupos menores que se encontravam em eventos de cultura oriental – grande parte de cultura japonesa – os k-popers aumentaram seu número e hoje já somos um sólido grupo que adora disseminar esse pedaço do paraíso. Em um destaque imenso vai para a Bangtan Boys, ou BTS, o grupo musical que mais cresce nesse gênero atualmente, inclusive agora no dia 21 desse mês de maio, está prestes a levar o k-pop a um nível ainda nunca alcançado no tapete da Billboard, indicados a Social Media e marcando presença no evento (me segura que tô desfalecendo).

O estilo musical da banda se destaca pela fuga ao convencional do K-Pop que se foca bastante naquele pop dançante, inserindo bastante do rap e hip-hop nas músicas e ritmo, contando também com composições bem densas e com críticas sociais, o resultado? É alucinante, viciante e totalmente digno de infinitos repeats e playlists de horas pra curtir essa maravilha musical (inclusive agora mesmo me encontro em um amor pleno em repetir desesperadamente I Need U).

Existem 2 tipos de pessoa: aquelas que gostam de K-Pop e as que ainda não conhecem (se você já ouviu e não gosta, ouve de novo, você escutou muito errado) e para ajudar vai aqui um resuminho leve sobre cada um dos sete integrantes e pessoas mais maravilhosas com as personalidades mais distintas e agitadas que formam esse grupo (em caso de dúvida na pronúncia, clica aqui e já pega a manha):

  • Min Yoongi, é o Suga tongue technology, o responsável por mandar ver nas principais partes de rap da banda, o dialeto ainda é presente na sua forma de falar (algo que influencia na sua fala mais lenta), é também o mais preguiçoso e sério;
  • Park Jimin, que atende por Jiminie (e Chim Chim) mesmo e até mesmo Jiminie e coxas grossas é o que traz a voz mais suave do grupo, muita das vezes responsável por descontrair e aliviar a tensão no clima da banda (e sensualizar pra me desestabilizar);
  • Jeon Jung-kook, conhecido como Jungkook maknae de ouro mesmo é o caçula do grupo, mas não o subestimem em grande parde das apresentações e MV‘s ele está na frente e arrasa na coreografia com movimentos, ritmo e canto arrepiantes;
  • Kim Nam-joon, o Rap Monster ou Namjoon nem é gente, é anjo é o líder, também o segundo integrante responsável pelo rap e hip-hop característico das músicas da banda, além de manda super bem no inglês, sendo responsável por responder muitas das entrevistas internacionais;
  • V personificação de amor, na verdade Kim Taehyung, é basicamente o mais excêntrico, mesmo o nome artístico é devido também a dificuldade de pronúncia do seu nome, possui a personalidade mais afável, sempre que alguém o abraça, ele abraça de volta e não se deixem enganar por essa face de mocinho, quando fala justifica a ideia de “à prova de balas” afinal é tão grave que só assim pra quem sabe, resistir a essa saraivada com essa voz tão intensa;
  • Kim Seokjin, atende pelo apelido de Jin voz celestial é um dos mais velhos, por isso geralmente o mais sério, a mãe do grupo em muitas ocasiões literalmente, dá apoio, carinho e traz pra linha (bônus: cozinha muito bem), tem todo um carisma e a voz é tão calma que só dá  pra amar;
  • J-Hope o rei do molejo é o mais animado, já é comprovado que ele é naturalmente assim, feliz, além de ter um vocal incrível, manda umas palhinhas insanas no rap, amém J-Hope!

Lançados pela Big Hit Entertainment, em 2010 a ideia de formar uma banda no conceito do k-pop começou a ter prosseguimento, contudo até a formação em oficial em 2013 do que hoje seria o que conhecemos como BTS aconteceram vários desfalques de integrantes, o único que persistiu desde a primeira formação é o Namjoon, felizmente a formação concretizada desde o début em 2013 deu super certo e hoje o estrondo causado pela banda só cresce, sendo que já vieram para solo brasileiro 3 vezes (e eu em casa rolando de vontade de estar naquele meio também), em 2013, 2014 e em março desse ano!

A trajetória discográfica é bem diversificada, cada álbum é conceitual e tão único que não dá pra apontar um só como favorito:

  • 2 Cool 4 Skool (1º Álbum de Singles, 2013)not today
  • O!RUL8,2? (1º Mini Álbum, 2013)
  • Skool Luv Affair (2º Mini Álbum, 2014)
  • Dark & Wild (1º Full-lenght, 2014)
  • The Most Beautiful Moment In Life, Pt. 1 (3º Mini Álbum, 2015)
  • The Most Beautiful Moment In Life, Pt. 2  (4º Mini Álbum, 2015)
  • The Most Beautiful Moment In Life: Young Forever (1º Álbum Especial, 2016)
  • Wings (2º Álbum Full-lenght, 2016)
  • You Never Walk Alone (2º Álbum Especial, 2017)

Vai ter mais K-pop, dorama e muito, muito mais por aqui, ah se vai! Aguardem cenas do próximo episódio.


Fiquem com esse vídeo da coreografia de Baepsae:

[Música] As Melhores de 2016

2016 foi um ano dificil.

Mas graças a Deus, também foi um ano de muitas músicas iconicas, muitos cantores e cantoras novos fazendo sucesso e grudando feito chiclete nas nossas vidas. Por isso criamos essa playlist com as 10 melhores músicas de 2016, para relembrarmos apenas o que teve de bom nesse ano tão pesado:

1- Closer (The Chainsmokers ft. Halsey)

Essa com certeza foi a música mais chiclete desse ano, e foi a partir daí que eu comecei a amar a Halsey.

2- 10% (Maiara e Maraisa)

Sem duvidas um dos maiores hinos da música Brasileira esse ano.

3- A-Yo/ John Wayne (Lady Gaga)

ELA VOLTOU! A DEUSA ESTÁ VIVA E CANTANDO SERTANEJO UNIVERSITÁRIO!

4- Million Reasons (Lady Gaga)

Sem palavras. Só sei chorar mesmo.

5- 50 Reais (Naiara Azevedo ft. Maiara e Maraisa)

A melhor volta por cima que você respeita!

6- Dangerous Woman (Ariana Grande)

Esse foi um ano de muitos livros hot, e essa musica foi a trila sonora de todos eles.

7- Dança Pra Mim (Jão ft. Pedrowl)

Jão foi a melhor descoberta musical que fiz esse ano, e essa música tem me ajudado muito a escrever “Longe dos Holofotes“, principalmente porque eu precisava imaginar uma voz para o Sérgio, e essa voz é a do Jão ❤

8-  All In My Head (Fifth Harmony Feat. Fetty Wap. Without Camila Cabello)

Porque tudo fica muito melhor sem a Camila.

9- Treat You Better (Shawn Mendes)

Mozão é Mozão. Só isso mesmo.

10- Sendy My Love (To Your New Lover)

É tocar essa musica eu lembro de todas as separações de 2016.

E ai, quais foram suas musicas favoritas de 2016? La no nosso Instagram (@blogoutrogarotolendo) apresentamos as melhores leituras de 2016, vai dar uma olhada!

Um cheiro e até a próxima!

[Música] 6 Playlists incríveis para turbinar o seu Spotify

Sem delongas, vamos nessa!

  • Indiespensável: Uma seleção incrível de músicas indie para conhecer e para aderir as repetições

  • Disney: Tem essa seleção de faixas cheia de lembranças de momentos maravilhosos da nossa infância ~nostalgia~, tá esperando o quê? Vem cantar junto! (de quebra dá para aprender inglês com as trilhas da infância!)

  • Cantando no Chuveiro: Essa é para você, que assim como eu, adora fazer uma turnê no chuveiro #arrasa

  • Supernerd: Descarta apresentações, e sim, é isso, uma seleção de faixas de séries, animações e filmes que vai te fazer colocar o fone e assumir “Eu sou nerd!”

  • Jazz para Dormir: Tem problemas para relaxar e pegar no sono? Que tal um pouco de jazz, esse conjunto vai encantar os seus sentidos e melhor ainda relaxar a sua mente

  •  #GirlPower: Essa é a minha playlist da vida, se joga, pula dança, se liberta, esse poder é para você que não é só mulher, mas é uma pessoa que ama a si e quer se libertar


Qual playlist te representa? Compartilha comigo!

[Variedades] Viva o YouTube!

MusicUma coisa que eu sou definitivamente viciada e admito, é em YouTube, encontrar algo novo e fora da minha zona de conforto as vezes é tão bom, que me pego repetindo a experiência diversas vezes e foram nessas que fiz algumas adições musicais, acredito que isso pode ter acontecido com alguns de vocês, como ouvir uma música em um vídeo aleatório e ficar com aquela curiosidade enorme a ponto de procurar descontroladamente e quando finalmente a encontra, parece que o repeat não precisa ser desligado nunca mais! Até uma próxima descoberta e começa todo o ciclo novamente, pois bem, hoje trouxe algumas novidades muito bem vindas para minha confusão que chamo de playlist musical.

R5

Primeiro foram os arranjos dos instrumentos que me encantaram, a música é boa, o ritmo predominante é ótimo, ainda em combinação com as notas da Rydel no teclado, é tudo de bom e eu cedi completamente a banda, um tempo depois que descobri que o vocalista principal Ross Lynch era protagonista de uma das séries da Disney, mas esse não é o princípio para não dar a chance de curtir eles, afinal alguns nomes da música atuais começaram assim e não resisto a uma banda com músicas para sair cantando até perder a voz. Obs:

Obs: Reparem em como a voz do Ross muda com as músicas, é no mínimo incitador a continuar ouvindo.

The Cab

Essa é uma das adições “mais velhas”, tem uns 3 anos se bem lembro e essa foi a primeira que ouvi deles e a letra encanta muito, o som soa mais “cru” com os acordes da guitarra, deixando ainda mais emocionante e atraente para quem gosta de um gênero mais voltado ao rock.

Echosmith

Bright foi – continua sendo na realidade – um vicio incontrolável por um tempo que nem tenho coragem de calcular, depois veio Talking Dreams, Come Together e continua até hoje.

Bridgit Mendler

A Bridgit foi outra que conheci por um vídeo que não tinha nada haver com música, se bem lembro era um tutorial e City of the Lights ficou na minha cabeça por horas, até que desisti de tentar e procurei pela tal faixa e acabou nessa afeição.

Panic! At The Disco

O Panic já é amor antigo, porém passou um tempo numa penumbra, meio esquecido, várias mudanças ocorreram, apesar do nome permanecer como banda, só o Brendon Urie está a frente do Panic!, outrora uma banda com letras que exigiam interpretações, afinal não eram simples e continuam não sendo, depois de ouvir Death A Bachealor, single do novo disco de mesmo nome, se deixar cativar pelo estilo meio blues e jazz, junto com toda essa desenvoltura do Brendon é de apaixonar! Que voz!

HAIM

Conhecer esse trio foi o acaso do acaso, quando do nada aparece em uma playlist aleatória uma música delas, foi como encontrar exatamente o tipo de música que precisava ouvir naquele momento e desde então não parou mais, sendo mais do que justificável dado todo esse talento envolvido, com essa mescla de ritmos.

The Kooks

Dessa vez tudo aconteceu graças a barra – maravilhosa – de pesquisa do YouTube, que insistiu em completar Bad, com Habit e cedendo a espontaneidade e pressão da circunstância, nunca fiquei tão satisfeita com o resultado.

The Lumineers

Muitos já devem ter ouvido uma música deles, afirmo isso com bastante veemência e antes que comecem a desacreditar, se lembrem daquelas propaganda da VEVO e para melhorar ainda a memória vai aqui a música em questão que sempre aparecia:

Para os que preferem uma playlist no Spotify, é só aproveitar abaixo:


Vocês já tiveram alguma descoberta musical através do YouTube? Contem pra mim!

 

[Música] Minhas referências musicais

Heloooooo pessoal!

Vamos relaxar um pouquinho e conversar sobre música. Eu separei as minhas bandas favoritas no mundo, aquelas que sempre uso de referencia na hora de procurar novas músicas, ou na hora que preciso de inspiração para escrever, criar peças, ou até para falar o que está engasgado na garganta.

o objetivo desse post na verdade é apresentar a vocês novas bandas e minhas musicas favoritas.

[A bio das bandas foi retirada de sites de dominio publico]

1- The Neighbourhood:

Eu conheci essa banda durante o ensino médio, graças a um ex, que me apresentou as músicas deles (no final das contas foi a unica coisa boa que ficou do ensino médio e do relacionamento hahahaha). The Neighbourhood (“THE NBHD” para os intimos) é uma banda americana de indie rock formada em Newbury Park,Califórnia em 2011. A banda é composta pelo vocalista Jesse Rutherford, os guitarristas Jeremy Freedman e Zach Abels, o baixista Mikey Margott, e o baterista Brandon Abel Fried. Eles te dois albuns lançados, três EPs e uma Mixtape.

 

2- Portugal the Man

Portugal. The Man é uma banda de música de rock psicodélico, com influências indie, baseada na cidade de Portland, no estado norte-americano de Oregon, mas originária de Wasilla, Alasca. O grupo editou os seus dois primeiros álbuns com a Fearless Records. Assinaram contrato com a Atlantic Records em 2 de abril de 2010.

 

3- Maglore

Maglore é uma banda de rock alternativo e MPB formada em meados de 2009 em Salvador por Teago Oliveira (voz e guitarras), Rodrigo Damati (contrabaixo) e Felipe Dieder (bateria). “Veroz”, o primeiro albúm da banda, músicas como “A Sete Chaves” e “Demodê” tiveram muito sucesso com seus videoclipes e se encontram na programação dos principais canais de música do Brasil, como MTV, Multishow e PlayTV.

Em 2013, lançou seu segundo álbum, denominado “Vamos Pra Rua”, ainda com o baixista Nery Leal, e com a participação dos cantores Carlinhos Brown e Wado.

 

4- 5 a seco

5 a Seco é um quinteto musical de MPB formado em 2009 pelos integrantes Leo Bianchini, Pedro Altério, Pedro Viáfora, Tó Brandileone e Vinicius Calderoni. 

 

5- Supercombo

ESSA É A BANDA MAIS INJUSTIÇADA DE TODOS OS TEMPOS! ELES MERECIAM TER GANHO O SUPERSTAR!!!!!!

Criada em 2007, a banda Supercombo, como o nome sugere, é uma combinação de músicos e seus mais diversos estilos, histórias, lugares e influências musicais. Embora surgida em Vitória (ES), Supercombo consolidou sua formação atual em São Paulo, cidade plural, que tradicionalmente projeta as bandas de Rock para o cenário nacional. O primeiro disco da banda, “Festa?”, foi lançado em 2008 e produzido por Sergio Benevenuto; o segundo álbum, “Sal Grosso”, saiu em 2011. Seu terceiro e mais popular álbum foi lançado em 2014, intitulado de “Amianto”.

 

6- The Strokes

The Strokes é uma banda de indie rock dos Estados Unidos formada em 1998 na cidade de Nova Iorque. A banda é formada pelos membros: Julian Casablancas (vocal), Albert Hammond Jr (guitarra), Nick Valensi (guitarra), Nikolai Fraiture(baixo) e Fabrizio Moretti (bateria e percussão).

 

7- Florence Welch

Essa dispensa apresentações.

 

8- Vampire Weekend

Vampire Weekend ganhou atenção devido a uma variedade de blogs, como o Stereogum.A banda foi influenciada pelamúsica popular africana e a música ocidental clássica, descrevendo seu gênero como “Upper West Side Soweto”, tocando músicas como “Cape Cod Kwassa Kwassa”.

 

9- The XX

The xx é uma banda Indie britânica do sudoeste de Londres, Inglaterra. Formada originalmente por Romy Madley Croft (vocais e guitarra) Oliver Sim (vocais e baixo), Jamie Smith (beats e produção) e Baria Qureshi (teclado), em 2005. Os membros originais reuniram-se na Elliott School, escola do sul de Londres notável por seus ex-alunos, incluindo músicos como Hot Chip, Burial eFour Tet.

 

10- Tiago Iorc

Não vamos falar muito desse porque nós ainda vamos nos casar um dia eu não quero vocês colancando olho (brincadeira). Nascido em Brasília, mas radicado em Curitiba, Tiago saiu do país pela primeira vez com apenas 10 meses de idade, e ficou até os 5 anos morando na Inglaterra . Filho caçula de gaúchos, Tiago tem quatro irmãos: Luciana, Rodrigo, Fabiana e Rosana e se encantou pela música aos oito anos de idade. Também morou na cidade de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul.

 

Leia mais »