[Resenha] Isolados – O Enigma

isolados__o_enigma_1484584344645155sk1484584344b

Livro: Isolados - O Enigma

Autor: Babi Tatto

Editora: Novo Conceito

Páginas: 144

Ano: 2017

Sinopse: Bibi Tatto retorna ao Minecraft para uma 
aventura ainda mais eletrizante! 

É o último dia de férias e Bibi acaba de retornar 
de viagem com sua família. Já dentro de casa, ela 
e seu irmão, Gagui, logo se sentem entediados, 
fato que não passa desapercebido pelos seus pais. 
Quando Bibi decide aceitar a sugestão deles e 
acessar o Novo Mundo que criou no primeiro livro, 
ela tem uma surpresa: o avatar do Gagui foi 
sequestrado e agora ela precisará descobrir em que 
lugar do universo do Minecraft ele está preso.

Porém, não será tão simples. O Novo Mundo foi 
invadido por um hacker que se autointitula como 
Intruso. Ele construiu uma série de desafios pelo 
caminho, que juntos compõem um grande enigma, para 
que Bibi tente adivinhar as respostas e alcançar o 
seu objetivo que é salvar o avatar do seu irmão, 
antes que o vilão apague tudo que ela criou. 
E se na primeira aventura Bibi corria contra o 
tempo, agora é a paciência do Intruso que pode 
acabar a qualquer instante...

 

Aproveitando a técnica utilizada pela autora no livro, intercalando o jogo, os passos para a resolução do enigma para libertar o avatar do irmão no Novo Mundo (lugar que criou no livro anterior) e lembranças, pensamentos, confissões da sua vida pessoal e profissional como youtuber, farei confissões:

 

1 – Não a conhecia. – COMO ASSIM?!? –

  Não costumo acompanhar canais, exceto o do meu amigo, o Alê Ribeiro. Apenas acesso quando necessito, através de pesquisa no Google, ou postagens importantes recomendadas por colegas e amigos do face, relacionados a minha área – não acesso todas – ou, raramente, para músicas.

 

2 – MINECRAFT?!?… Nunca joguei ou vi alguém jogando.

  Sei que alguns alunos gostam e jogam; Sei que há livros (os quais ainda não li) e, ainda, os “Diário de um  Zumbi do Minecraft”… Destes, li um ou dois, para indicar ou não compra para atividade de incentivo à leitura em uma das escolas, evento que ocorre anualmente, em outubro.

 

* Ainda: deem um desconto para mim!…

– Sim, trabalho 3 turnos! (E por vezes em casa)

– E tenho livros a ler, filmes e séries! Rsrsrs

 

Como esse livro veio parar na minha mão?.. Adivinha!!… Pergunta para o Alê! – Kkkk!

Ele virou com o famoso: Mana, você é professora e seus alunos gostarão de ler!…

 

O livro traz dados biográficos (o que me fez conhecer a Bibi) misturados aos desafios propostos por um “Intruso” no mundo que a autora criou no Minecraft. (terei que ler mais sobre… rs). Eles envolvem lógica numérica, charadas… Por que ela se submete ao Intruso? Além de tentar libertar o avatar do irmão, impedir que destrua o mundo que ela criou. Obviamente, não contarei “qual é a de mesmo” desse Intruso ou “perde a graça”.

 

Trechos que particularmente destaco estão nas páginas 57, 73 e 113. Alguns dirão: “Ah, fala sério! E o lance com os números nos tijolos, lógica, apresentados ao leitor nas páginas 27, 52 e 79?… As charadas?…”

 

Tá! São interessantes para alunos mas, veja, algo que repito para eles desde… SEMPRE?:

“…Preciso sempre ter muito cuidado com as fontes de pesquisa, se são confiáveis etc. Porque tem muita informação errada por aí! Já imaginaram se estou fazendo um trabalho para o colégio?”

 

Na 73 ela fala sobre a expressão “presente de grego”, citando a história (resumida, claro!) do Cavalo de Tróia! ❤

 

113: bullying – o diferente é feito de “chacota” mas, particularmente, a reação perante isso:

“…aprendi que ninguém pode zoar a gente quando você mesmo brinca com suas falhas.”

 

Tá, não falo assim! Digo para ignorarem, o que dá no mesmo. Afinal, tentar “zoar” quem não ouve a “zoeira”, que graça tem?!?.. É a presença de um público, de alguém que mostre ser atingido, que estimula a continuidade, não é mesmo?!?..

 

Admito que tiveram trechos que eu, devido minhas confissões acima, fiquei: “Hãh?!?”

– Kkk! – Mas gostei da leitura! Pensei em como meus alunos reagiriam, como poderia ser usado… Porque, bem sabem, a gente falar é uma coisa; já alguém com quem eles se identificam falar… Podem parar para ouvir, não é mesmo? A própria srta. Tatto disse que busca dar exemplo positivo, afinal, muitos dos milhões de seguidores são crianças. Gostei deste pensamento dela! 😉

 

Aproveito, já me despedindo, a oportunidade de conhecer um pouco da pessoa que, certamente, é seguida por alguns dos meus alunos; saber que eles tem um exemplo positivo dentre tantos negativos dos quais são cercados diariamente é um “bálsamo”…

 

“Vlw!”

E até mais!

 

Um abraço,

Carolina.

[Resenha] O Lado Bom de ser Traída

o_lado_bom_de_ser_traida_1470741030410696sk1470741030bLivro: O Lado Bom de Ser Traída

Autora: Sue Hecker

Editora: Haper Collins Brasil

Ano: 2016

Páginas: 400

Sinopse: Bárbara é uma profissional de sucesso. 
Noiva há cinco anos de Caio, um empresário no ramo 
de telecomunicações, sua vida é completa e plena. 
Porém, ao ver uma foto dele ao lado de uma mulher que se intitula também 
sua noiva, o mundo de Bárbara desmorona. 
Decidida a não se entregar à decepção, ela resolve dar a volta por cima. 
Com o visual renovado, começa a adotar outras posturas, afastando de vez a 
depressão. Para a sua surpresa, o destino coloca em sua vida Marco, um juiz
extremamente sexy. Bastou um olhar para que ambos fossem tomados por uma 
alucinante tensão sexual. Resta saber se, de fato, Bárbara mudou o 
suficiente para se entregar sem amarras.

Eu nunca imaginaria que fosse existir algum lado bom ser traído. Na verdade, a primeira coisa que vem a minha cabeça quando fico sabendo que alguém foi traído, é que com certeza essa pessoa deve estar sofrendo, ou muito triste. E a Barbara realmente viveu isso. Durante cinco dias ela sofreu toda a dor após descobrir que seu noivo de cinco anos, tinha uma outra noiva.

361c9058-0864-49bb-904a-f67a139f9551

Mas ela não era mulher de sofrer por quem claramente não a merece. Após os seus cinco dias de sofrimento, ela secou os olhos, mudou os cabelos, se deu um  banho de loja e tomou a melhor decisão para quem não quer viver sofrendo: Viver a vida. Quando estamos solteiros, um novo mundo de possibilidades se abre, e quando Barbara encontra com o juiz Marco, claramente uma química explosiva cresce entre eles. Depois de um encontro inesperado em uma Road Trip, os corpos se unem e fica claro para ambos que por mais que tentem e o universo conspire contra, o destino de ambos já está entrelaçado.

O Lado Bom de Ser Traída, é primeiro livro da Série Mosaico, da autora Sue Hecker, um livro envolvente e muito sensual, com personagens tão humanos que poderiam ser qualquer pessoa ao redor. O livro é um prato cheio para quem assim como eu AMA um livro hot, com cenas bem quentes, sensuais e um plano de fundo diferente do que já li até hoje, a Sue nos conduz pelas vidas de Barbara e Marco.

2829d8f3-bfb6-4840-a495-394c00c67621E como se não bastasse estar apaixonado pela série, também estou completamente apaixonado pela autora. Há algumas semanas tive a oportunidade conhecer a Sue que se mostrou uma das pessoas mais animadas das quais já conheci na vida!

A série  Mosaico é composta de 12 livros (sendo 6 ebooks e 6 físicos), e até o momento 4 livros já foram lançados (2 ebooks e 2 físicos), com a promessa de mais um livro físico até o final do ano. Os livros são publicados pela Harper Collins Brasil, com artes de capas maravilhosas e uma campanha de marketing muito bem trabalhada. (até uma linha de batons foi desenvolvida para a divulgação dos livros).

Se você gostou, você pode comprar o seu livro aqui: http://compre.vc/v2/1c6a8d47

E baixar os ebooks gratuitamente aqui: http://amzn.to/2o4UcZo

Um cheiro e até a próxima!

[Especial dia do Blogueiro] Frases que todo blogueiro não aguenta mais ouvir.

Hoje dia 20 de Março, é o dia do blogueiro. E para comemorar resolvi  fazer um post, com todas as frases que nós não aguentamos mais ouvir.

1- Nossa você ganha tantos, acho injusto, tem que sortear tudo!

4

Ahan. Senta lá Cláudia.

2- Nossa, além do livro, você ainda ganha brindes da editora… Que SORTE a sua…

tumblr_lkbkqo7lo51qbffzi

Muita Sorte mesmo! Mas no caso eu chamo isso de trabalho ao invés de sorte.

3- Mas você ganha dinheiro também ou só livro?

tumblr_ltlc6bfqz11r0ejrko1_500

Não miga. Eu pago a conta de luz com livro, a de água com marcador e internet com bottons.

4- Mas, vem cá, isso é um trabalho de verdade?

tenor

Não, to brincando de trabalhar, ta vendo não?

5- Mas você ganha livro de graça, não tem que reclamar de nada!

1hxyl8s2kzv7kiog3dev

Dependa dos Correios para fazer seu trabalho e você vai me entender.

6- Nossa, eu te enviei meu livro por conta própria, e até agora você não resenhou ele, falta de comprometimento a sua hein…

munik-bbb16

Querido autor,

Se eu não solicitei seu livro e você me enviou porque quis, eu também tenho o direito de só ler quando eu quiser.

att.

7- Ser blogueiro deve ser só ler o dia todo e tirar fotos né?

giphy1

Vem cá criar conteúdo todo dia para você ver!

8- Nossa, me da um livro, você ganha vários de graça!

8616258571447

Eu to com cara de que sou seu pai?!

9- Também vou ser blogueiro para ganhar coisas de graça.

blairwaldorf

Antes aprende a diferenciar “Mas” e “Mais” querida.

10- Quando é que você vai arrumar um emprego de verdade.

paola

E quando é que você vai cuidar da sua vida?

Continuar lendo “[Especial dia do Blogueiro] Frases que todo blogueiro não aguenta mais ouvir.”

[Resenha] Todos de pé para Perry Cook

todos_de_pe_para_perry_cook_1484044383643481sk1484044383bLivro: Todos de pé para Perry Cook
Autor: Leslie Connor
Editora: Harper Collins Brasil
Ano: 2017
Páginas: 288
Sinopse: Perry Cook, aos 11 anos, só conheceu uma casa:
o Instituto Penal Misto Blue River. 
Mas apesar de ter nascido e sido criado em uma 
penitenciária, ele não deseja viver em nenhum outro 
lugar; lá ele tem a mãe, a benevolente diretora e 
um grupo de prisioneiros divertidos e bondosos que lhe 
ensinam lições valiosas todos os dias. 
Quando, porém, o novo promotor descobre a permanência 
irregular de Perry em Blue River, ele resolve 
libertar o menino, mesmo contra a vontade dele. 
Em sua jornada para se reunir com a mãe, Perry vai mergulhar não só em uma 
investigação sobre o crime que a levou à prisão mas também em uma jornada 
emocionante e divertida, perfeita para fãs de Extraordinário e 
O menino do pijama listrado.

O mundo de Perry se resume a sua escola, seus amigos, sua mãe e a prisão onde eles moram. Isso mesmo. Perry nasceu dentro de um presidio no Nebraska, na pequena cidade de Surprise. Amado por todos ali dentro, o pequeno Perry já possui uma noção das coisas ao seu redor e do certo e errado. Todos os dias ele levanta, e antes de ir a escola faz os anúncios matinais do presidio porque acredita que um pouco de carinho pode mudar o dia das pessoas. Jessica Cook, mãe de Perry, cumpre pena por homicídio culposo (quando não a intensão de matar), e já cumpriu sua pena por tempo suficiente para em alguns meses pedi sua liberdade provisoria. Porém, o processo de Jessica foi adiado e um promotor descobre a situação de Perry, separando o menino do lar que ele sempre conheceu.

Perry cresceu dentro de um presidido de segurança mínima, junto com sua mãe e todos os moradores de Blue River. Com seu jeito doce e inocente de ver o mundo e as pessoas, Perry é amado por todos, vê naquelas pessoas diferentes, e excluídas da sociedade a sua família. Todos de pé para Perry Cook é o novo livro que recebemos de presente da @harpercollinsbrasil , e já estamos completamente apaixonados por esse livro incrível, e por esse garotinho único, que nos faz acreditar que ainda existe bondade no mundo. #books #book #read #reading #reader #page #pages #paper #instagood #livro #livros #leitura #autor #bestoftheday #bookworm #readinglist #love #photooftheday #vidadeblogueiro #plot #blogger #blog #literatura #literate #stories #words #text

A post shared by Alê Ribeiro Outro Garoto Lendo (@blogoutrogarotolendo) on

Perry nos passa uma visão muito inocente e pura de tudo que acontece ao seu redor, e sempre com uma esperança de que tudo vai dar certo. O livro nos estimula a pensar qual é o real conceito de um “Lar Adequado”. Seria uma casa perfeita, com pessoas que você não conhece e não ama? Seria em um presidio de segurança minima com as pessoas que você conhece por sua vida inteira e que te amam cada uma delas a sua forma?

Todos de pé para Perry Coook é um livro que promete lhe incomodar, lhe forçando a pensar sobre o que é familia, o que é o lar e até onde é certo a lei separar um criança de seu convivo para lhe proporcionar uma vida melhor quando ela já está mais do que feliz com a sua vida. A Harper Collins nos presenteia com esse livro incrivel tanto em enredo,  quanto em edição.

Contar suas vitórias não quer dizer que você não sabe quais são suas derrotas. Você sabe.

 

[FILMES] Conheça os filmes que inspiraram La La Land

AVISO: Se você ainda não viu La La Land, recomendo não ler esse post pois ele tem um pouco de spoilers.

Eu não me canso de falar sobre La La Land, (e espero que muitos de vocês também não) pois além de ser uma das maiores surpresas que tivemos em 2017, temos uma obra de arte sensível, colorida, perfeitamente roteirizada e dirigida, mas não poderíamos esperar outra coisa do  Damien Chazelle, que também foi diretor do premiado e intenso Whiplash (2014). Mas vocês sabiam que para escrever o roteiro de La La Land o Damien buscou referências e inspirações em alguns musicais clássicos, outros nem tanto, mas que ajudaram a montar essa obra de arte que é o filme?

Hoje nós iremos mostrar todos os filmes que o Damien utilizou para usar como inspiração para La La Land e, quem sabe, fazer você se apaixonar um pouquinho mais pelo mundo dos musicais.

12) Les Demoiselles de Rochefort (1967)

Na cidade francesa de Rochefort a Festa do Mar é o evento ideal para encontros e reencontros entre irmãs, velhos amigos e novos conhecidos. De acordo com o diretor, o que mais importa no filme é o sentimento apaixonante e eufórico pelo qual este filme está carregado. Damien usou uma cena desse filme como inspiração para o início de La La land.

11) Grease (1978)

Quem nunca assistiu ou ouviu falar sobre um dos musicais mais famosos de todos os tempos? Com tanta fama era óbvio que Grease não ficaria de fora das inspirações que o Damien usou para escrever uma das cenas do filme. A take escolhida nesse caso é a cena em que Rizzo tira sarro da Sandy imitando-a, mas pro filme o Damien apenas fez referência as amigas da Mia se arrumando para sair, nada de chacota.

10) West Side Story (1961)

Este musical, oriundo da Broadway, se tornou um filme de grande sucesso em 1961 se passando em Nova Iorque em 1950, e explora a rivalidade entre os Jets e os Sharks, duas gangues de rua adolescentes com diferentes origens étnicas. O diretor de La La Land usou umas das cenas na fábrica de tecidos para, também, fazer referência as a Mia e as amigas se preparando para sair.

9) Sweet Charity (1969)

Também usado para a cena em que Mia e suas amigas estão saindo, esse musical do final dos anos 60 fala sobre Charity, uma dançarina de cabaré que sempre se apaixona pela homem errado, e que, ao ir numa palestra, se apaixona por um homem desajeitado e faz com que sua vida mude totalmente de rumo.

8) Singin’ In The Rain (1952)

Sendo conhecido como o maior musical americano de todos os tempos, assim como Grease, seria meio óbvio que Singin’ In The Rain ocupasse um lugarzinho especial no roteiro do Damien. E ele não aparece apenas uma vez como inspiração no filme, o diretor usa diversas takes que fazem referência a La La Land, mas o momento de maior inspiração é com certeza quando o personagem do Gene Kelly dança segurando em um poste de luz, no qual o Sebastian o faz quando ele e Mia estão cantando A Lovely Night.

7) Shall We Dance (1937)

A inspiração usada na cena em que Mia e Sebastian estão cantando A Lovely Night veio do filme de 1937 Shall We Dance. O musical conta a história de Petrov Peters, que é um dançarino que viaja pelo Oceano Atlântico porque deseja ficar perto da famosa estrela de musicais Linda Keene.

6) The Band Wagon (1953)

Mais um filme que inspirou na cena de A Lovely Night e mais um filme de Fred Astaire, baseado em um musical da Broadway, The Band Wagon se tornou um filme em 1953 e é considerado por muitos críticos um dos maiores musicais de todos os tempos, juntamente com Singin’ In The Rain. Ele conta a história de Tony Hunter, uma estrela do teatro que está preocupado que sua carreira possa estar em declínio, e então seus amigos escrevem uma peça que acreditam que salvará a carreira de seu amigo.

5) Moulin’ Rouge (2001)

Talvez um dos musicais mais recentes dessa lista, Moulin Rouge foi indicado a vários festivais e recebeu uma ótima crítica de quem o assistiu e da mídia. Sua história conta a vida de um jovem poeta chamado Christian que, contra a vontade dos pais, se muda para Paris e lá passa a frequentar o Moulin Rouge, um salão de dança, um clube noturno e um bordel, e se apaixona pela bela Satine.

4) Funny Face (1957)

Trazendo a famosa Audrey Hepburn e novamente o Fred Astaire, esse musical de 1957 nos fala sobre a busca do fotógrafo Dick Avery a encontrar sua modelo perfeita, Jo Stockton. A cena inspirada é a de quase no final do filme, quando eles nos mostram Mia em uma sessão de fotos.

3) An American in Paris (1951)

Damien se inspirou nesse musical para compôr a cena final de La La Land, que nos mostra como o relacionamento da Mia e do Sebastian poderia ter sido. O filme em questão se passa após a Segunda Guerra, quando um soldado americano resolve tentar a sorte como pintor em Paris. Ele é descoberto por uma mulher rica, que tem outros interesses além de seus quadros, mas se apaixona por Lise, que está noiva de outro homem.

2) Les parapluies de Cherbourg (1964)

Esse musical francês de 1964 retrata a vida da jovem Geneviève, que vive com sua mãe e trabalha em sua loja de guarda-chuvas. Ela é apaixonada por Guy que tem que ir para o exército para lutar pela França por tempo indeterminado, quando descobre que está gravida dele e fica na dúvida se espera ou não por ele, ao mesmo tempo sua mãe tenta a convencer a se casar com Roland, um homem rico que está apaixonado por ela e pretende se casar com ela. A cena que Damien usou como inspiração compõe a cena que do final de La La Land.

1) Broadway Melody of 1940 (1940)

Tendo como última referência em seus filme, e mais um filme com o ícone Fred Astaire (até aqui você já deve ter percebido o quanto o Fred era famoso es sua época, não?), Broadway Melody of 1940 fala sobre Johnny Brett e King Shaw, que vêm tentando fazer sucesso como uma dupla de dança em Nova York. O Damien se inspirou neste filme na cena em que Mia e Sebastian parecem que estão dançando entre as estrelas.

 

Confira o vídeo que usamos para fazer esse post contendo todas as referências de La La Land:

 

 

[Resenha] Fogo contra Fogo

AVISO: Essa resenha pode conter alguns spoiler do segundo livro da série “Dente por Dente”, mas garantimos não possuir nenhum spoiler de “Fogo contra Fogo”

fogo_contra_fogo_1480988784633202sk1480988784bLivro: Fogo contra Fogo

Autores: Jenny Han & Siobhan Vivian

Editora: Novo Conceito

Ano: 2017

Páginas: 350

Sinopse: A festa de Ano-novo terminou com uma tragédia 
irreparável, e Mary, Kat e Lillia podem não estar 
preparadas para o que está por vir. Após a morte de 
Rennie, Kat e Lillia tentam entender os acontecimentos fatais daquela noite. 
Ambas se culpam pela tragédia. Se Lillia não tivesse se apaixonado por Reevie. 
Se Kat não tivesse deixado Rennie ter partido sozinha. Se a vingança não tivesse 
ido longe demais, talvez as coisas seriam como antes. Agora, elas nunca mais 
serão as mesmas. Apenas Mary sabe a verdade sobre aquela noite. Sobre o que ela 
realmente é. Também descobriu a verdade sobre Lillia e Reeve terem se apaixonado, 
sobre Reeve ser feliz quando tudo o que ele merece é o sofrimento, assim como ela 
ainda sofre. Para Mary, as tentativas infantis de vingança ficaram no passado, 
ela está fora de controle e pretende sujar suas mãos de sangue, afinal, não tem 
mais nada a perder.

Os eventos finais de “Dente por Dente”, no deixaram com falta de ar por muito tempo. Mas finalmente a Editora Novo Conceito publicou o ultimo livro da série, “Fogo contra Fogo”.

A vida é longa, se você permitir.

Rennie está morta, e as meninas se culpam por vários motivos e envoltas em mentiras e segredos. Mary descobre que sempre esteve morta, depois de todo o sofrimento causado a ela por Reevie no passado, ela descobre que, o que pensou ter sido uma tentativa falha de tirar a própria vida, na verdade lhe causou a morte, a deixando presa na Ilha para sempre. O impacto de sua descoberta é tão forte que provoca a morte de Rennie no final do segundo livro.

Esse não é o meu funeral. É o de Rennie.

78ef14f0-39b8-4890-98b6-ac71766022dfFogo contra Fogo era para mim um livro que trazia grandes expectativas desde o anuncio de seu lançamento, e preciso dizer que não deixou a desejar em nenhum aspecto. Talvez apenas no tamanho, pois eu juro que foi muito doloroso finalizar essa leitura. Nesse livro, finalmente temos ideia da proporção do ódio que a Mary sente, a consagrando como a grande vilã da trilogia. Estaria mentindo se dissesse que não torci muito pelo meu shipp Lillia e Reevie, mas o desfecho apesar de não ser o que eu esperava com certeza foi um dos melhores desfechos possíveis, pois uma historia que começa errada não tem como acabar bem não é mesmo?

Não houve um momento no nosso relacionamento que não tenha sido carregado de segredos e mentiras e sofrimento.

Eu nunca tinha reparado que a escrita da Jenny Han tinha um flexibilidade tão grande até ter lido “Para todos os garotos que já amei” e retornar ao universo de “Olho por Olho“, eu também preciso de mais livros da Siobhan Vivian na minha estante pois posso afirmar que que ela já tem um lugar no meu coração depois desse livro.

A Novo Conceito fez um trabalho incrível, não só por finalizar uma serie a qual eu já não tinhas mais esperanças de finalizar (entendam meu lado, foi bastante tempo sem saber o que iria acontecer com minhas meninas), como com uma edição super caprichada com tradução e revisão impecáveis.

Fãs de Pretty Little Liars escutem o que eu lhes digo: Muito antes da “A”, existia uma Mary. E vocês não vão se decepcionar se conhecerem todos os segredos que a Ilha Jar esconde.

Um Cheiro e até a próxima!

Continuar lendo “[Resenha] Fogo contra Fogo”

[Diário de Leitura] Louca por Você – Série After Dark; Livro 1: Capítulos 1 – 3

Hey Hey!!

E mesmo atrasado, aqui estou para o primeiro relatório do Diario de Leitura. Em Louca por Você, vamos conhecer a Julliete e o Daniel. Logo nos primeiros capítulos, fica bem claro o quão apaixonada a Julie é pelo Dan, de forma a moldar sua vida para que esteja sempre peto dele, mesmo não tendo um retorno.

A Julie perdeu seus pais muito nova, e acabou sendo criada pelos pais do Dan como uma filha, fazendo com que seu amado a veja como um irmã e não como uma mulher. Aos 28 anos, o sonho dela é ser cantora, enquanto ele a proíbe terminantemente de cantar em bandas ou ate mesmo no bar do qual ele é dono, com medo do assedio que ela receberia dos homens.

Um ponto muito interessante no livro, é a linguagem utilizada pela autora, que permite com que o leitor se sinta muito próximo dos personagens e da história. Eu estou completamente apaixonado por esse livro.

Por hoje é isso, e tão logo consiga terminar os próximos três capítulos, volto para continuarmos nossa conversa.

 

Cambio e desligo!

[Resenhista Convidada] A Garota do Calendário: Maio

(Convidamos a nossa amiga Carolina Silva, para vir contar a vocês um pouco da experiência dela durante a leitura de “A Garota do Calendário: Abril”, série que de tanto eu falar ela não conseguiu resistir e se deliciou com as aventura da Mia Saunders)

a_garota_do_calendario__maio_1466514085592458sk1466514085bLivro: A Garota do Calendário - Maio

Autor: Audrey Carlan

Editora: Verus Editora

Ano: 2016

Sinopse: O quinto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser... Em maio, Mia vai trabalhar como modelo no Havaí, onde conhecerá Tai, um dos homens mais impressionantes que ela já viu. Com ele, Mia vai descobrir que o prazer não tem limites — e que ela deve aproveitar absolutamente tudo o que a vida tem a oferecer.

 

 

 

 

Maio: mês das noivas! praia_linda

E tem gente ficando noiva! 

E Mia se assustando…

Mas também é um mês de praia…

O cliente deste mês, Angel D’Amico, italiano casado com a belíssima Rosa, ambos na faixa dos cinquenta, fotógrafo. Mia participa da campanha A beleza vem em todos os tamanhos – sim, biquínis! E o modelo que posará para fotos com ela e as outras modelos… “Tatuagens tribais pretas.” – Tai Niko, um samoano de olhos negros. Ela, Mia, uma “haole”.

Algumas fotos, muito tempo para passear, conhecer a ilha com seu próprio guia, e poderá trazer sua melhor amiga e irmã para uns dias. Que vidão com todo aquele mar!!…

Tai, apesar de todo o… calor… proporcionado por… todo… aquele sol havaiano… é um rapaz de família – família essa que a Mia conhece, claro! A D.Masina, chamada de Tina (mãe), pode “ver” coisas. Olha para nossa amiga com alegria, mas… o destino dela… (Pensa que vou falar?!?.. rs) Disse que o filho conheceria a companheira dele de forma inesperada. Mia, claro, sabe que:

Pessoas como ele, boas e gentis (…) geralmente se dão bem na vida.” p.69.

Este mês, creio, ser dedicado a reflexão – tá, além de “escapadas da realidade”!.. J  –, dedicado a família… A irmã da nossa amiga a ama, reconhece e agradece toda a sua dedicação, mas quer muito que a Mia viva para si mesma… Afinal, ela não é mais criança! Faculdade, planos de doutorado… dentre outros! Uns planos na frente de outros, mas com apoio.

Mia sente coisas meio “fora de controle” – do dela.

“Não havia muito o que eu pudesse fazer além de seguir o meu próprio conselho. (…) Deixa rolar.” p.114

Certeza de laços. E, desta vez, não foi para seu cliente que a nossa querida protagonista deixou sua carta, mas para “você-sabe-quem”!  ♣  (Não, não confunda histórias!.. rs)

Junho que a aguarde!

tumblr_o0qgipvVWC1u230jno1_500

[Eventos] Turnê: O amor nos tempos de #likes

4 booktubers se reúnem para recontar contos clássicos da literatura mundial em três contos maravilhoso. Foi assim que surgiu “O amor nos tempos de #like”, livro escrito a quatro mãos pela Pam Gonçalves, Bel Rodrigues, Hugo Francioni e Pedro Pereira (Pedrugo).

Com contos inspirados em Orgulho e Preconceito, Dom Casmurro e Romeu e Julieta, os quatro conseguem transmitir para a realidade dos jovens de, a essência do amor de antigamente. No dia 08 de Junho, recebemos esse queridos na Saraiva Salvador Shopping para a sessão de autógrafos do livro “O amor nos tempos de #likes”.

O Evento reuniu certa 70 fãs avidos e apaixonados pelo encontro com os booktubers. Contamos também com o apoio da nossa fotógrafa parceira Bia Lino, confira as fotos:

IMG_3754IMG_3759IMG_3761IMG_3736IMG_3737IMG_3766IMG_3767

IMG_4104IMG_4084

 

E para quem não foi, ou na turnê passou pela cidade de vocês, os meninos deixaram alguns marcadores autografados para sorteio, e para participar é muito simples:

Seguir o nosso instagram (@outrogarotolendo), e comentar aqui no post o seu user do instagram e o email para contato. Serão 3 sorteados que vão levar os marcadores autografados e um kit de marcadores do Grupo Editorial Record.

O Resultado sai dia 08/07!

IMG_4080

 

Um cheiro e atá a próxima!

[Resenha] 10 Cloverfield Lane (2016)

Filme: 10 Cloverfield Lane 
(Rua Cloverfield, 10) 
Elenco:  Mary Elizabeth Winstead, 
John Gallagher Jr., John Goodman
Direção: Dan Trachtenberg
Gênero: Suspense, Sci-Fi
Ano: 2016
Sinopse: Uma jovem (Mary Elizabeth Winstead), 
após um grave acidente de carro, acorda no 
porão de um desconhecido (John Goodman). 
O homem diz ter salvado sua vida de um ataque
químico que deixou o mundo inabitável, e, 
por isso, a manterá presa no local.

Hello, hello, hello!

Como havia mencionado no meu último post, um dos filmes que eu mais estava ansioso para assistir este ano era 10 Cloverfield Lane, e a espera acabou. E não podia faltar uma resenha.

O filme, dirigido por Dan Trachtenberg pode ser confudido com Cloverfield, longa de 2008 do diretor Matt Reeves. Os dois foram produzidos por J. J. Abrams, que leva mais destaque que os diretores, inclusive. Mesmo sendo filmes diferentes, o tema abordado vem a ser o mesmo. Um mundo pós-apocalíptico  devido à invasão de alienígenas na Terra.

Começamos a história com Michelle fazendo as malas e saindo de casa pois terminou seu relacionamento. Na estrada, ela sofre um acidente e acorda presa em uma cela. Assim ela conhece Howard, um aposentado da Marinha que lhe explica a situação.  Ele conta que a Terra foi atacada por alienígenas e todo o ar foi contaminado. Porém, ele estava preparado e contruiu um bunker (típico dos EU) para sobreviver o tempo necessário até poder sair à superfície.

Claro que a princípio Michelle não acredita na história de Howard, nem o espectador. Ela se sente presa e confusa. Logo descobre que tem uma terceira pessoa, Emmett. Ele é um rapaz que ajudou Howard a construir o bunker e se refugiou com ele. Assim, Michelle vai  fazer o possível para tentar escapar.

A atmosfera do filme é muito bem feita, com bastante suspense, mistérios e alguns sustos. Nada do que acontece é uma certeza e você se pega duvidando da própria sombra, assim como Michele duvida de tudo o que vê. Howard é um poço de mistérios e ela não se sente segura com aquela situação, nem acredita que o ar realmente está contaminado.  A fotografia também é muito boa junto com a trilha sonora.

Quanto às atuações, o destaque vai para Mary Elizabeth Winstead. Nossa personagem principal transborda  girl power, ela toma controle da situação e do plano de fuga e o executa praticamente sozinha. John Gallagher Jr também está ótimo e irreconhecível comparado a seu trabalho em Hush (resenha aqui). E John Goodman sabe transitar muito bem de ameaçador a sensível. Sinistro.

A melhor coisa do filme deixo como surpresa, que é o final. Particularmente gostei bastante, e vocês?