[Texto] Você só tem uma vida

Uma vez eu conheci uma pessoa que tinha desistido de viver.

Essa pessoa, emanava uma aura de dor e tristeza, que contaminava todos que tentavam se aproximar, que tentavam ajudar de alguma forma. Ela se agarrava ao trabalho, e ao consumo deliberado na esperança de preencher o vazio dentro de si.

Ela sugava a alegria e a vida das pessoas, para tentar preencher o abandono que sua família havia deixado. Caia de cabeça em histórias de amor, para esquecer da falta que o amor fazia na sua vida.

Mas ela esquecia que se quisesse, poderia ter tudo aquilo que sentia falta. A vida não tira as coisas boas de você, você é que faz as coisas boas se afastarem da sua via. Quando estamos cegos pela dor e pela tristeza, não conseguimos enxergar que existe uma luz do lado de fora, que existe uma luz dentro das pessoas. Nós abraçamos a dor de uma forma tão desesperada, que a vida passa, e nós não vivemos o que ela tem de bom.

Por mais difícil que as coisas pareçam, por mais triste que você esteja, não deixe seu coração se fechar para vida. Pois tudo passa, tudo acaba, mas a Vida é uma só, e não podemos vive-la em sofrimento.

Você só tem uma vida. VIVA!

Anúncios

Dia Internacional da Mulher

simone-de-beauvoir

“Ninguém nasce mulher, torna-se mulher.” Simone Beauvoir

Pois com essa frase dita pela escritora, filósofa, intelectual, existencialista, ativista política, feminista Simone Beauvoir que vamos dar início a uma série de matérias falando e mostrando a importância das mulheres especificamente na literatura e na cinematografia, já que é sobre isso que o nosso blog é dedicado.

Ao transformar-nos mulher, juntamente vem uma série de desafios e obstáculos que temos que passar diariamente se quisermos ocupar um lugar importante e notório em qualquer ambiente que seja – e se formos uma mulher negra, temos que batalhar quatro vezes mais para poder ocupar o mesmo lugar que um homem facilmente ocuparia, apenas por ser homem. Obviamente, essa não é uma regra geral, mas acontece majoritariamente em muitos espaços.

Dentro da literatura e do cinema isso não seria diferente. Essas são duas áreas que historicamente são locais onde homens ocupam os lugares mais altos e de mais importância. Quando estamos na escola não percebemos isso a fundo, mas basta chegarmos na faculdade e pensarmos: quais livros ou artigos que usamos dentro do meio acadêmico foram escritos por mulheres? Quantas grandes escritoras, contemporâneas ou não, teremos que ler como base de alguma disciplina? É fácil saber a resposta.

Moser-The-True-Glamour-of-Clarice-Lispector-1200-630-18124604

Claro que os nossos grandes escritores são importantes para o que entendemos hoje como mundo, mas tivemos e temos mulheres tão inteligentes e importantes quanto que merecem espaço dentro desses círculos, mas que infelizmente ainda tem que lutar bastante para ocupa-los. Nomes como Harriet Taylor, Hannah Arendt, a própria Simone de Beauvoir, Angela Davis, Sarah Kofman, dentre tantos e tantos outros importantes somaram hoje para o que conhecemos sobre filosofia e sociologia.

Fazendo um recorte atual e nacional, o espaço literário brasileiro ainda está muito fechado e as mulheres ainda precisam ralar bastante para ocupar um lugarzinho. Nós fazemos parte de apenas 28% dos livros que são publicados nacionalmente. Exatamente. Isso significa que os homens detém 72% de todos os livros publicados. Saudades igualdade, né?

angela-davis

Mulheres ao longo da história como Cora Coralina, Nísia Floresta Brasileira Augusta (primeira mulher a romper o espaço particular dos homens na Literatura), Ana Eurídice Eufrosina Barandas (considerada a primeira cronista do país), Clarice Lispector (uma das escritoras brasileiras mais importantes do século XX), Nélida Pinon (primeira mulher a ser Presidente da Academia Brasileira de Letras) e Maria Firmina dos Reis (primeira romancista brasileira) foram apenas algumas das escritoras mais importantes que foram as vanguardistas nessa luta de conquistar o nosso espaço em um ambiente dominado por homens (brancos).

Já falando um pouco sobre as mulheres e o cinema, é verídico dizer que o nosso espaço dentro da literatura é bem maior (porém ainda insuficiente) do que os locais de voz que as mulheres tem dentro da indústria cinematográfica. Quer como sendo diretora, escritora ou protagonista, as mulheres nesse meio têm que lutar muito ainda para adentrar em um local onde os homens mandam e desmandam desde sempre e onde mulheres ainda são altamente sexualizadas, objetizadas, sofrendo os mais variados tipos de opressão e silenciadas quando falam sobre o assunto. Felizmente o cenário está mudando e o ano de 2016 foi o ano onde houveram mais mulheres protagonizando filmes importantes do que homens. Obviamente ainda há um caminho muito grande a ser conquistado, mas temos que aprender a valorizar o que conquistamos e lutamos até hoje para que possamos empoderar mais mulheres a fazer o mesmo.

we-can-do-it-poster-1024x741-960x694

E é sobre isso que essa semana será: fazer com que nossos leitores conheçam as histórias de bravas mulheres que queriam mudar e abrir mais espaço para outras mulheres no futuro. Elas conseguiram e deixaram a sua legacia para que possamos continuar a seguir os seus passos e libertar outras mulheres.

Feliz Dia Internacional da Mulher.

[FILMES] Conheça os filmes que inspiraram La La Land

AVISO: Se você ainda não viu La La Land, recomendo não ler esse post pois ele tem um pouco de spoilers.

Eu não me canso de falar sobre La La Land, (e espero que muitos de vocês também não) pois além de ser uma das maiores surpresas que tivemos em 2017, temos uma obra de arte sensível, colorida, perfeitamente roteirizada e dirigida, mas não poderíamos esperar outra coisa do  Damien Chazelle, que também foi diretor do premiado e intenso Whiplash (2014). Mas vocês sabiam que para escrever o roteiro de La La Land o Damien buscou referências e inspirações em alguns musicais clássicos, outros nem tanto, mas que ajudaram a montar essa obra de arte que é o filme?

Hoje nós iremos mostrar todos os filmes que o Damien utilizou para usar como inspiração para La La Land e, quem sabe, fazer você se apaixonar um pouquinho mais pelo mundo dos musicais.

12) Les Demoiselles de Rochefort (1967)

Na cidade francesa de Rochefort a Festa do Mar é o evento ideal para encontros e reencontros entre irmãs, velhos amigos e novos conhecidos. De acordo com o diretor, o que mais importa no filme é o sentimento apaixonante e eufórico pelo qual este filme está carregado. Damien usou uma cena desse filme como inspiração para o início de La La land.

11) Grease (1978)

Quem nunca assistiu ou ouviu falar sobre um dos musicais mais famosos de todos os tempos? Com tanta fama era óbvio que Grease não ficaria de fora das inspirações que o Damien usou para escrever uma das cenas do filme. A take escolhida nesse caso é a cena em que Rizzo tira sarro da Sandy imitando-a, mas pro filme o Damien apenas fez referência as amigas da Mia se arrumando para sair, nada de chacota.

10) West Side Story (1961)

Este musical, oriundo da Broadway, se tornou um filme de grande sucesso em 1961 se passando em Nova Iorque em 1950, e explora a rivalidade entre os Jets e os Sharks, duas gangues de rua adolescentes com diferentes origens étnicas. O diretor de La La Land usou umas das cenas na fábrica de tecidos para, também, fazer referência as a Mia e as amigas se preparando para sair.

9) Sweet Charity (1969)

Também usado para a cena em que Mia e suas amigas estão saindo, esse musical do final dos anos 60 fala sobre Charity, uma dançarina de cabaré que sempre se apaixona pela homem errado, e que, ao ir numa palestra, se apaixona por um homem desajeitado e faz com que sua vida mude totalmente de rumo.

8) Singin’ In The Rain (1952)

Sendo conhecido como o maior musical americano de todos os tempos, assim como Grease, seria meio óbvio que Singin’ In The Rain ocupasse um lugarzinho especial no roteiro do Damien. E ele não aparece apenas uma vez como inspiração no filme, o diretor usa diversas takes que fazem referência a La La Land, mas o momento de maior inspiração é com certeza quando o personagem do Gene Kelly dança segurando em um poste de luz, no qual o Sebastian o faz quando ele e Mia estão cantando A Lovely Night.

7) Shall We Dance (1937)

A inspiração usada na cena em que Mia e Sebastian estão cantando A Lovely Night veio do filme de 1937 Shall We Dance. O musical conta a história de Petrov Peters, que é um dançarino que viaja pelo Oceano Atlântico porque deseja ficar perto da famosa estrela de musicais Linda Keene.

6) The Band Wagon (1953)

Mais um filme que inspirou na cena de A Lovely Night e mais um filme de Fred Astaire, baseado em um musical da Broadway, The Band Wagon se tornou um filme em 1953 e é considerado por muitos críticos um dos maiores musicais de todos os tempos, juntamente com Singin’ In The Rain. Ele conta a história de Tony Hunter, uma estrela do teatro que está preocupado que sua carreira possa estar em declínio, e então seus amigos escrevem uma peça que acreditam que salvará a carreira de seu amigo.

5) Moulin’ Rouge (2001)

Talvez um dos musicais mais recentes dessa lista, Moulin Rouge foi indicado a vários festivais e recebeu uma ótima crítica de quem o assistiu e da mídia. Sua história conta a vida de um jovem poeta chamado Christian que, contra a vontade dos pais, se muda para Paris e lá passa a frequentar o Moulin Rouge, um salão de dança, um clube noturno e um bordel, e se apaixona pela bela Satine.

4) Funny Face (1957)

Trazendo a famosa Audrey Hepburn e novamente o Fred Astaire, esse musical de 1957 nos fala sobre a busca do fotógrafo Dick Avery a encontrar sua modelo perfeita, Jo Stockton. A cena inspirada é a de quase no final do filme, quando eles nos mostram Mia em uma sessão de fotos.

3) An American in Paris (1951)

Damien se inspirou nesse musical para compôr a cena final de La La Land, que nos mostra como o relacionamento da Mia e do Sebastian poderia ter sido. O filme em questão se passa após a Segunda Guerra, quando um soldado americano resolve tentar a sorte como pintor em Paris. Ele é descoberto por uma mulher rica, que tem outros interesses além de seus quadros, mas se apaixona por Lise, que está noiva de outro homem.

2) Les parapluies de Cherbourg (1964)

Esse musical francês de 1964 retrata a vida da jovem Geneviève, que vive com sua mãe e trabalha em sua loja de guarda-chuvas. Ela é apaixonada por Guy que tem que ir para o exército para lutar pela França por tempo indeterminado, quando descobre que está gravida dele e fica na dúvida se espera ou não por ele, ao mesmo tempo sua mãe tenta a convencer a se casar com Roland, um homem rico que está apaixonado por ela e pretende se casar com ela. A cena que Damien usou como inspiração compõe a cena que do final de La La Land.

1) Broadway Melody of 1940 (1940)

Tendo como última referência em seus filme, e mais um filme com o ícone Fred Astaire (até aqui você já deve ter percebido o quanto o Fred era famoso es sua época, não?), Broadway Melody of 1940 fala sobre Johnny Brett e King Shaw, que vêm tentando fazer sucesso como uma dupla de dança em Nova York. O Damien se inspirou neste filme na cena em que Mia e Sebastian parecem que estão dançando entre as estrelas.

 

Confira o vídeo que usamos para fazer esse post contendo todas as referências de La La Land:

 

 

[Textos] Longe dos Holofotes

Hey! Como vocês estão?

2016 foi um ano muito louco mais ainda assim um ano muito especial. Foi um ano de dar e receber muito amor, carinho, boas energias, e muito incentivo vindo de vocês. E eu preciso retribuir isso de alguma forma, ou ficaria completamente maluco.

A mais ou menos um mês, eu anunciei que estava escrevendo um livro novo, e diferente de “Começo & Fim” eu não publicaria ele no Wattpad. “Longe dos Holofotes” vai sair das minhas mão diretamente para de vocês de outra forma que ainda não podemos comentar, pois por enquanto são apenas planos. Mas nada mais justo do que compartilhar um pouquinho da história do Sérgio Raul com vocês. Uma coisa que posso dizer é que tenho me divertido muito com esse cantor egocêntrico e apaixonado pela própria aparência.

Então vamos lá:

15253388_1296062053791632_5001072708727623323_n

Sinopse: Sérgio Raul é um cantor de sucesso. Adorado por legiões de fãs histéricas
que fariam das mais diversas loucuras por ele, jornalistas e paparazzi que seguem
seus passos todos os dias, e por sua namorada, a Diva POP Christina C. 
Com seu carisma e um belo sorriso torto, o cantor adolescente de baladas 
românticas, conquista todos por onde passa, mas ainda assim, o jovem sente que 
falta algo na sua vida. Durante o último show da sua turnê mundial, Sérgio conhece
Nicolas, um garoto do interior que está lutando pelo seu lugar nos holofotes, 
mesmo que para isso ele precise começar por baixo. Como assistente de produção, 
por exemplo. 
Juntos eles irão aprender muito sobre si mesmos, sobre os caminhos que precisam 
tomar, e que o amor não escolhe a hora para aparecer.

 

Sérgio ficou muito famoso fazendo videos no Youtube com covers de grandes artistas. Ele saiu pela sua primeira turnê pelo Brasil e está as vésperas de gravar seu primeiro álbum. Mas ele sente que ainda falta algo na sua vida. Sérgio tem um ego enorme, as coisas mais importantes do seu dia são: ir para academia e fazer algum novo tratamento de beleza.

Nicolas sempre lutou muito para ter o seu lugar. Seu sonho sempre foi ser musico, e para isso ele saiu do interior do Rio para estudar em São Paulo. Quando surgiu a oportunidade de trabalhar em uma turnê ele pensava que fosse ser sua grande chance. Ele só não pensou que para isso ele fosse precisar do Sérgio.

Com certeza eu nunca me divertir tanto escrevendo um livro como esse, e para vocês entenderem um pouco, e como meu presente de Natal, vocês vão poder ler um trecho do livro e espero que vocês gostem dele tanto quanto eu. Aproveitem, “Longe dos Holofotes”:

oie_transparent-2

“SENHORAS E SENHORES! COM VOCÊS, SÉRGIOOOOOO RAUL!!”

Por mais que eu subisse no palco 5 dias por semana, as vezes mais de uma vez no dia, eu nunca iria me acostumar com isso. A correria atrás da coxia, os gritos das fãs que lotavam o teatro, uma comichão no meu peito… mas faltava algo. Eu não sabia o que era, mas sabia que faltava algo.

Subo no palco e os gritos aumentam de forma que mal consigo ouvir a minha própria voz. Corro de um lado para o outro, cantando com meu amor e com minha dor, as horas passam e eu nem as sinto, devido a energia que corre meu corpo. A 5 meses atrás quando eu comecei a postar meus covers na internet, eu não podia imaginar que um dia estaria em um palco como esse, cantando para pessoas que mesmo sem as conhecer pessoalmente, gritavam meu nome, vestiam camisas com o meu rosto estampado e sabiam todo o meu repertorio.

O pequeno Sérgio, que odiava ir para aulas de violão com certeza teria se esforçado mais se soubesse onde estaria agora. A música termina, e começa o meeting & greeting no camarim. Com certeza esse é o meu momento favorito: O abraço e o carinho das pessoas, as fotos, os presentes, o choro… Mesmo assim a sensação de que algo estava faltando incomodava meu peito. Mas o que poderia ser?

 

-Finalmente acabamos a turnê nacional, meu querido!! – Comemorava a Lúcia, minha empresaria. Apesar de termos quase a mesma idade, ela 27 e eu 23, a Lúcia foi a pessoa que me tirou do interior de São Paulo, logo depois dos meu  vídeos começarem a fazer sucesso. Ela era como uma mãe para mim. Um mãe super descolada, cheia de tatuagens, corte de cabelo descolado e extremamente linda. – Agora vamos te dar uma semana de descanso, e logo em seguida vamos começar a gravação do seu álbum.

-Sério Lu? Uma semana inteira de descanso?! Nossa, que fantástico! – Ela logo percebe que minha voz está carregada de ironia e começa a rir. Para quem está a 4 meses seguidos fazendo show praticamente todos os dias, uma semana de descanso pode fazer muita diferença. Isso se essa pessoa não fosse eu, que fico entediado logo após a segunda hora preso em casa. – Mas falando sério agora, você sabe que eu não vou conseguir ficar em casa essa semana inteira não é mesmo?

-Tanto sei, que foi exatamente por isso que acertei com a Christina para que a folga dela fosse na mesma semana que a sua. E nem faça essa cara, ela te ama Sérgio, e você pode não gostar dela como ela gosta de você, mas com certeza gosta de dormir com ela, e não precisa mentir para  mim. – Ela tinha razão, ela sempre tem razão. Quando comecei a namorar com a Christina, para mim não foi nada mais do que um jogo de publicidade: O cantor jovem e bonito, com a Diva pop e maravilhosa; sem duvidas as fãs iriam ficar loucas com esse “Shipp”. Mas ao que parece, a Christina sempre teve algum sentimento por mim. Já eu nunca senti por ela nada além de tesão, pois eu seria um idiota se dissesse que ela não é gostosa.

Com o tempo ficou mais difícil nos encontrarmos pessoalmente e mais fácil conviver com aquele namoro. Talvez essa semana em casa servisse para algo: Ou terminaríamos o relacionamento, ou talvez eu possa começar a gostar dela. Enquanto a Lúcia falava alguma coisa sobre a nossa viagem de volta para São Paulo, aproveitei para tirar as roupas extremamente justas do show e tomar um banho.

-Será que você pode deixar para tirar a cueca no banheiro Sérgio? Não é por que eu sou lésbica que, não tem nenhum problema você ficar andando nú na minha frente. Ainda sou mulher e mereço respeito. – Permaneço de cueca enquanto ela olha séria para minha cara. – E mais uma coisa, o Henrique te ligou durante o show, ele estava com uma voz diferente… Parecia até feliz. Talvez você devesse ligar para ele, nunca se sabe quando vamos ouvir aquele menino rir novamente não é mesmo?

-O Henri feliz? Oi? Com certeza eu vou ligar para ele. Porque, ou ele ficou mais rico, ou ele descobriu que tem alguma doença terminal. E não me olha desse jeito, tô só falando a verdade. Você sabe que tudo que o Henri mais quer é morrer. – Ela acena com a cabeça concordando. O Henri é dono de uma das maiores agencias de modelos do país, e ficamos muito amigos durante a passagem da turnê por Salvador. Mesmo ele sendo uma pessoa extremamente depressiva, ele se mostrou ser um cara muito legal. Na verdade, foi uma das poucas pessoas com quem eu pude ser eu mesmo, sem me preocupar se havia algum interesse envolvido na amizade dele. – Lú, pede para algum assistente trazer meu pijama e um misto quente? Eu vou tomar um banho, ligar para o Henri e podemos ir para o ônibus.

Ela saiu do camarim, já gritando as ordens pelo rádio. Eu entrei no banho, aproveitando cada gota daquela deliciosa agua quente me fazendo relaxar. Enquanto me secava aproveitei para admirar meu corpo no espelho gigante do banheiro. Não me entenda mal, eu gosto muito de me admirar. Eu sempre fui um adolescente gordinho, feio e com a cara cheia de espinhas, foi só quando completei 17 anos e graças a um surto dentro de casa que comecei a academia, fiz tratamento para pele, e consegui um corpo que me agradasse o suficiente. Hoje, aos 23 anos, não tinha nada que eu amasse mais do que meu abdômen definido, e a minha pele perfeitamente lisa.

Enquanto escovava os dentes, foi que percebi que tinha alguém no camarim. Ele cantava baixinho, uma música que eu não conhecia, e caramba, ele cantava muito bem! Sai do banheiro enrolado na toalha e fique encostado na parede ouvindo ele cantar. Eu nunca tinha visto esse cara antes, mas como eu nunca reparava em nenhum assistente de produção, não era nenhuma surpresa.

O garoto parecia ter mais ou menos a minha idade, e ser um pouco mais alto do que eu. Ele estava arrumando minhas coisas em uma mala, e não notou quando eu passei por ele, de tão absorto que estava na musica. Ele tinha cabelos castanhos cacheados, quase loiros, e sua voz era quase doce de mais para um garoto.

-Ei! Eu não sabia que tínhamos duas estrelas nessa turnê. – Falei com um certo sarcasmo na minha voz. Ele se assustou, e acabou caindo sentado no sofá. – Calma não precisa ficar assustado, eu só estava brincando. Qual seu nome garoto?

Sua expressão demonstra uma curiosa mistura da medo e excitação. – Meu nome? Desculpa senhor, eu não entendi direito.

-Mas o que é que tem para entender? Eu só quero saber seu nome uai. – Tiro a toalha e começo a me vestir. Eu nunca tive problema de ficar nu na frente das pessoas. Pelo menos não depois de ter emagrecido. Mas ao que parece o jovem, ficou envergonhado, por isso trato de vestir a bermuda primeiro. – Então rapaz?

-Nico… Ni… Nicolas! Meu nome é Nicolas senhor. – é ele ficou envergonhado. – Desculpa se eu estava cantando, é que eu pensei que o senhor ainda estivesse no banho, e a dona Lúcia me mandou deixar seu pijama e seu lanche aqui. Sinto muito te incomodar.

Algo naquele garoto me chamava atenção. Não sei dizer se era seu jeito, sua voz, ou seu olhar que por mais que ele tentasse esconder, não parava de subir e descer pelo meu corpo, vasculhando cada musculo, e por mais que suas bochechas estivessem vermelhas, seus olhos ardiam como chamas. Mas quem consegue resistir ao meu charme não é mesmo? Eu sei que sou incrível.

Leia mais »

[Texto] Aos meus 3 mil amigos

Não faz muito tempo, eu era só outro garoto lendo. Fosse no carro, na escola, em casa, no shopping… Eu era outro garoto lendo. Um dia, cansado de tanto ler e não ter com quem conversar eu tive a bizarra ideia de criar um blog. Uma forma de expor minhas idéias e minhas opiniões para outros garotos e garotas que liam independente do lugar onde estivessem (claro que não estou falando desse blog. Mas do meu primeiro.). Onde eu poderia imaginar que hoje eu seria o Outro Garoto Lendo?

Lembro que quando completei 50 seguidores com aquele blog de layout grotesco, vários erros na construção das resenhas e uma linguagem nada apropriada, eu comemorei com como se tivesse ganhado 50 novos amigos.

Cinco anos se passaram. Desde aquele dia, já passei por 6 blogs, 10 fanpages e 3 Instagram. Mas o sentimento é o mesmo de quando consegui aqueles 50 amigos. Porém hoje o número é muito maior, o blog é algo maior.

Nos últimos 9 meses, conquistei 3 mil novos amigos na nossa pagina do facebook, um numero que graças as forças que comandam o universo, não para de crescer. Para vocês isso pode ser algo bobo, banal, ou não afetar em nada na sua vida. Mas para mim, que escolhi fazer isso por amor pelo resto da vida, isso não tem preço.

Por isso, aos meus meus 3 mil AMIGOS, deixo aqui o meu muito obrigado! Vocês são parte da minha vida, e uma das mais importantes. Que enquanto você estiver lendo esse texto, você se sinta devidamente abraçado, com todo o meu carinho e gratidão.

O que eu posso fazer para agradecer é muito pouco. É mandar todo o amor do meu coração para o de vocês.

Um cheiro especial (cheio de amor e gratificação), e até a próxima!

Do seu amigo,

Alê.

[TEXTO] Manual pratico de como lidar com as Falsifriends

SOCORRO! ELAS ESTÃO POR TODOS OS LADOS!

Calma! Tio Alê te trouxe a solução sobre "Como lidar com as Falsifriends"!

DoctorWho-11Oooh

Elas estão em todos os lugares: na escola, na faculdade (olá sala 04), no trabalho, no condominio… para saber como lidar devemos seguir alguns passos:

large

  1. Identificar e Classificar uma Falsifriend: É muito dificil de identificar uma falsifriend. Afinal, elas se fazem de amigas, cheias de carinhos, abraços, atenções…. mas uma vez que vocês conseguirem detectar a dita cuja você terá que classifica-las: Falsiane, Escrotiane, Sonsiane, Crestina, Putiane, Cobriane…
  2. Seja mais fake do que elas: A Unica forma de se derrotar uma Falsifriend, é sendo mais falsifriend do que ela. Elas não vão perder uma oportunidade de lhe puxar o tapete, e para isso você deve estar pronto para não se deixar cair, e sim para derruba-las e passar por cima delas com seus luboutins.anigif_enhanced-5397-1408658439-1
  3. Criar uma barreira contra ataques emocionais: Uma caracteristica desse tipo de gente são os ataques emocionais. Elas irão usar de todas as conversas que vocês tiveram enquanto você era ingenua para lhe dar o bote na hora certa. Então fiquem espertas!                      Jujubee_OhShit
  4. Use apenas da violencia se for justificavél: Não vale a pena quebrar as unhas com essas zinhas, mas se você ja estiver de saco cheio, e nenhum dos outros passos tiver funcionado, DESÇA A PORRADA NA FALSIFRIEND.  vUtKUQu

(Texto meramente ludico, apenas com o intuito de te fazer rir um pouquinho. Afinal, o pior veneno para as falsifriends é nos ver bem, felizes, lindos (as), e vivendo sem depender dos outros)

Ria. Ria mesmo sem motivo. A vida é linda, e as risadas são a musica da nossa alma.

tumblr_m0qr5sbi0t1qgcra2o1_500 tumblr_ml3zjyGk2f1s2kzvmo1_500

Um cheiro, e até as próximas risadas!