[Lançamentos] Wishlist de Abril – Parte 2: Declarando falência!

Gente o caso é sério, seríssimo! Do jeito que está eu vou morrer em uma casa, sozinho, sem luz, internet, porém cheio de livros!

Ontem eu postei a primeira parte da minha lista desejados de Abril, mas as news não param de chegar e eu precisei fazer uma parte dois, e pelo andar da carruagem, vai rolar uma parte 3 também!

E se você curte romances de época, essa parte é pra você!

450xN1- Primeiras Impressões:

Charles Bing, um otimista incorrigível, decide que está na hora de internacionalizar a sua bem-sucedida cadeia de restaurantes nova-iorquina. Deseja começar pelo país que sempre incitou sua curiosidade: o Brasil. E nada melhor que Búzios, uma belíssima cidade turística no litoral do Rio de Janeiro. A fim de garantir que sua escolha será acertada, ele leva a tiracolo o seu melhor amigo, Frederick Darcy, um político americano de família conservadora, que se orgulha de ser um homem racional e prático. Mal sabem eles que, ao chegar à cidade paradisíaca, virarão alvo de Janaína Benevides, dona das pousadas mais requisitadas do balneário. Ela é mãe de quatro belas moças, que são, para sua tristeza, solteiras. Janaína preocupa-se, em especial, com a solidão de Jane e Lizzie Benevides, as mais velhas. Enquanto a primeira acaba se decepcionando em seus relacionamentos, por ser uma pessoa que sempre busca ver o melhor nas pessoas, a outra não deixa nenhum homem se aproximar.

unnamed

2- Um Amor Conquistado

Ainda criança, Sophia foi levada para a Inglaterra para fugir da perseguição e do terror impostos pela Revolução Francesa. Com medo de ser descoberta, nunca revelou sua origem nobre, mas manteve viva a esperança de reencontrar sua família. Após o falecimento da madrinha, Sophia se vê obrigada a buscar trabalho para sobreviver e, por isso, se candidata à vaga de preceptora de Louise, a sobrinha órfã do conde de Buckington, um nobre conhecido pela sua frieza e arrogância. Em uma brincadeira do acaso, ela se vê diante da possibilidade de voltar à França sob a proteção do nobre inglês e de descobrir o que aconteceu com seus pais. Mesmo avisada sobre os riscos, ela decide seguir em frente, ainda que isso signifique fingir ser a noiva do conde de gelo. Edward é um homem frio e arrogante, disposto a qualquer coisa para se vingar do francês que destruiu seu irmão, até mesmo embarcar para a França em companhia de uma desconhecida, apresentando-a como sua noiva. Ele conhece os riscos da empreitada, só não está preparado para os sentimentos contraditórios que invadem seu coração.

unnamed (1)3- UM AMOR INESPERADO:

Na antiga Inglaterra, Amélia embarca em um plano mirabolante com o único objetivo de se livrar do seu terrível tutor: casar-se com um total desconhecido e, ainda por cima, prisioneiro da Coroa Britânica à espera da execução. O plano parece dar certo. Ela se considera viúva e já não sente mais a presença obscura de seu guardião. Mas o mundo de Amélia vira de ponta-cabeça quando lorde Cunnington, o herdeiro até então ignorado do conde de Hartford, assume as propriedades e é recebido como herói na sociedade local. Tudo estaria bem, não fosse o fato de ele ser o prisioneiro que ela havia se casado no submundo daquela fétida prisão. Amélia, agora, precisa enfrentar a vingança do homem cujo nome ela comprou e os novos sentimentos que a simples presença daqueles olhos negros desperta nela.

unnamed (2)4- UM AMOR APAIXONADO:

Prudence não é prudente. Ao contrário do que seu nome indica, ela anseia por aventura. Dona de um espírito livre e apaixonado, ela é a menos tradicional filha de um duque inglês. Desde menina sentia uma vontade imensurável de conhecer os mistérios do Oriente e sua amizade com o príncipe Bahman Al Kaled, iniciada ainda na infância de forma inusitada, a fez desenvolver verdadeira obsessão pela Arábia. Quando surge a oportunidade perfeita para realizar seu sonho de viajar até lá, vê-se obrigada a ficar sob a tutela e proteção de um príncipe arrogante, insuportável e irresistível!

Ao contrário do irmão mais velho, o príncipe Táriq odeia o povo inglês, mas o destino coloca sob sua responsabilidade justamente uma nobre inglesa, que acredita ser a síntese da mulher fútil e manipuladora que ele tanto despreza. Mas seu país precisa de uma aliança política e cabe a ele evitar que a ousada filha do duque de Barrington seja sequestrada em sua viagem a caminho do palácio Madinat al-Zahr. Tudo teria se resolvido em poucos dias se uma terrível tempestade de areia não tivesse atravessado o caminho deles. Após dias e noites sozinhos no deserto, a reputação de Lady Sinclair fica irremediavelmente comprometida e ele terá de encarar seu pior pesadelo: um casamento, pelo bem de seu país e pela honra da jovem.

Será que de um casamento forçado pode nascer um amor apaixonado?

(Minha sorte é que os livros 3 e 4 só vão estar disponíveis em Maio e Junho, mas já quero garantir na pré venda que vem com um kit de marcadores lindos!)

9788580416800.png.200x300_q85_upscale

5- Quando a Bela, domou a Fera:

Quando a Bela domou a Fera é uma deliciosa releitura de um dos contos de fadas mais adorados de todos os tempos. Piers Yelverton, o conde de Marchant, vive em um castelo no País de Gales, onde seu temperamento irascível acaba ferindo todos os que cruzam seu caminho. Além disso, segundo as más línguas, o defeito que ele tem na perna o deixou imune aos encantos de qualquer mulher.

Mas Linnet não é qualquer mulher. É uma das moças mais adoráveis que já circularam pelos salões de Londres. Seu charme e sua inteligência já fizeram com que até mesmo um príncipe caísse a seus pés. Após ver seu nome envolvido em um escândalo da realeza, ela definitivamente precisa de um marido e, ao conhecer Piers, prevê que ele se apaixonará perdidamente em apenas duas semanas.

No entanto, Linnet não faz ideia do perigo que seu coração corre. Afinal, o homem a quem ela o está entregando talvez nunca seja capaz de corresponder a seus sentimentos. Que preço ela estará disposta a pagar para domar o coração frio e selvagem do conde? E Piers, por sua vez, será capaz de abrir mão de suas convicções mais profundas pela mulher mais maravilhosa que já conheceu?

9788580416787.png.200x300_q85_upscale6- Irmãos de Sangue:

A misteriosa Pedra Pagã sempre foi um local proibido na floresta Hawkins. Por isso mesmo, é o lugar ideal para três garotos de 10 anos acamparem escondidos e firmarem um pacto de irmandade. O que Caleb, Fox e Gage não imaginavam é que ganhariam poderes sobrenaturais e libertariam uma força demoníaca.

Desde então, a cada sete anos, a partir do sétimo dia do sétimo mês, acontecimentos estranhos ocorrem em Hawkins Hollow. No período de uma semana, famílias são destruídas e amigos se voltam uns contra os outros em meio a um inferno na Terra.

Vinte e um anos depois do pacto, a repórter Quinn Black chega à cidade para pesquisar sobre o estranho fenômeno e, com sua aguçada sensibilidade, logo sente o mal que vive ali. À medida que o tempo passa,

Caleb e ela veem seus destinos se unirem por um desejo incontrolável enquanto percebem a agitação das trevas crescer com o potencial de destruir a cidade.

Em Irmãos de sangue, Nora Roberts mostra uma nova faceta como escritora, dando início a uma trilogia arrebatadora em que o amor é a força necessária para vencer os sombrios obstáculos de um lugar dominado pelo mal.

 

9788580416589.png.200x300_q85_upscale7- O sol também é uma estrela:

Natasha: Sou uma garota que acredita na ciência e nos fatos. Não acredito na sorte. Nem no destino. Muito menos em sonhos que nunca se tornarão realidade. Não sou o tipo de garota que se apaixona perdidamente por um garoto bonito que encontra numa rua movimentada de Nova York. Não quando minha família está a 12 horas de ser deportada para a Jamaica. Apaixonar-me por ele não pode ser a minha história.

Daniel: Sou um bom filho e um bom aluno. Sempre estive à altura das grandes expectativas dos meus pais. Nunca me permiti ser o poeta. Nem o sonhador. Mas, quando a vi, esqueci de tudo isso. Há alguma coisa em Natasha que me faz pensar que o destino tem algo extraordinário reservado para nós dois.

O Universo: Cada momento de nossas vidas nos trouxe a este instante único. Há um milhão de futuros diante de nós. Qual deles se tornará realidade?

9788580416824.png.200x300_q85_upscale8- Jardins da Lua:

Desde pequeno, Ganoes Paran decidiu trocar os privilégios da nobreza malazana por uma vida a serviço do exército imperial. O que o jovem capitão não sabia, porém, era que seu destino acabaria entrelaçado aos desígnios dos deuses, e que ele seria praticamente arremessado ao centro de um dos maiores conflitos que o Império Malazano já tinha visto.

Paran é enviado a Darujhistan, a última entre as Cidades Livres de Genabackis, onde deve assumir o comando dos Queimadores de Pontes, um lendário esquadrão de elite. O local ainda resiste à ocupação malazana e é a joia cobiçada pela imperatriz Laseen, que não está disposta a estancar o derramamento de sangue enquanto não conquistá-lo.

Porém, em pouco tempo fica claro que essa não será uma campanha militar comum: na Cidade do Fogo Azul não está em jogo apenas o futuro do Império Malazano, mas estão envolvidos também deuses ancestrais, criaturas das sombras e uma magia de poder inimaginável.

Em Jardins da lua, Steven Erikson nos apresenta um universo complexo de cenários estonteantes e ações vertiginosas que mostram por que esta é considerada uma das maiores sagas épicas.

unnamed (3)

9- Belinda:

Mrs. Stanhope fez de tudo até consegui que a  dama mais elegante e influente de Londres, a notória lady Delacour, uma viscondessa, levasse sua última sobrinha solteira para passar uma temporada com ela.  A esperança da tia era que Belinda conseguisse, com o as suas demais primas, um bom e rico marido. Belinda, então, foi jogada num tumulto social e acabou se envolvendo nos conflitos familiares da aristocrática família Delacour. Enquanto a belíssima lady Delacour tenta chamar a atenção de Clarence Hervey e outros cavalheiros para si com coquetismo, vivendo uma agitada vida social, como se o mundo fosse acabar amanhã, ela enfurece lorde Delacour, causando uma tragédia. Mas a lady esconde um grande segredo. Em meio à agitada vida social, o coração da jovem Belinda é tocado por Mr. Hervey, mas ele está comprometido com outra. Resta a Belinda se casar com Mr. Vicent, o protegido dos sóbrios e racionais Percivals.

Belinda é a história envolvente de uma jovem mulher forte, que luta para manter sua integridade, mesmo estando sob a tutela de um mau exemplo experiente na forma de uma lady elegante.

02SKU_UmEstranhoNumaTerraEstranha.png10- Um Estranho Numa Terra Estranha:

Um Estranho Numa Terra Estranha traz a história de Valentine Michael Smith, um humano criado em Marte. Ao ser trazido à Terra, ele entra em contato pela primeira vez com seus iguais e se esforça para entender os costumes, a moral e as regras sociais que definem os estranhos terráqueos. Em meio a diversas barreiras, o homem de Marte se esforça para grokar (termo em marciano, criado pelo autor, com diversos significados, como: beber, sentir, aprender e fazer parte) esse mundo tão alienígena a ele, enquanto procura explicar à humanidade seus próprios conceitos fundamentais, bem como suas concepções de amor e respeito.

No romance, o leitor irá se deparar com os mais diversos tópicos de discussão: desde o amor livre, passando por críticas ao consumismo e até às instituições cristãs. A obra é vista como uma afronta ao moralismo e à cultura da época e, graças à sua mensagem de liberdade, tornou-se um manifesto do movimento hippie da década de 1970.

É quase inevitável não fazer uma comparação com Tropas Estelares, também escrito por Heinlein. Enquanto Tropas, lançado em 1959, apresenta um viés mais militarista e conservador, Um Estranho Numa Terra Estranha, lançado dois anos depois, chegou ao público repleto de críticas sociais, hedonismo, e uma clara insatisfação com a cultura de sua época. Essas duas obras totalmente distintas, lançadas em um curto período de tempo, demonstram a versatilidade e a genialidade de Heinlein, que, ao lado de Arthur C. Clarke e Isaac Asimov, é considerado um dos maiores autores da ficção científica.

Continuar lendo “[Lançamentos] Wishlist de Abril – Parte 2: Declarando falência!”

Anúncios

[Resenha] Matéria Escura

materia_escura_1484658590645465sk1484658590bLivro: Matéria Escura
Autor: Blake Crouch
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
Páginas: 343
Sinopse: VOCÊ É FELIZ COM A VIDA QUE TEM?
Essas são as últimas palavras que Jason Dessen ouve 
antes de acordar num laboratório, preso a uma maca. 
Raptado por um homem mascarado, Jason é levado para 
uma usina abandonada e deixado inconsciente. 
Quando acorda, um estranho sorri para ele, dizendo: 
“Bem-vindo de volta, amigo.”

Neste novo mundo, Jason leva outra vida. 
Sua esposa não é sua esposa, seu filho nunca nasceu e, em vez de professor numa 
universidade mediana, ele é um gênio da física quântica que conseguiu um feito 
inimaginável. Algo impossível. Será que é este seu mundo, e o outro é apenas um 
sonho? E, se esta não for a vida que ele sempre levou, como voltar para sua 
família e tudo que ele conhece por realidade?

Com ritmo veloz e muita ação, Matéria escura nos leva a um universo muito 
maior do que imaginamos, ao mesmo tempo em que comove ao colocar em primeiro 
plano o amor pela família. Marcante e intimista, seus múltiplos cenários 
compõem uma história que aborda questões profundamente humanas, 
como identidade, o peso das escolhas e até onde vamos para recuperar 
a vida com que sonhamos.

Com certeza você já ouviu falar que a vida é feita de escolhas. Que se nós estamos onde estamos, ou somos quem somos é porque em algum momento da nossa vida escolhemos isso.

Não há avisos quando tudo está prestes a mudar, a ser tomado de você. Nenhum alerta de proximidade, nenhuma placa indicando a beira do precipício. E talvez seja isso que torna a tragédia tão trágica. Não é apenas o que acontece, mas como acontece: um soco que vem do nada, quando você menos espera. Não dá tempo de se esquivar ou se proteger.

São nossas escolhas que nos definem e definem nossos caminhos. Por exemplo: se a 7 anos atrás eu tivesse aceitado seguir carreira de modelo, ao invés de criar um blog sobre literatura, é muito pouco provável que eu estivesse aqui hoje conversando com vocês.

A gente fica tão imerso na rotina que acaba deixando de ver as pessoas que amamos como realmente são.

E quando não estamos muito felizes com nossas vidas, vocês já pararam para pensar como ela seria se você tivesse escolhido o comprimido azul ao invés do vermelho?

Todos nós vivemos, dia após dia, totalmente alheios ao fato de que fazemos parte de uma realidade muito maior e mais estanha do que se pode imaginar.

Jason Dessen não tem uma das melhores vidas. Ele é professor de física em uma universidade, recebe um salário medíocre, tem um carro horrível, uma esposa amada e um filho adolescente. Mas um dia tudo isso muda, quando Jason Dessen de outra realidade, o sequestra e troca de lugar e de vida com ele.

Cada momento, cada respiração, contém uma escolha. Mas a vida é imperfeita. Fazemos escolhas erradas. Então, acabemos vivendo em perpétuo arrependimento. Não existe nada pior do que isso. 

Agora ele é um cientista renomado, rico e recluso, que desenvolveu uma caixa que permite que as pessoas entrem em um estado de superposição, sendo assim levadas para outras realidades, criadas a partir de escolhas não feitas. Jason precisa agora entrar na Caixa e encontrar um meio de retornar a sua esposa, seu filho, sua casa, SUA VIDA.

A Caixa não é muito diferente da vida. Se você entrar com medo, vai encontrar medo.

O livro é uma ficção cientifica soft, mas com questionamentos que estimulam ao leitor repensar a própria vida e as escolhas. A Editora Intrínseca nos presenteia com uma edição maravilhosa, se um projeto gráfico super bem desenvolvido, e com acabamentos que vem se tornando característicos da nova Intrínseca.

51c45c55-a554-4439-9ba2-b660daf0aa7e

Esse é uma daqueles livros que te atinge como um soco no estomago, e te faz vomitar todas as emoções e de forma que te força a pensar em uma unica pergunta que permeia o livro inteiro:

Você é feliz com a vida que tem?

Continuar lendo “[Resenha] Matéria Escura”

[Variedades] Novos Autores Parceiros

Yaaaaay!

Nós amamos quando novos parceiros se juntam a nossa família não é mesmo? Por isso, vim apresentar para vocês duas autoras incríveis, que prometem arrasar muito esse ano e nós vamos conferir isso bem de pretinho!

  • Juliana Parrini 

Juliana Parrini é carioca, web designer e se define como leitora compulsiva, cinéfila, amante de rock e mãe coruja. Sua paixão pela escrita teve início ainda na adolescência, quando começou a escrever histórias nos cadernos em sala de aula, tendo os amigos como leitores.

O romance Depois do que aconteceu, sua estreia no mundo literário, alcançou mais de 4 milhões de leituras na plataforma Wattpad e emplacou o 1º lugar no ranking da revista Veja como livro digital mais vendido do Brasil, assim como seus outros livros publicados. Depois do que aconteceu, Antes que aconteça e Novamente você foram publicados pela editora Companhia das Letras, através do selo Suma de Letras.

Em abril de 2016, o jornal O Globo publicou que a Companhia das Letras havia fechado com a produtora de cinema Gláucia Camargos a cessão dos direitos dos romances “Depois do que aconteceu” e “Antes que aconteça”.

Juliana é casada e mora com o marido e os dois filhos no Rio de Janeiro.

Livros lançados :

 

  • S. Miller

S. MILLER entrou na faculdade de Medicina em 2003, em seguida se enveredou pela Administração; hoje é empresária bem-sucedida no ramo do marketing e apaixonada pela escrita. A autora é uma das grandes promessas da literatura nacional quando se trata de romance chick-lit e erótico. É também filha de escritora/poeta.

Seu primeiro livro – “De Repente O Destino”, livro 1 da trilogia “De Repente”, publicado pelo selo Desfecho Romances da editora Multifoco, figurou na lista de mais vendidos da Amazon por 2 anos. Já ultrapassa 4 milhões de leituras. Foi traduzido para o inglês, e a versão estrangeira manteve o sucesso, ficando entre os 100 livros mais vendidos da Amazon.com. A primeira edição do livro ficou entre os romances mais lidos no Wattpad no ano de 2015.

O livro “Indomável” foi para a Revista Veja como Best-Seller em menos de 24 horas de vendas, e atingiu 1 milhão de leituras na Amazon em apenas sete meses.

O conto “Um Natal Fora de Série”, um spin-off do livro Indomável, foi para a posição #1 da Amazon em dezembro de 2015. Bateu 100 mil leituras em apenas 5 dias.

É dela também o romance de sucesso “De Repente A Obsessão”, livro 2 da trilogia “De Repente”, que desde seu lançamento, aparece entre os mais lidos da Amazon Brasil.

O livro “Indomável Coração”, prequel do livro ‘Indomável’, escrito em parceria com a autora Juliana Mendes, figurou a lista da Revista Veja entre os 5 mais vendidos da Amazon em apenas oito horas de lançamento. E em 2 meses de vendas, já conquistou 250 mil leituras na Amazon.

Seu mais recente lançamento é o conto “Tabu, Prazer e Reencontros”, integrante do livro “Tardes Sensuais”, que será lançado oficialmente na Bienal Internacional do Livro de São Paulo 2016, pela editora Universo dos Livros, com os autores Mila Wander, Nana Pauvolih, Danilo Barbosa, Janaina Rico e Gracielle Rattes.

O conto “Obsessão”, lançado na Amazon recentemente, entrou para a lista dos mais vendidos em apenas 1 hora de vendas. A história é um spin-off do livro Indomável.

A autora já apareceu em matérias na Revista Exame, Portal Terra, Portal R7 da Record, Portal O Globo, PublishNews, Correio Braziliense, entre outros.

Os direitos de publicação dos livros “Indomável” e “Indomável Coração” acabam de ser passados para a editora Astral Cultural, uma das bem-sucedidas casas editoriais do Brasil.

Livros lançados (Clique nas capas para adquirir):

 

É isso meus lindos e lindas, estamos aqui na torcida de que essas parcerias vão trazer só os melhores conteúdos para vocês!

Um cheiro e até a próxima! Continuar lendo “[Variedades] Novos Autores Parceiros”

[Texto] Aos meus 3 mil amigos

Não faz muito tempo, eu era só outro garoto lendo. Fosse no carro, na escola, em casa, no shopping… Eu era outro garoto lendo. Um dia, cansado de tanto ler e não ter com quem conversar eu tive a bizarra ideia de criar um blog. Uma forma de expor minhas idéias e minhas opiniões para outros garotos e garotas que liam independente do lugar onde estivessem (claro que não estou falando desse blog. Mas do meu primeiro.). Onde eu poderia imaginar que hoje eu seria o Outro Garoto Lendo?

Lembro que quando completei 50 seguidores com aquele blog de layout grotesco, vários erros na construção das resenhas e uma linguagem nada apropriada, eu comemorei com como se tivesse ganhado 50 novos amigos.

Cinco anos se passaram. Desde aquele dia, já passei por 6 blogs, 10 fanpages e 3 Instagram. Mas o sentimento é o mesmo de quando consegui aqueles 50 amigos. Porém hoje o número é muito maior, o blog é algo maior.

Nos últimos 9 meses, conquistei 3 mil novos amigos na nossa pagina do facebook, um numero que graças as forças que comandam o universo, não para de crescer. Para vocês isso pode ser algo bobo, banal, ou não afetar em nada na sua vida. Mas para mim, que escolhi fazer isso por amor pelo resto da vida, isso não tem preço.

Por isso, aos meus meus 3 mil AMIGOS, deixo aqui o meu muito obrigado! Vocês são parte da minha vida, e uma das mais importantes. Que enquanto você estiver lendo esse texto, você se sinta devidamente abraçado, com todo o meu carinho e gratidão.

O que eu posso fazer para agradecer é muito pouco. É mandar todo o amor do meu coração para o de vocês.

Um cheiro especial (cheio de amor e gratificação), e até a próxima!

Do seu amigo,

Alê.

[Resenha] Fangirl

Fangirl capaLivro: Fangirl
Autora: Rainbow Rowell
Ano: 2014
Editora: Novo Século
Páginas: 424
Sinopse: Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns; escreve um fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme.Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real. Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto. Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências. Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?

Oi, oi! Vamos resenhar hoje \o/

Como até mesmo mencionei antes  em um especial sobre a Rainbow Rowell, Fangirl faz parte da visão juvenil dela quanto ao enredo, então Cath estar começando a vida de universitária é o princípio da aventura.

O próprio título já gera uma intriga com o leitor, afinal de contas fangirl? De cara pode ter uma identificação com o leitor, Cath é a projeção dos dedicados e apaixonados por seus sonhos fictícios, afinal crescer não é abandonar o seu lado “criança sonhadora”, isso cria um diferencial em Cath, quando isso se reflete na criatividade que ela usa na construção de suas fanfictions (ficção feita por fãs) e percebe que esse é o seu futuro, ela embarca na universidade para se tornar uma autora. Porém uma nova vida sugere várias metas e obrigações que Cath não estava exatamente disposta a assumir, quem gosta de criar novos laços, quando pode se acomodar e tentar seguir por si, sem mais envolvimentos? Um nome: Cath.

– Que droga é essa de “fandom”?
– Você não entenderia – Cath suspirou, desejando não ter usado essa palavra, sabendo que, se tentasse se explicar ainda mais, complicaria tudo mais ainda. Reagan não acreditaria – ou compreenderia – que Cath não era apenas fã de Simon. Era uma das maiores fãs. Uma fã de primeira que tinha seus próprios fãs

A obra se distancia daquela premissa mais comum atualmente, com o bad boy e a mocinha em um relacionamento conturbado – que mesmo assim gosto muito, admito orgulhosamente – e segue para o final juntos e apaixonados. Em Fangirl não tem faísca a primeira vista, tem um relacionamento de amizade que cresce, a construção de um novo sentimento, pense na analogia da montagem de um Lego, seria esse o princípio de Cath e Levi.

É através da sua nova companheira de quarto, a direta e ousada Reagan, que Cath conhece Levi, descrever o rapaz é tão fácil que se torna complicado, mas vamos lá! Dos esteriótipos mais tradicionais de uma visão convencional de colegial, Levi facilmente se encaixaria na dos desencanados, ao mesmo tempo em que é destaque aos que importam, ele sequer se importa com isso, bem humorado e cheio de charme, esse possui lábia, sendo sincero com seus sentimentos e intenções desde o começo. Até mesmo a provocação com relação ao nome de Cath é bem humorada, sempre demonstrando certo carisma e preocupação com os que o cercam, ele conquista por ações pequenas e simples diálogos, arrancando suspiros – ou reviradas de olhos – de quem se deixa levar.

Reagan é uma figura, a nova colega de quarto de Cath é uma pessoa altiva e o que alguns diriam ser “fora dos padrões”, para Reagan não existem padrões, existe a vida e ela está aí para ser vivida, não é a toa que ela e Levi são tão amigos, mesmo que dentre os dois, cabeça de vento e centralizador sejam termos bem distorcido. Mas a personalidade de Reagan – e de Levi também – intimida Cath, mal sabe Cath que Reagan também não construiu uma boa opinião da fanática pelo Simon Snow, mas amizade nem sempre nasce de boas opiniões e essa, é a verdadeira construção de uma amizade

– Tem bonequinhos do Simon Snow na sua mesa – disse Reagan.
– São bustos comemorativos.
– Tenho pena de você e, por isso, vou ser sua amiga.
– Não quero ser sua amiga – Cath disse o mais severamente possível. – Gosto de não ser sua amiga. – Eu também – disse Reagan. – Pena que você estragou tudo, sendo tão patética.

Fangirl art
Art fofa da Noelle Stevenson >.<

Equilibrar família, com estudos e hobby é complicado, a ponto de Cath se ver presa em uma maratona de acontecimentos, desabamentos emocionais, a boa e velha sensação de abandono, sem Wren, sua irmã, a sempre companheira de quarto e que partilhava tudo, até mesmo a autoria das fanfics, a vida parecia errada.

Wren é a gêmea, cara metade e parte da identidade de Cath, desde o nome que a mãe das duas só havia pensado para uma filha, que acabou por ser dividido para as gêmeas. Por um lado a mentalidade das duas as distanciam, Cath permanece fiel a suas paixões, enquanto Wren passa pela fase da rebelião de sua personalidade e um pouco das suas crises está irradiando no novo estilo de vida despojado e festeiro dela, ao ponto de pôr em risco o relacionamento não somente com sua irmã, como também como seu pai e todos – quase todos na verdade – aqueles que a cercam.

– Nossa mãe não sabia que ia ter gêmeas – disse Wren. – E não teve vontade de inventar outro nome.
– Cather, Wren… – Levi parecia ter acabado de descobrir a América. – Catherine.

A presença do pai de Cath, Arthur, traz uma perspectiva de uma família com outros padrões, devido à profissão dele no ramo da publicidade e propaganda, que exige um nível exacerbado de criatividade – olha um pouco da genética talentosa da Cath – e uma demanda grande  de tempo e sem o apoio de Laura a mãe das filhas, ele se tornou um aficionado por trabalho, enquanto cumpria o papel de pai e mãe, da melhor forma que pode.

O romance é a essência da história, mas não a única temática enraizada, já que como em toda fase de transição da adolescência para a vida adulta, Cath está em um período conturbado, relacionamento vão além dos amorosos e um amadurecimento é decorrente de todo esse período. Enquanto tenta conciliar sua vida de universitária com sua vida de “fangirl”, ela percebe que algumas decisões devem ser tomadas, mesmo, cabendo a ela decidir abraçar as circunstâncias ou fugir delas, ainda incluindo todo aquele toque de drama familiar para tremular seu caminho, afinal vida de adolescente perfeita ainda não deve ter sido inventada e isso já é de sabedoria de todos.

As desavenças entre Wren e Cath são inevitáveis até certo ponto, enquanto a primeira ainda espera a volta da figura materna que Laura, a mãe das gêmeas, deveria representar, esta última ainda se ressente pelo abandono que passou, provando sensibilidade e destreza, é possível ver um traço mais protetor em Cath. Com um pai ocupado, se exaurindo até a beira do colapso – fator que tende a ser decorrente com a sobre carga de seu trabalho – Cath se pôs a cargo de sustentar e limitar o pai, assumindo desde cedo uma face mais responsável e determinado grau de maturidade, o que faz pensar se o amor incondicional dela pela série do Simon Snow – no nosso mundo quase a série Harry Potter – não foi desencadeado por uma tendência a se apegar a algo só para ela, em que ela pudesse ter uma realidade diferente.

E finalizando, para os que apreciam os gestos, digamos que Levi e Cath são um prato cheio, ele não só apoia ela quanto ao seu amor por Simon Snow, como também gosta de ouvir as histórias que ela escreve sobre, quem não iria querer esse nível de respeito e admiração mútua?

Todo esse toque e mistura, tornam Fangirl um livro além de único, muito bem condensado e emocional, uma tarde lendo-o é bem mais que uma tarde, é ser a nova fangirl da Rainbow e se tornar Cath por um dia.


Uma fanart toda linda da Cath e do Levi! 

fangirl fan2